segunda-feira, 29 de abril de 2013

Adeus, Carmen Balesteros Martins.


Carmen Balesteros findou hoje o seu caminho. Foi professora, investigadora, autarca, mulher. Foi intensa. Encantou e encantou-se. Terminou hoje a sua batalha com uma doença a que habitualmente chamamos de prolongada. Neste caso o calendário marcou cerca de 4 meses. Nasceu em Evoramonte mas foi Évora que a acolheu durante mais tempo.  A Universidade de Évora, mais recentemente a Escola Secundária Gabriel Pereira, ou a Assembleia Municipal de Évora, são apenas algumas das muitas instituições que contaram, ao longo dos anos, com o seu empenhado contributo. Nas ruas desta cidade fica, concerteza, o perfume do seu sorriso de mulher solidária.

ACT.  O corpo de Carmen Balesteros já se encontra na Igreja de São Tiago em Évora, donde sairá amanhã, depois das 10h30 para o cemitério do Espinheiro.

5 comentários:

  1. Mulher de uma cultura excepcional, Évora muito lhe fica devendo na contribuição para um melhor conhecimento do seu passado. Como investigadora dela recordo um excelente estudo sobre a Sinagoga Medieval de Évora, publicado no nº1 da II série do Boletim da Cidade de Évora.Será um lugar comum mas neste caso bem verdadeiro: com o seu desaparecimento Évora fica mais pobre.Paz à sua alma.

    ResponderEliminar
  2. Esta professora foi das que deixava marca.
    Não foi nada bem tratada pelo poder instituído.
    Pensava por si própria, dizia o que pensava. E isso incomodava os mandões do costume.
    Fará falta aos seus alunos, colegas, amigos, familiares.
    Bem haja ela e bem hajam todos os que beneficiaram do seu convívio na sua curta passagem por este mundo.

    Carvalho

    ResponderEliminar
  3. Anónimo Carvalho, isso de pensar pela própria cabeça não é bem visto pelas nomenklaturas do regime!!

    ResponderEliminar
  4. a MORTE não merecia

    este sorriso

    - que não se apague, esteja onde estiver

    ResponderEliminar
  5. Recordo esse sorriso de há mais de 40 anos, desde a escola primária.
    Minha querida amiga só te queria voltar a abraçar, não tive tempo...até já
    Maria Macedo

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.