domingo, 7 de abril de 2013

Contra-poder


Calham bem esses dados: queira agradecer-vos duas coisas. A principal, é de existirem, e de fazerem o trabalho que têm vindo a fazer, todos vós. Estou em crer que o tipo de media que surgiu com os blogues vai tornar-se um pilar não do "quarto poder", o mal nomeado ou mal-entendido, mas dum contra-poder, um poder de controlo dos que detêm o poder (a qualquer nível, local, regional, nacional, internacional). Um contra-poder que não visa a tomar o poder nem colocar-se no plano dos que o disputam: partidos, instituições, políticos, etc. Mas sim um contra-poder que, ao colocar-se do lado dos que não têm poder, equilibra, controla, desvenda, critica, propõe alternativas, porventura não realizáveis de imediato. Aberturas para possíveis, desconstrução dos discursos únicos, das soluções sem alternativas, dos planos A sem planos B. Um contra-poder para o qual há SEMPRE alternativas, caminhos diferentes, objectivos diferentes, maneiras de fazer diferentes. 
A segunda razão de vos agradecer, mais pessoal, é o acolhimento que têm feito a algumas pequenas coisas que vos vou mandando, com pedido de divulgação: sempre vos pedi para não esquecerem que podem decidir não me publicar. E que sendo isso a vossa liberdade, ficaríamos amigos como antes.
Pasmo perante a continuidade do vosso esforço.
Parabéns, e obrigado.

JRdS
07 Abril, 2013 18:17

18 comentários:

  1. "O Ballet Nacional de Cuba confirmou a deserção de sete bailarinos da companhia, que não regressaram ao país depois de uma digressão artística no México e terão já solicitado asilo político aos Estados Unidos."
    Em declarações à comunicação social, os desertores afirmaram que estavam "fartos do excesso de democracia cubano, e da excelência de condições de vida e do desenvolvimento económico e social proporcionado pelo comunismo".


    ResponderEliminar
  2. @10:35
    E de Portugal desertaram, só no ano passado, 200 mil jovens licenciados por estarem "fartos do excesso de democracia portuguesa, e da excelência de condições de vida e do desenvolvimento económico e social proporcionado pelo partidos do centrão"

    ResponderEliminar
  3. Todos os dias FOGEM de portugal centenas de jovens.

    ResponderEliminar
  4. Fugirem do terceiro mundo,á procura de uma vida melhor é uma constante em vários países........Agora a Europa RICA,ver centenas de milhares de jovens FUGIREM ,porque se continuarem MORREM de FOME é a grande Novidade dos nossos dias.......os sistemas FALIRAM.

    ResponderEliminar
  5. cuidado
    quando lançares o dado
    - ele pode
    estar viciado

    já não te lembras
    que foste
    tu próprio a viciá-lo?

    ResponderEliminar
  6. ui picaram-me!

    A comunalha não pode que se fale de Cuba...nem da Coreia do Norte!!

    ResponderEliminar
  7. @13:09
    Se calhar não gostam de secretarios cretinos que olham para o mundo através do olho 'traseiro'...

    ResponderEliminar
  8. Avante camarada, avante!
    Junta a tua à nossa voz!
    Neste partido forte
    saudamos grandes líderes
    e Viva a Coreia do Norte!

    ResponderEliminar
  9. Os secretários cretinos são adeptos daqueles que exportam a 'democracia' à bomba.
    Ainda ontem, no Afeganistão, foi assassinada uma dezena de crianças, por uma 'bomba democrática' lançada por um 'democratíssimo avião' dos EUA.
    E, para não variar, a 'democratíssima' imprensa ocidental, 'esqueceu-se' de dar a notícia.

    ResponderEliminar
  10. O MPLA está na Internacional Socialista,quem diria.......Socialismo democrático...........rapaziada que enriqueceu.......ao lado do nosso PS na IS.

    ResponderEliminar
  11. @14:33
    Para os cretinos isso não são crimes mas actos de legítima defesa.
    Um povo querer ser livre e capaz de determinar o seu próprio destino, é que é uma 'acção' terrorista que é preciso liquidar à nascença. Nem que seja à bomba, sobre civis inocentes!

    Afinal, tal como há 500 anos, continua a ser preciso levar a civilização aos selvagens e expandir a fé e o império... Nem que seja à bomba, sobre civis inocentes!

    ResponderEliminar
  12. Enquanto uns emigram ou imigram em livremente outros fogem.

    Logicamente que a comunalha não gosta. Ainda estamos para conhecer um regime da comunalha que cujos cidadãos sejam plenamente livres sem se tornarem sabujos da carneirada.

    ResponderEliminar
  13. @21:18
    Os 200 mil jovens licenciados que emigraram no último ano, só o teriam feito livremente se tivessem tido oportunidade de trabalhar em Portugal. Infelizmente parece que a liberdade deles se dividia entre trabalhar no estrangeiro ou ficar cá no desemprego a morrer à fome ou a viver à custa da família. Se isso é liberdade de escolha, vou ali e já venho...

    ResponderEliminar
  14. Por falar em Afeganistão. Ainda se lembram do tempo em que eram os aviões da URSS a bombardear as aldeias? Essas Também eram por uma causa justa.
    Entre uns e outros venha o diabo e escolha...

    ResponderEliminar
  15. @12:20
    Por isso a escolha não é entre "uns e outros", mas entre os que querem ter direito a escolher o seu próprio destino, como povos livres e independentes, e os que impôem a força do império a tiro e à bomba, saqueando as riquezas dos povos a pretexto de espalharem a fé e a 'democracia'.
    Aos novos imperadores do mundo, só quero que vão á bardamerda! Eles e os cretinos que os servem.

    ResponderEliminar
  16. Pois, gostava era de te ver a ter esse discurso quando era a URSS a bombardear as aldeias e a matar civis (e foram muitos milhares).
    Portanto, no que diz respeito ao Afeganistão, só mudou a origem dos aviões que transportam as bombas. Os civis são sempre os mesmos: afegãos inocentes.

    ResponderEliminar
  17. A comunalha teve, tem e terá sempre telhados de vidro em matéria de liberdades, direitos e garantias.

    Julgam que os outros são malucos ou que perderam a memória pelo facto de ficarem desempregados ou terem que lutar por eles mesmos para melhorar de vida.

    ResponderEliminar
  18. Quem nasceu para vintém não chega a tostão. E quem nasce cretino, dificilmente deixará de o ser...
    E, o pior, é que se julga doutor.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.