quarta-feira, 17 de abril de 2013

Vai arrancar a 2ª fase: Hortas Urbanas de Évora em expansão



Câmara atribui este sábado mais 138 talhões desta vez junto ao Forte de Santo António 

Volvido um ano após a entrega dos primeiros talhões das Hortas Urbanas de Évora, um projeto da Agenda 21 Local, que visa aproveitar os terrenos disponíveis para a criação de hortas comunitárias de qualidade e bem organizadas, que funcionem como espaços de produção mas também de socialização e convívio, a Câmara Municipal de Évora irá proceder à entrega de mais 138 lotes, desta vez junto ao Forte de Santo António. 
Depois do sucesso das Hortas do Monte de Santo António, a segunda fase deste projeto, que se irá denominar Hortas do Forte de Santo António, irá dar a possibilidade de 138 famílias usufruírem de 45 metros quadrados de um terreno sobre o qual poderão cultivar os mais diversos produtos. 
Para além do aspeto económico inerente, as Hortas Urbanas de Évora ajudam a fomentar novas atitudes, comportamentos e estilos de vida mais saudáveis e ambientalmente mais sustentáveis, promovendo a melhoria da qualidade de vida. 
A cerimónia de entrega dos 138 lotes está prevista para as 09h30 deste sábado (20 de Abril) com a realização do sorteio dos talhões, no final do qual os novos “hortelãos” terão de assinar o “acordo de utilização”, correspondendo a um manual de boas práticas. 
A exemplo do que sucedeu na primeira fase, as Hortas do Forte de Santo António significaram um investimento considerável por parte da edilidade eborense, através de trabalhos de infraestruturação deste terreno que incluíram: vedação, depósito de água, rede de distribuição de água com colocação de torneiras de utilização coletiva, construção de caminhos e marcação dos talhões. 
Em termos globais, o projeto das Hortas Urbanas de Évora reúne já 207 talhões, verificando-se uma constante procura por parte dos eborenses, estando a Câmara Municipal de Évora, em parceria com as juntas de freguesia, a trabalhar noutros projetos para que brevemente sejam criadas novas hortas, noutros terrenos da cidade. 
Beneficiando de uma localização extraordinária, com fácil acesso tanto pedonal, como automóvel, e enquadradas pela imponência do aqueduto da Água de Prata, as Hortas Urbanas de Évora visam contribuir para aumentar a autonomia alimentar das famílias, fomentar práticas de consumo mais equilibradas, ampliar a biodiversidade, alicerçar a consciência da necessidade do desenvolvimento sustentável, potenciar a convivência familiar e comunitária e contribuir para uma melhor consciência ambiental. (Nota de Imprensa da CME)

5 comentários:

  1. e onde é que nos pdoemos inscrever p o sorteio das hortas? sabem?

    ResponderEliminar
  2. Já foram atribuidas.
    Para quem quer sobreviver trabalhando na agricultura, última tabua de salvação para quem quer continuar aqui, um hectar vende-se entre 3500 sequeiro e 8500 euros regadio.
    Temos 3 milhões de hectares incultos, mas vedados com arame farpado, se houver coragem politica de rentabilizar esse nosso último recurso, seria ótimo para não morrermos de fome tal como os etiopes(troikas)

    ResponderEliminar
  3. Espero sinceramente que não se esqueçam de calcular as necessidades hídricas para tantos talhões de hortas...é que por mais correcto que seja a promoção de hortas urbanas, tem de haver cálculos com base no nº de utilizadores e água consumida. O ano foi de muita chuva, mas estamos no Alentejo!

    ResponderEliminar
  4. EH Pá perem lá....
    Não era ali que seriam construidas as famosas "docas secas"????????

    ResponderEliminar
  5. E o Centro Comercial de importância regional, que o Ernesto dizia que andava a negociar, também não era por ali?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.