domingo, 24 de março de 2013

"País de gestores" ou um apelo para ver para lá da imagem, do marketing e da superficialidade


"(...) O nosso problema hoje é a falta de doutores e sermos um país de gestores. As últimas gerações no poder são gerações de gestores, são conhecedores de vazios e chavões, são obcecados da palavra inovação e nada inovam nem inventam, a maior parte formados nessas universidades de cursos rápidos que aproveitaram as tais oportunidades de mercado – um mercado de ascensões sociais aceleradas – para vender um saber vulgarizado, agora abastardado ao ponto a que chegámos de se produzir iliteracia em ambiente universitário, todo ele muitos eventos e performativo.
O problema hoje é que somos um país de gestores e de engenheiros rápidos (mesmo aos doutores o que se pede é que sejam gestores) pessoas incapazes de uma visão política culturalmente informada, incapazes de perceber o mundo para além do seu horizonte salarial e tráficos possíveis alcandorados na posição política. A política é uma forma de capitalizar. (...)"
 Fernando Mora Ramos aqui

9 comentários:

  1. ainda mais do que gestor, o que se exige a todo o mundo é que seja "EMPREENDEDOR"

    tudo pode/tem que ser empresa, terminar em negócio.
    um bom dramaturgo/poeta/sonhador só o é quando o que escreve é traduzível em faturação
    =
    igual a lucro, a imposto, a fuel para a máquina do estado

    ninguém se preocupa em analisar uma ideia, um ato criativo, uma inovação
    bem pelo contrário - quem não pense euro (engenheuro/costureuro/empreiteuro)
    é tomado como parasita, a tal "pedra no caminho" para o carro-de-mão do estado social.
    produzir não implica pensar: é fazer, e vender

    abraço ao meu velho amigo Fernando,recordando o tempo de um ano como este - pródigo em chuva - partilhávamos um habitáculo
    em que não havia alguidares de plástico que chegassem para dar resposta adequada às goteiras do telhado

    ResponderEliminar
  2. Mas os gestores que nos têm andado a gerir também não têm capitalizado em desalanvancado.OPIB diminuiu, o défice aumentou e o desemprego também. Já para não falar do que os jornais não falam...a qualidade dos serviços...onde a ânsia dos números diminui a qualidade dos serviços...
    Uma boa dona de casa fazia muito melhor do que os nossos ministros e por menos dinheiro.

    ResponderEliminar
  3. O que se quer aqui é gente de trabalho.
    Gente capaz de arriscar e empreender o seu próprio negócio.
    Precisamos de pesca, de agricultura de indústria.
    Mas duvido que o povo Português em Portugal saiba fazer isto.

    Disto é que precisamos.

    ResponderEliminar


  4. Sócrates vai voltar ... voltar com contas feitas , porque e sei por outros meios , que este gajo do PSD aproveitou a deixa do "buraco" do PS para pedir um reforço muito acima do que estava a situação do País . Pediu mais 10 vezes ao FMI para e vejam só : Garantir á custa dos cortes de salários e aumento de impostos , a liquidez de 3 bancos Portugas .

    Faz - me lebrar antes no passado uma família tinha 4 ou 5 empréstimos nos valor de 100 mil e aparece um banco para juntar tudo e oferecer um reforço adicional . Em vez de 100 mil ... podia ser 150 mil .

    Passos enganou os Portugueses !!!

    Existem mil e uma dívidas , na altura e hoje ; No entanto os euros retirados e dados nada servem para a tapar , apenas fornecer poder a 3 bancos : CGD : BPI e BCP ... porque o resto dos outros é tudo teias de aranha destes .

    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  5. 70 por cento dos Doutores que se formam em Portugal vivem às custas do Estado. Os restantes 30 têm isso por objectivo.

    ResponderEliminar
  6. Bom BOm mesmo era ter artistas e ensaiadores no governo

    ResponderEliminar
  7. O que não falta no governo são "artistas".

    ResponderEliminar
  8. O PIB diminuiu,o défice aumentou, a dívida aumentou e o desemprego também...contra todas as previsões do Gasparzinho... afinal de contas para que o queremos? Se não serve: RUA
    O Estado serve para "organizar" e não para LAPIDAR. Se eles querem lapidar..que vão lapidar para outro lado!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  9. Por favor: não comecem com as discussões sobre a queda partidária de quem fala!!!! acho que chegamos a um momento em que a discussão tem que ter conteúdo. Temos que discutir o que queremos e o que fazemos. A discussão tem que ser extra partidária.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.