segunda-feira, 11 de março de 2013

Os números são do INE: só no ano passado foram destruídos mais de 200 mil empregos em Portugal


A economia portuguesa destruiu mais de 205 mil empregos só no ano passado, levando o número de empregos na economia para o nível mais baixo dos últimos 17 anos, de acordo com os dados hoje divulgados pelo INE.
No final de 2012 o total de emprego (em contas nacionais) ascendia a 4.655,6 mil pessoas, menos 205,6 mil que o registado no final de 2011, segundo os dados divulgados nas Contas Nacionais Trimestrais e Anuais Preliminares de 2012.
Este valor tem vindo a cair desde 2006, com uma ligeira melhoria no ano de 2008 para voltar a cair logo de seguida de forma pronunciada. Desde essa altura que a economia já destruiu mais de 490 mil empregos.
O número de pessoas empregadas caiu para o nível mais baixo desde o quarto trimestre de 1995, quando o número de empregos estava nos 4.553,7 mil, mas numa fase ascendente. (LUSA)

26 comentários:

  1. "...Desde essa altura que a economia já destruiu mais de 490 mil empregos..."

    Julgo que o autor não queria dizer isto.
    O que destruíu o emprego foi a política

    ResponderEliminar
  2. É o velho problema da esquerda. Confunde economia, finanças e politica.

    Para a extrema esquerda a economia sempre foi uma coisa suja, porque acham eles que a finança usa a economia para criar desemprego.

    Que confusão nestas cabeças.

    ResponderEliminar
  3. Quando se apostou numa economia de betão e ferro com o estado a ser o maior dono e propriatario de obras fica tudo dito acerca de desemprego.

    ResponderEliminar
  4. @14:32

    Desculpe!
    "...Quando se apostou numa POLITICA de betão e ferro..."

    Acho que o grande défice dos Portugueses é não saberem o que significa economia enquanto ciência social! Economia devia ser obrigatório logo na 1ª classe como o Português e a Matemática.


    No seu caso o que aconteceu foi uma POLITICA de betão e ferro julgando o Estado que combatia o desemprego - menos desemprego significa melhores índices económicos.
    O que aconteceu (e muito bem dito pela Sra Manuela Ferreira Leite embora a esquerda folclórica tenha vindo a público ironizar a senhora) foi que as obras, só baixam a taxa de desemprego na Ucrânia ou nos PALOP.

    ResponderEliminar
  5. É que nos anos 90 representou a viragem sócio económica para muitos descendentes que sofreram com a ditadura e a PIDE .

    Começaram ainda que com empréstimos a ter algo seu com o sacrifício de pagar a quem deve .

    Durou pouco tempo pois agora perderam novamente tudo e voltou-se aos tempos antigos , os descendentes vão novamente passar dificuldades e o que mais preocupa é os números dia a pós dia sempre negativos .

    Pergunta-se , como é que agora vão tirar estas vidas destruídas na casa dos 40 anos para uma situação auto - suficiente e independente .

    Abismo !

    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  6. Seria interessante que esclarecessem de uma vez por todas, se acreditam mesmo no que afirmam, ou se pelo contrário o fanatismo vos tolda a visão.
    Então não é que quem começou, com a aposta nas obras públicas, com a autoestradas, e mais umas quantas, foi o Cavaco?
    Quem começou a dar a machadada na produção de transaccionáveis foi o Cavaco? quem arrasou com o sector primário foi o Cavaco?...
    Não é que foi no tempo do Cavaco que o sector financeiro se alcandorou até à posição em que hoje se encontra?
    Esquerda folclórica? ou Extrema direita pimba?
    Se não for o estado a alavancar a economia, quem o fará? Os bancos? As seguradoras? as pequenas e médias empresas falidas? Os merceeiros com domicílio fiscal na Holanda?
    Quem?
    Tenham paciência, mas isto começa a ser de mais, só mesmo por má fé se podem dizer alarvidades dessas.
    Vão lá para Chicago ao beija mão ao Milton.
    Já não há pachorra!

    ResponderEliminar
  7. GRANDE CANDIDATA DO BLOCO DE ESQUERDA Á CÂMARA DE ÉVORA. MARIA HELENA FIGUEIREDO. UMA MULHER QUE VAI DAR OUTRO SENTIDO ÁS AUTARQUICAS E QUEBRAR A BIPOLARIZAÇÃO ENTRE O PC, QUE VEM COM UM CANDIDATO REQUENTADO, E O PS, QUE PARECE QUE NÃO CONSEGUE ENCONTRAR QUEM SE CANDIDATE.
    DESTA VEZ, UMA BOA ESCOLHA.

    ResponderEliminar
  8. É uma ex-PS e ex-alegrista? Então e o Sampaio correram com ele?

    ResponderEliminar
  9. gostei desta "o requentado....". Pior do que requentado... tá completamente "fora de prazo" e o prazo já nem consta da embalagem.

    ResponderEliminar
  10. M.Sampaio o senhor tem memoria curta Cavaco só cumpriu o que Mário Soares assinou no tratado de adesão a cee em 12-06-85,o famoso acordo onde Portugal ia ser subsidiado a não produção na agricultura e pescas e onde o desenvolvimento vinha das vias rápidas auto estradas e pontes,esta a vista e a esquerda não gosta.
    Espanha assinou o mesmo acordo no mesmo dia mas lá foi no apoio e desenvolvimento e a produção e na obras publicas terminais de logística nos portos e na ligação da via férrea a Europa para mercadorias,grande diferença.

    ResponderEliminar
  11. O Sampaio fez o papel dele, mal ou bem, está feito.
    O Sampaio candidato é algo que jamais se repetirá em qualquer circunstância.
    O Sampaio empenhado na cidadania, na transparência nos valores republicanos, sempre!

    ResponderEliminar
  12. 17:30
    está a brincar...
    certo?
    Só pode...

    ResponderEliminar
  13. Brincar? é a realidade em Espanha estava Aznar foi essa a diferença,leia o acordo e percebe porque Cavaco e outros até bem recentes como Sócrates empurrando pela UE numa politica expansionista de divida,tem seguido esta linha primeiro CEE e depois EU a politica de domínio dos países mais ricos sobre os mais pobres.

    ResponderEliminar
  14. Brincar?12 Junho de 1985 - É assinado, em Lisboa, o Tratado de Adesão de Portugal à CEE. Espanha assina o Tratado de Adesão em Madrid no mesmo dia
    6 de Outubro de 1985 - PSD vence legislativas e Cavaco Silva é eleito primeiro-ministro,esta a ver a quem calhou o tratado?Quem negociou nem teve tempo de nada nem responsabilidade na sua execução!
    È bom ter memoria!

    ResponderEliminar
  15. Aznar?
    É o que eu digo, só pode estar a brincar...
    quanto às negociações, enfim... foram de anos, com inúmeros intervenientes...
    mas se falarmos do executivo à época, era uma coligação PS/PPD.
    Mário Soares/ Mota Pinto, que o Cavaco denunciou depois da rodagem do seu pópó até à Figueira da Foz.
    O resto é história, nem com benzina o conseguimos ainda remover...

    ResponderEliminar
  16. Oh Sampaio


    Percebes tanto de economia, contas públicas ou finanças como o Sol que está a fazer agora lá fora.

    Não há é pachorra para levar com pseudo intelectuais e arrogantezinhos de extrema esquerda como tu pá!
    Um tipo como tu em vereador numa camara era uma anedora.

    Trata-te pá

    ResponderEliminar
  17. Aznar é que assinou o acordo de adesão de Espanha a cee e foi no mesmo dia,a historia é que pagamos hoje a factura,porque os erros reflectem-se no futuro,aderimos mal a cee sem se impormos e aderimos mal a UE por a mesma situação e hoje estamos de calças na mão sem aparelho produtivo e afogados em dividas debaixo dos credores por 20 anos conforme o calendário de pagamentos de divida que é publico.

    ResponderEliminar
  18. Pois foi o ideal socialista a cee foi para a modernização choviam subsidiou e que amigalhaços ex feoga foi um escândalo total e a seguir UE para integração total,que bom moeda única sem fronteiras todos irmãos e amigos e o resultado esta a vista!

    ResponderEliminar
  19. O Aznar foi chefe do governo entre 1996 e 2004.
    quem assinou o tratado de adesão foi Felipe Gonzalez...

    ResponderEliminar
  20. 22:06
    você é cretino por gosto?
    Ou é mesmo vocação?

    ResponderEliminar
  21. António Gomes12 março, 2013 10:28

    Miguel, os anónimos das 22:11 e 22:16, para além de cretinos, são burros. E já reparaste que nem português sabem escrever.

    ResponderEliminar
  22. Gomes

    Ainda não atingi o alcance metafisico das tuas observações.
    Não sei se as situe no campo da "puxassaquice" se no ramo "gryllidae" do “canta canta mas não alegra”.

    ResponderEliminar
  23. @12:01
    Pois não. O António Gomes não escreve para cretinos.

    ResponderEliminar
  24. Mas quem é o António Gomes?

    ResponderEliminar
  25. 10,28 Explique o que deu a Cee e a UE
    a Portugal?Eu ajudo divida e défice!
    Os comunistas foram sempre contra adesão neste assunto dou total razão esta a vista.

    ResponderEliminar
  26. António Gomes12 março, 2013 23:09

    Ó homem das 12 Março, 2013 16;06, penso que continuas intrigado e aflito com os meus comentários.
    Afligem-te? Sabes que tenho medo de novos pides.
    Queres saber quem sou? Queres combinar um encontro para discutirmos ideias a sério?. Marca o lugar.
    Para já, digo-te, que sou realmente António Gomes, que não vivo em Évora, apesar de conhecer bem essa cidade aí ter muitos amigos. Nascido de pais alentejanos humildes que, fossaram a terra para poderem viver e me alimentarem a mim e aos meus outros dois irmãos, de que muito me orgulho e de quem recebi princípios de vida que, ainda hoje, me norteiam, que incuti aos meus três filhos e que estou a incutir aos meus quatro netos.Visitei Évora pela primeira vez, apesar de não viver muito longe, para fazer o meu exame de admissão ao Liceu, porque a minha professora do ensino primário, acreditava em mim e queria que eu fosse mais longe. Pelas explicações para o exame de admissão nada paguei e a minha ida a Évora para o exame de admissão foi, também ela que suportou todas as despesas. Para mim, a seguir aos meus pais, continua a ser a melhor mulher do mundo.
    De Évora parti para a guerra colonial.Aí formei batalhão.Uma guerra que suportei, porque, apesar de convidado para dar o fora, de que nunca me arrependeria se o tivesse feito, mas que não fiz, porque meus pais, na sua boa ignorância, não compreenderiam esse meu acto, apesar de lho ter bem explicado.A sua fé prevaleceu, ao ouvir-lhe, "vai porque virás vivo".
    Chega-te?
    Poderás conhecer um pouco mais da minha vida se marcares o tal encontro.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.