quarta-feira, 6 de março de 2013

O que mais interessa? O Cabeça ou a equipa?

Estamos em período pré eleitoral. É tempo das escolhas que antes de serem apresentadas, se ultimam por estes dias, em salas fechadas, corredores insuspeitos, por via de relações muitas vezes inconfessas, ou de interesses mais e menos explícitos.

E o que preparam os principais partidos políticos por estes dias?
A apresentação de cabeças de lista, ou seja, de nomes potencialmente vencedores de eleições, que consequentemente serão Presidentes de Câmara, ou ocupam-se nesta altura com a construção de equipas capazes de conduzir processos, opções, gestão da coisa pública, em exigentes quadros de proximidade, inclusividade e sustentabilidade ?

E os cidadãos eleitores?
Estarão por esta altura,  e até final deste ano, mais interessados em conhecer o cabeça de lista  ou a equipa que governará o concelho onde habitam?

38 comentários:

  1. 80 MILHÔES de DIVIDAS é o legado do Partido Socialista aos EBORENSES.

    ResponderEliminar
  2. Os responsaveis têm NOME:

    MELGÂO

    CAPOULAS SANTOS

    Fernanda Ramos

    António Serrano

    Bravo Nico

    Troncho

    Paula de Deus

    ResponderEliminar
  3. Não é 8 meses que surgem as verdadeiras e pensadas candidaturas,agora surge os oportunistas que aproveitam a falta de....para se puderem fazer sobressair,mas no estado actual da nossa autarquia o para-quedista ou a para-quedista vai esbarrar na divida versus ingovernabilidade a curto prazo garantida.

    ResponderEliminar
  4. Um líder é importante, mas por melhor que seja nada pode fazer sem uma BOA EQUIPA que o apoie e sem BOAS IDEIAS para aplicar.

    Aliás, o que se devia estar a discutir eram as IDEIAS para resolver os problemas da cidade e do concelho. Só depois disso, faz sentido discutir os nomes das pessoas em melhores condições para as aplicar.

    Infelizmente, são mais aqueles que preferem discutir a cor dos olhos e das gravatas dos candidatos.

    ResponderEliminar
  5. As voltas e reviravoltas que esta gente do PC dá para justificar terem corrido com o Eduardo Luciano de cabeça de lista e de o terem colocado em segundo. Parece que imaginam que todos são marionetes como eles que por um bocado de poleiro se submetem a tudo. Até dava para fazer um filme que se podia chamar - quando os comunistas tinham espinha dorsal.

    ResponderEliminar
  6. Pronto já é oficial.

    Antigo presidente em Montemor-o-

    O antigo presidente de Montemor-o-Novo, Carlos Pinto de Sá, que deixou o cargo em dezembro, vai ser o candidato da CDU à Câmara Municipal de Évora nas autárquicas deste ano, foi hoje anunciado.

    Carlos Pinto de Sá foi escolhido como cabeça-de-lista a Évora "após profunda e participada discussão" no seio da concelhia de Évora do PCP, divulgou o partido, em comunicado.

    O candidato comunista à autarquia da sede de distrito, liderada pelo PS, foi presidente da Câmara de Montemor-o-Novo durante cinco mandatos consecutivos, ou seja, desde 1993, sempre eleito pela CDU e com maioria absoluta.

    No dia 01 de dezembro deixou oficialmente o cargo - foi substituído pela vice-presidente, Hortênsia Menino - para voltar à sua profissão, como professor de Economia na Universidade de Évora.

    Nascido em Montemor-o-Novo, Carlos Pinto de Sá, de 55 anos, é o primeiro candidato oficialmente anunciado à Câmara de Évora.

    O cabeça-de-lista, recordou o PCP, "desde cedo abraçou a luta pelos ideais da liberdade" e participou "na resistência ao fascismo, integrado no MDP/CDE".

    Membro do PCP desde 1974, Carlos Pinto de Sá foi fundador da Associação de Estudantes da Universidade de Évora, onde leciona nas áreas de política económica, história do pensamento económico e economia da integração europeia.

    Além de ter liderado a Câmara de Montemor-o-Novo, presidiu à GESAMB e ao Conselho Fiscal da Associação Nacional de Municípios Portugueses.

    Integrou o Conselho Nacional da Reserva Ecológica Nacional e é membro do Comité das Regiões da União Europeia.

    Segundo a concelhia do PCP, a candidatura a Évora para as eleições autárquicas que decorrem este ano será apresentada numa iniciativa pública, "no início do mês de abril".

    A Câmara Municipal de Évora é presidida pelo socialista José Ernesto Oliveira, que está a cumprir o seu terceiro e último mandato.

    O autarca não se pode recandidatar, devido à lei da limitação de mandatos, e o PS, até ao momento, ainda não divulgou qual vai ser o seu cabeça-de-lista nas autárquicas deste ano.

    O executivo da Câmara de Évora é composto por três eleitos do PS, três da CDU e um do PSD.

    No distrito de Évora, o PS lidera sete câmaras, a CDU quatro e as autarquias de Estremoz, Redondo e Alandroal são geridas por independentes.

    ResponderEliminar
  7. Nota de Imprensa

    Nota de Imprensa



    Após profunda e participada discussão na organização concelhia do PCP e com os muitos independentes que participam no projecto autárquico da CDU, a comissão concelhia de Évora do PCP informa que o candidato à presidência da Câmara Municipal de Évora é Carlos Pinto de Sá.

    Nascido em Montemor-o-Novo, com 55 anos de idade, Carlos Pinto de Sá desde cedo abraçou a luta pelos ideais da liberdade tendo participado na resistência ao fascismo integrado no MDP/CDE.

    É membro do PCP desde 1974, foi fundador da Associação de Estudantes da Universidade de Évora onde é professor de Economia nas áreas de política económica, história do pensamento económico e economia da integração europeia.

    Foi presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Novo, da GESAMB e do Conselho Fiscal da Associação Nacional de Municípios.

    Foi membro do Conselho Nacional da Reserva Ecológica Nacional é membro do Comité das Regiões da União europeia.

    Publicou diversos trabalhos em diversos domínios como a organização da atividade económica e o emprego, a organização e o financiamento do Poder Local, a regionalização

    A CDU apresentará numa iniciativa pública, a ter lugar no início do mês de Abril, a candidatura às eleições autárquicas para o concelho de Évora, apelando desde já à participação de todos os que querem pôr fim ao descalabro da governação local dos últimos 12 anos, empenhando-se na construção de uma gestão participada, com a confiança de que juntos é possível a mudança que Évora merece.

    COMISSÃO CONCELHIA DE ÉVORA

    ResponderEliminar
  8. Carlos Pinto de Sá e Eduardo Luciano, dois bons nomes para uma EQUIPA de gente capaz de tirar a autarquia do marasmo para onde a gestão incompetente do PS a conduziu.

    ResponderEliminar
  9. Luciano em 2º? Desejo melhor sorte a P. Sá e especialmente a Évora. A equipa, neste caso é fundamental, são precisas pessoas que trabalhem e percebam a sério do assunto e não de garotos(as) palradores(as) a quem só interessa a promoção pessoal e dos “amigos”.
    Estou confiante de que isso não vai acontecer, P.Sá tem muita experiência e sabe bem o que precisa para resolver a catástrofe que o PS nos deixa.

    ResponderEliminar
  10. "Catátrofe" é a palavra certa para aquilo que o PS vai deixar em 'herança'.

    Sem receitas suficientes para pagar a dívida e com os funcionários mal-tratados e desmotivados, não vai ser nada fácil, a quem quer que seja, voltar a erguer das cinzas uma câmara que chegou a ser apontada e seguida como exemplo por muitas outras autarquias de Norte a Sul.

    Só com muito empenho da EQUIPA que vier a ser eleita, e com a PARTICIPAÇÃO de todos (funcionários e eborenses) será possível voltarmos a ter uma câmara a funcionar como deve ser.

    ResponderEliminar
  11. Parecem formigas em dia de chuva ... conseguem ser piores que e com todo o respeito , pelos famintos na África do Sul quando atiram um saco de arroz do ar .

    Tenham vergonha !!!

    Onde estão aplicados os impostos que gamam ao povo anualmente ???

    São sempre os mesmos dos mesmos a quererem lugares que lhes vão dar reformas de luxo !

    Sempre os mesmos nomes , sempre as mesmas caras .

    Tenham tato !

    Nada fazem pelo povo e para o fazerem é preciso que lhe possam dar antes um porco para oferecerem uma linguiça !

    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  12. E o que preparam os principais partidos políticos por estes dias?
    A apresentação de cabeças de lista...


    Pois está claro.
    Quer dizer que não são os cabeças de lista que estão fazendo as listas.
    Os partidos deviam começar por preparar e apresentar os pés da lista, e depois ir subindo até à cabeça.

    Ou entra mosca, ou sai asneira.

    ResponderEliminar
  13. Depois da recusa de :


    BRAVO NICO

    CAPOULAS SANTOS

    António Serrano; Seguro aposta em FERNANDA RAMOS.

    ResponderEliminar
  14. FERNANDA RAMOS poderá ser a candidata do PS,a comissão concelhia continua reunida,o conclave ainda não terminou,da chaminé da travessa da alegria continua a sair fumo negro.

    ResponderEliminar
  15. Todos parecem ter MEDO dos 80 MILHÔES de EUROS de DIVIDAS.

    ResponderEliminar
  16. A "Doutora" Fernanda Ramos? Oh nãoooooo mais "relvas" nãoooo!

    ResponderEliminar
  17. A DRª tem o 9º ano?
    AS novas oportundidades foram feitas também para isso

    ResponderEliminar
  18. Se a Fernanda Ramos se candidata, o PCP pode já encomendar o champagne!!

    ResponderEliminar
  19. Seja qual fôr o candidato do PS penso que a CDU já pode encomendar o champanhe. Também com estes últimos 12 anos de descalabro, estavam à espera de quê?

    ResponderEliminar
  20. Em democracia escolhem-se ideias e protagonistas para as implementar. Não jugo que isto seja um jogo de futebol. E nem no futebol, como dizem os entendidos, há vencedores antecipados.
    Também não julgo que o Champanhe seja o ingrediente adequado para comemorar “vitórias”. E bastaria estarmos atentos ao estado calamitoso em que se encontra a CME, para perceber que o usso de Champanhe em tais condições é, no mínimo, contraproducente.

    Ao contrário, espero que a VITÓRIA sirva para mobilizar os que ainda não acreditam na necessidade de mudança, ou para convencer os que hesitam em PARTICIPAR na vida da autarquia e do concelho.
    Não há milagres! E a situação em que o PS vai deixar a CME é tão grave, que só a mobilização e participação activa dos eborenses nas decisões do Município, pode contribuir para a resolução dos problemas.
    Não haja ilusões a PARTICIPAÇÃO não pode ser uma figura de estilo. Tem de ser uma prática diária onde os cidadãos se revejam. O tempo do “quero, posso e mando” tem de acabar!

    ResponderEliminar
  21. Esta conversa dá-me cá uma soneira...

    ResponderEliminar
  22. Os Socialistas andam preocupados. Podem, de uma só panada, perder as câmaras municipais de Évora e Beja.
    Mais uma vez o PCP "vence" com as derrotas dos outros. Não são os candidatos comunistas que são bons! Os socialistas é que são muito maus!

    ResponderEliminar
  23. o PCP lança os foguetes e apanha as canas.
    Bem que apalpam...

    ResponderEliminar
  24. O partido comunista lança os foguetes, apanha as canas, faz a festa e executa o bluf. Boa máquina propagandistica sem dúvida. As testemunhas de Jeová ficam a anos-luz.

    Os eborenses irão querer candidatos que a lei obriga a não candidatarem-se, mas que por conveniência do partido no poder, fecha-se os olhos? Que tem o tribunal constitucional a dizer em relação a isto? Partidos como o CDS ou o Bloco de Esquerda conseguirão em conjunto lutar na justiça contra este atropelo?

    A situação do candidato de Montemor por Évora foi premeditada.
    O partido sugere a desistencia do cargo a meio do mandato, para dar lugar a uma figura de segundo plano, que ascende assim sem ter sido submetida a votação como 1ª escolha. Haverá maneira mais expedida de favorecer a carreira política de alguém desconhecido?
    Nesta situação, a lei deveria obrigar a eleições antecipadas ou caso não houvesse tempo, o governo nomearia uma pessoa temporária.

    A ditadura da maioria absoluta como a de Montemor dá nestas coisas. Os candidatos podem andar a brincar ao "pula pula" e ao "salta pocinhas" com o abenegado eleitorado.

    ResponderEliminar
  25. @14:08
    Já na cabe nem feijanito. Ai como o nervosilho aperta.
    Porque será?

    ResponderEliminar
  26. Estão a ver os tachinhos a fugir...

    ResponderEliminar
  27. Onde anda o PCP que criticava as candidaturas de Fernando Seara e de Luís Filipe Menezes?
    Meteu férias?

    ResponderEliminar
  28. 15:04

    e os do pcp, coitadinhos, a imaginarem que os tachinhos estão de volta... que ternurentos que vocês são todos, a mamarem à grande a à nossa custa..

    ResponderEliminar
  29. sim sim...anda já muito PCzinho a cheirar a tacho.

    Normalmente é sempre assim antes das eleições

    ResponderEliminar
  30. Os tachos da câmara de Évora estão todos esburacados. Tantos têm sido os boys a rapar o tacho...

    ResponderEliminar
  31. No PCP já se começa a fazer a distribuição de cargos para a Câmara Municipal. Andam tão contentes que não lhes cabe um feijão preto no cu!

    ResponderEliminar
  32. Os secretários (@10:12) bem tentam disfarçar o nervosismo que sentem pela derrota nas próximas autárquicas. Mas não há nada que os possa salvar. Os 12 anos de manifesta incompetência, que levaram a CME à falência, são uma herança demasiado pesada...

    ResponderEliminar
  33. Sou o anónimo das 10.12

    Não só não sou secretário, como até desejo que o PS perca! Porque merece mesmo perder. Merece uma derrota retumbante! Só postei que acho piada às movimentações que existem no PCP.
    Portanto, está o anónimo das 10.31 enganado!

    ResponderEliminar
  34. 10:12
    «Andam tão contentes...»

    Só se forem inconscientes é que podem andar assim tão contentes. É que só por inconsciência alguém pode andar “tão contente” por se ir atascar num pântano, que é aquilo em que a CME está transformada.
    Mas enfim, ainda bem que há voluntários...

    ResponderEliminar
  35. Sondagem de hoje mostra que os portugueses querem no Governo o partido que meteu a Troika em Portugal.

    ResponderEliminar
  36. Oh "querida" Dores, estou a gostar de ver! Equipas mais importante que cabeças de lista, sim senhora, quem diria! Se o candidato da CDU fosse outro que eu cá sei gostava de ver se achavas o mesmo. Mas isso nunca saberemos...felizmente!

    ResponderEliminar
  37. "Caro(a)" anónimo(a) das 23:24 de 8 de Março:

    Agradeço-lhe o seu comentário porque mesmo revelando desconhecimento (mal que nos assiste a todos um pouco), me motiva a recolocar a questão que pretendi levantar com este post:

    O princípio de que o cabeça de lista, e principalmente o Presidente uma vez eleito, é o quase único responsável por tudo o que acontece numa Câmara deve ser discutido, e a meu ver despromovido.

    Parece-me claro que os Presidentes, sejam de que partido ou Câmara forem, devem ser motivadores de equipas de executivos políticos, e mesmo os seus principais impulsionadores internos. Para o exterior, ou seja para todos os seus munícipes, os Presidentes devem ser o rosto e como tal a valorização de todo o trabalho feito pela equipa.
    Nunca um presidente deverá bloquear, desvalorizar, desautorizar... os membros da sua equipa, como infelizmente tem acontecido em muitos casos por demais conhecidos.

    Assim sendo, parece-me fazer todo o sentido que desde o primeiro momento se fale muito mais de equipas e menos de cabeças de lista. Ou estaremos a favorecer a leitura que que o Presidente deverá pôr e dispor, desligado da equipa.

    Conhecemos bem o prejuízo que este tipo de leitura do orgão Presidência tem implicado, nomeadamente em Évora.

    Queremos agora insistir num Presidente só e poderoso? Ou preferimos aproveitar a oportunidade para construir equipas e métodos de trabalho partilhado?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.