domingo, 21 de abril de 2013

Candidatura de Lopes Guerreiro apresentada em Beja


O movimento independente "Por Beja Com Todos" apresentou este sábado a candidatura à Câmara Municipal de Beja de Lopes Guerreiro, antigo militante do PCP, ex-vereador da Câmara de Beja e ex-presidente da Câmara de Alvito. O movimento pretende concorrer, senão à totalidade, pelo menos à maioria dos órgãos autárquicos do concelho de Beja.
No discurso de apresentação, perante mais de seis dezenas de apoiantes, Lopes Guerreiro disse que "enquanto os partidos políticos preparam as suas campanhas eleitorais nas suas sedes, entre dirigentes e militantes, nós “Por Beja com todos” já percorremos todas as freguesias em contactos directos com as populações, a quem manifestamos o nosso reconhecimento pela forma como nos receberam".
O candidato independente considerou que "o concelho de Beja vive uma depressão como há muito não se sentia", que é necessário inverter.
"Candidatamo-nos à Câmara Municipal de Beja porque pretendemos romper com algumas formas de fazer política. Não nos apresentamos contra qualquer força partidária. Apresentamo-nos por Beja. Recusamos a “clubite” do “nós somos os bons e tudo sabemos” e “os outros são os maus e deles não se espera nada de bom”. Afirmamo-nos pela positiva, pela apresentação de propostas. Queremos ter um papel unificador e aproveitar tudo o que de melhor cada um tenha para dar por Beja. Queremos ser parte, se possível uma grande parte, das soluções para Beja. Por isso, mais do que perguntarmos o que Beja pode fazer por nós, queremos saber o que podemos fazer por Beja. E também sabemos que todos podemos fazer muito por Beja. Por e para isso, queremos contar COM TODOS os que queiram fazer alguma coisa POR BEJA", disse o candidato. 
Sobre os mecanismos eleitorais, Lopes Guerreiro considerou que "as maiores dificuldades colocam-se logo à partida, na preparação dos processos eleitorais a entregar ao Tribunal. Qualquer partido político, mesmo que não tenha qualquer aderente no concelho, pode apresentar-se a eleições desde que consiga constituir listas com o número mínimo de candidatos. E pode fazê-lo no dia em que termina o prazo de apresentação das listas no Tribunal.No caso de candidaturas independentes, como as nossas, é necessário constituir as listas com tempo suficiente para recolher o número legal de assinaturas de subscritores, que no caso do Município de Beja são de cerca de 1 500. Este é apenas um exemplo de como partidos políticos, que afirmam o seu interesse na qualificação da democracia e no fomento da cidadania, dificultam, na prática, através da legislação que aprovam, que tal se concretize".
Durante a apresentação foram lidas diversas mensagens de apoio à candidatura e a Lopes Guerreiro, entre as quais uma mensagem de Manuel Castro e Brito, presidente da ACOS-Agricultores do Sul e da Federação das Associações de Agricultores do Baixo Alentejo (FAABA). O presidente dos agricultores decidiu tornar "público o seu apoio", acrescentando que "é importante" que o tenha feito por reconhecer que Lopes Guerreiro é "um homem de convicções" e que luta "por verdadeiros ideais", justificou.
Ler notícia da rádio pax aqui. Também aqui.

5 comentários:

  1. É Uma tristeza que na biografia divulgada pela candidatura de Lopes Guerreiro candidadto em Beja por um dos chamados Movimentos, é ser ex militante do PCP. Até que o ponto o anti comunismo primário toma conta das mentalidades mesquinhas e perconceituosas, julgo que Beja merece melhor, Beja não merecia ser tratada assim, estou certo que o povo de Beja ja percebeu e não se deixa levar pelo anti comunismo parolo e perconceituoso da equipa que lidera esta candidatura..

    ResponderEliminar
  2. Este é mais um exemplo de como o PCP tem conduzido, nos últimos anos, os processos de militantes incómodos ou menos concordantes com a nomenclatura.
    Lopes Guerreiro andou, durante anos a oferecer-se ao PCP para fazer alguma coisa, ou seja a pedir que lhe fossem atribuídas tarefas. Parece que as direções foram achando que a solução era ignorar, silenciar. Quando Lopes Guerreiro decidiu entregar o cartão de partido mais uma vez aconteceu o silêncio.
    O resultado é que agora o mesmo partido tem a sua candidatura à Câmara de Beja dificultada por esta candidatura de independentes que apresenta um discurso e uma postura que não é diferente do que propõe o PCP em termos de serviço às populações. Diferem apenas em pormenores de apresentação ao eleitorado.
    É caso para dizer "não havia necessidade" do PCP arranjar lhenha para se queimar.

    ResponderEliminar
  3. O PCP faz o que lhe apetece contra tudo e todos. Atao nã querem enfiar um gajo de montemor pela goela dos eborigenes adentro!

    ResponderEliminar
  4. existe em muita cabeça um preconceito enorme.
    o facto de se ser ex militante do PCP não faz de ninguem anti comunista.
    existem milhares de comunistas ex-militantes do PCP.
    não por terem deixado de ser comunistas mas por na direcção do pcp haver cada vez menos conumistas

    ResponderEliminar
  5. Esta candidatura é apenas uma vingança contra a CDU e uma ajuda benéfica ao Pulido Valente, que vai ganhar outra vez a Câmara sem qualquer esforço:"uma casa dividida arruina-se a si própria e acaba por desmoronar-se"...Vai se assim com a esquerda em Beja.
    Esta ajuda será a troco de quê????

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.