sábado, 2 de março de 2013

Vem cantar a "Grândola Vila Morena/Terra da Fraternidade"


Mais de 40 cidades, em Portugal e no estrangeiro, vão aderir hoje às manifestações convocadas pelo movimento “Que se lixe a troika, o povo é quem mais ordena”, para pedir o fim das políticas de austeridade.
Com o lema “Que se lixe a troika, o povo é quem mais ordena”, a manifestação coincide com a presença da delegação da troika (Comissão Europeia, Banco Central Europeu e Fundo Monetário Internacional), em Lisboa, para fazer a sétima avaliação do memorando de entendimento.
O movimento “Que se lixe a troika”, que organizou uma das maiores manifestações realizadas em Portugal, a 15 de setembro do ano passado, prevê para hoje vários e enormes protestos pelo país.
“Vai ser uma manifestação gigante. Se vai ser maior ou não do que a de 15 de setembro, não importa. O importante é sentir o pulso da sociedade, que é uma sociedade profundamente revoltada, desiludida e zangada com o rumo que tudo está a levar”, disse à agência Lusa uma das subscritoras do apelo, a jornalista Myriam Zaluar.
Vários movimentos, deputados e militantes do PS, BE e PCP e os presidentes das três associações socioprofissionais de militares vão marcar presença nas manifestações, que contam também como a adesão da central sindical CGTP.
Em Lisboa, está também previsto que cinco “marés” - da educação, da saúde, dos reformados, a maré feminista e do arco-íris - se juntem à manifestação que vai sair do Marquês de Pombal e desaguar no Terreiro do Paço, onde está montado um palco para, às 18:30, se entoar “Grândola, Vila Morena”.
A canção de José Afonso vai ser também cantada à mesma hora nas restantes cidades que acolhem as manifestações, que têm início marcado para as 16:00.
No Porto, a manifestação tem local marcado para a praça da Batalha, e vai contar também com as “marés” dos direitos humanos, a cultural, da educação e dos reformados.
No estrangeiro, a “Grândola, Vila Morena" vai também ouvir-se em Barcelona, Boston, Budapeste, Estocolmo, Londres, Madrid e Paris.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.