domingo, 7 de abril de 2013

O Pilatos de Boliqueime


"Comunicado da Presidência da República
A Presidência da República divulga o seguinte comunicado:

1 – O Presidente da República recebeu hoje, em audiência, e a seu pedido, o Primeiro-Ministro, que se fez acompanhar, na parte final da reunião, pelo Ministro de Estado e das Finanças.

2 – O Presidente da República reitera o entendimento de que o Governo dispõe de condições para cumprir o mandato democrático em que foi investido e manifestou o seu empenho em que sejam honrados os compromissos internacionais assumidos e em que sejam alcançados e preservados os consensos necessários à salvaguarda do superior interesse nacional."

Está tudo bem!
O pior presidente de que há memória, avaliza com a sua falta de coragem, o mais incompetente governo da democracia.
À beira de um segundo resgate, com o país de rastos, desemprego, fome, falências sucessivas, emigração hemorrágica de jovens qualificados, em cuja formação o Estado investiu milhões de euros, com todos a exigirem o fim desta política criminosa, Cavaco Silva, pede a bacia, o sabão e a toalha e lava as mãos, como se ele próprio não fosse um dos principais responsáveis pelo descalabro.
Tudo em nome da dívida, pouco importando se ela é justa, verdadeira, aceitável. Que se lixem os portugueses, que se lixe o futuro, que se ignore o presente, que não se extraiam lições do passado.
Na rua, longe dos gabinetes a tensão aumenta, aumentam os roubos, a insegurança, o cidadão comum arrasta-se numa angústia sem fim, mas para estes senhores está tudo bem. Pouco importa que nesta desigualdade absurda existam gestores a auferir mais de três milhões de euros por ano, é irrelevante que o salário mínimo não chegue sequer aos quinhentos euros, nada conta que o Zé suporte a mais pesada carga fiscal da Europa.
A dívida tem de ser paga, temos de mostrar que somos bons alunos, de chapéu na mão e cerviz dobrada.
Pouco falta para que voltemos a assistir ao triste espectáculo das praças de jorna.
A responsabilidade deles, não pode, não deve ser apenas política. Têm de ser julgados, condenados, presos, têm de servir de exemplo a todos os outros arrivistas.
Portugal é dos Portugueses, não de meia dúzia de nababos irresponsáveis e criminosos.
Para isso se fez o 25 de Abril.

18 comentários:

  1. em 3º plano o embrião do caso

    - DE PEQUENINO
    SE TORCE O PEPINO

    ResponderEliminar
  2. "Há beira"??? MS!!!

    ResponderEliminar
  3. 11:56
    Eheh!
    Acontece.
    Rectificado.
    Obrigado.

    ResponderEliminar
  4. Mas só um louco analfabeto defende eleições tipo Seguro,o cheque da 7 avaliação ainda não chegou e esta semana vamos ter negociação das maturidades da divida,que tal estarmos 2 meses em campanha eleitoral sem governação?

    ResponderEliminar
  5. E em 2011? Como foi?
    E que governação temos agora?
    E que negociação das maturidades? Com Gaspar? Com Macedo?
    É melhor um segundo resgate e um confisco tipo Chipre?
    O que acha que este Desgoverno se prepara para levar a cabo?
    Pagar o subsídio de férias em títulos do tesouro?
    Esta solução já se esgotou há muito.
    Quem lhe garante que um governo saído de eventuais eleições não esteja em melhores condições para renegociar a dívida?
    Essa dos dois meses só pode ser para rir...

    ResponderEliminar
  6. Novas eleições com as alternativas que se nos deparam é catastrófico.
    PS minoritário sozinho?
    PS+CDS?
    Extrema esquerda caquéctica do século 19? (e era preciso ganharem no VOTO!)

    Tudo isto é pior que manter este governo.

    Ainda há gente competente em Portugal (ligada aos partidos PS, PSD e CDS mas sem ligação activa a eles ou até mesmo independentes) para integrar um governo de iniciativa presidencial até às próximas eleições "normais". Assim quisesse e estivesse disponível a abécula do presidente da república.

    ResponderEliminar
  7. Isso é um ponto de vista de direita.
    Se acha que a "esquerda caquética", serve de argumento está tudo dito.
    É uma sustentação absurda que não dá sequer para discutir.
    O que a realidade nos mostra é que foram os partidos do dito centrão, mais o PP que colocaram o país no estado em que está.
    Claro que as eleições, que são neste regime, a forma mais eficaz de dar voz ao povo não interessam à direita.
    Afinal a democracia só serve quando é conveniente, com o povo submisso...

    ResponderEliminar
  8. Ó Sampaio,

    Tu és daqueles que achas que pelo fato de teres uma livraria falida, isso te torna num intelectual, só porque lêr alguns alfarrábios dos anos 60 e 70 que hoje se exportam para a américa latina?

    Fogo, estamos arranjados com intelectuais como tu.

    Só espero que entres na lista autárquica a Évora, para a malta se rir de ti todos os dias. Bem que precisamos de um tonto na campanha, para malhar no gajo ....

    ResponderEliminar
  9. António Gomes07 abril, 2013 17:49

    O´anónimo de O7 Abril, 2013 17;27, Deves ser intelectual de meia tijela ou então analfaburro, pelo aquilo que dizes...
    Também pelo que dizes, deves ser um frustradozito que aproveita um blog para dizeres meia dúzia de babuseiras, pois lá em casa, ou na rua ninguém te deve ligar.
    Deves te julgar um previlegiado de direita que gostarias de estar com aqueles gajos de direita que se julgam ricos, mas que não te aceitam no seu meio. Vais chuchando no dedo a olhares para eles.
    Se eu fosse gestor do blog há muito tempo que te calaria, assim como outros frustrados como tu.

    ResponderEliminar
  10. Sampaio

    Visão de direita aquilo que eu disse às 16:39?

    Sinceramente.
    Acabo aqui a minha argumentação. Não vale a pena.




    ResponderEliminar
  11. 18:11
    Não acabe.
    Argumente, não se sinta melindrado com as minhas palavras.
    O debate é bom.
    Explique porque é que dar voz aos cidadãos, numa altura em que este governo está à deriva, a insistir no erro até à exaustão, é uma má solução.
    Explique o que é para si a extrema esquerda e porque a considera caquética.
    Explique qual a alternativa que considera viável.
    Seria interessante lermos a sua visão.
    Digo isto sem ironia.
    Comentários como os seus são bem vindos, senão corremos o risco de nos vermos reduzidos a intervenções como a do distinto anónimo das 17:27 e aí... nem direita nem esquerda, apenas lixo...

    ResponderEliminar
  12. M.Sampaio eleições tem calendário e normas, porque tem que se montar as candidaturas entrar em campanha e criar um programa politico no mínimo mês e meio a 2 meses,depois ganha o ps sem maioria e ficamos como?E em que estado financeiro vivemos até essa decisão,estamos nas mãos dos credores.
    A demagogia tem limites!

    ResponderEliminar
  13. Qual melindrado qual quê Sampaio.

    Você e a esquerda lembram-me aquele cantor pimpa que não cantava nada embora governasse a vida cantando, argumentando que nem todos podiam cantar como o Sinatra.

    Mas a extrema-esquerda em Portugal consegue ao menos enxergar e entender que o Povo não a quer, não confia nela e ideologicamente não a subscreve?

    O "irmão" Finlandês do Bloco de Esquerda, a União de Esquerda, está no poder numa coligação de 6 partidos numa espécie de PSD com CDS com Verdes. Coligaram-se para vencer uma coligação xenófoba, os Verdadeiros Finlandeses.
    Alguma vez os caquécticos do Bloco de Esquerda seriam capazes de feito semelhante em nome do país e da pátria????

    ResponderEliminar
  14. Foi exactamente o que se passou em 2001...
    claro que o programa já estava elaborado e chamava-se memorando de entendimento...
    Além do mais este governo, além de não possuir qualquer legitimidade política, já que a sua prática fica nos antípodas das promessas eleitorais, essas sim demagógicas, sustenta-se numa maioria fictícia, que já não corresponde de todo à vontade dos eleitores, quanto mais não fosse as eleições teriam essa utilidade, clarificariam.
    De qualquer das formas, se este governo continuar em funções, tenho sérias dúvidas que exista qualquer possibilidade de retoma. O segundo resgate aproxima-se a passos largos.
    Demagogia é fingir que tudo está bem.
    A esquerda vai muito bem em Portugal se as críticas, que lhe são feitas forem todas desse calibre.
    Interessante que fale na Finlândia... Uma realidade tão próxima da nossa...

    ResponderEliminar
  15. O bloco continua naquela guerra de esquerda, direita, esquerda, direita.
    A malta está-se cagando para isso.

    O Povo quer liberdade, democracia, bife, trabalho, dinheiro para férias ou carro, organização em burocracia. Coisas que só o capitalismo pode dar e que o Socialismo real ou tira, ou limita o sonho.

    ResponderEliminar
  16. ...ORGANIZAÇÃO SEM BUROCRACIA...

    ResponderEliminar
  17. Demagogia é fingir que tudo está bem,a quantos anos desenhamos este caminho de falência 15 anos no mínimo,Portugal nunca esteve bem vivia a base de credito barato e mentira politica,agora e nos próximos 10 anos vai ser bem duro voltar a realidade e pagar as contas o gigante problema.

    ResponderEliminar
  18. António José Seguro cometeu um dos mais graves erros políticos que me recordo em Portugal. Depois de ter dito que estava disponível para substituir o Governo, e questionado sobre como faria para substituir os 1200 mil milhões, disse que "quem criou o problema que o resolva". Isto é de uma inacreditável falta de senso político, que o vai perseguir a partir daqui. A minha questão: há uns tempos li que o Luis Bernardo, competente assessor de Sócrates, tinha ido trabalhar com Seguro. Já terá ele sido despedido? Ou isto saiu mesmo da cabeça de Seguro?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.