quarta-feira, 27 de março de 2013

InAlentejo assina amanhã contratos no valor de 2,2 milhões de euros com entidades e associações culturais da região

O Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja é a entidade mais apoiada, para a realização do Festival Terras Sem Sombra, no valor de 430 mil euros.

A Autoridade de Gestão do INALENTEJO vai assinar amanhã um conjunto de contratos de financiamento de projectos promovidos pela Direcção Regional da Cultura do Alentejo e Entidades Associativas Regionais que prosseguem fins culturais (Colecção B - Associação Cultural, CENDREV, Fundação Eugénio de Almeida e Pé de Xumbo), bem como pelo Departamento Histórico e Artístico da Diocese de Beja, no valor de 2,25 Milhões de investimento total e um apoio comunitário FEDER de cerca de 1,3 Milhões de euros, de projectos de investimento aprovados no âmbito do Regulamento Específico do ‘Património Cultural’. 
Refira-se que o Regulamento Específico do Património Cultural visa a melhoria das condições de salvaguarda, valorização e de animação do património cultural (imóvel, móvel, imaterial e oral) numa perspectiva de transmissão para o futuro dos bens culturais, de forma a manter a sua existência e assegurar a sua fruição com respeito pela sua identidade específica, nela considerando os valores de originalidade aliados aos da respectiva integridade patrimonial. 
A assinatura destes contratos vai realizar-se no dia 28 de Março, pelas 11,00 horas, no Salão Nobre da CCDR Alentejo, em Évora. 
No âmbito da Promoção e Capacitação Institucional e Património Cultural, são as seguintes as entidades beneficiários e os respectivos projectos de investimento: 

CENDREV-Centro Dramático de Évora: Bonecos de Santo Aleixo – Um património a preservar, com um investimento total de 404 mil euros e um co-financiamento FEDER de 304 mil euros.
Colecção B, Associação Cultural: Escrita na Paisagem 2013, com um investimento total de 103 mil euros e um co-financiamento FEDER de 72 mil euros. 
Departamento do Património Histórico e Artístico da Diocese de Beja: Terras sem Sombra, com um investimento total de 505 mil euros e um co-financiamento FEDER de 430 mil euros. 
Direcção-Regional da Cultura do Alentejo- Castelo de Belver – Estratégia de Interpretação e Comunicação, com um investimento total de 75 mil euros e um co-financiamento FEDER de 64 mil euros. 
Fundação Eugénio de Almeida, Fórum Eugénio de Almeida – programação 2013-2014, com um investimento total de 282 mil euros e um co-financiamento FEDER de 198 mil euros; 
Inventário Artístico da Arquidiocese de Évora – consolidação e valorização, com um investimento total de 196 mil euros e um co-financiamento FEDER de 137 mil euros; 
Pé de Xumbo, Associação para a Promoção da Música e Dança, Andanças, com um investimento total de 684 mil euros e um co-financiamento FEDER de 102 mil euros. 
(nota de imprensa)

3 comentários:

  1. joaquim palminha silva28 março, 2013 05:48

    A FEA foi criada para ajudar, para apoiar, para praticar obras de beneficiaria, etc.,por isso, é no mínimo insólito que venha a receber da União Europeia 198 mil euros para a sua programação de 2013-2014. Então os seus negócios de comercialização de vinhos e no domínio do agro-alimentar não lhe chegam? Tudo isto é muito estranho! Mas afinal de contas, a entidade gestora dos fundos europeus, serve para quê? Entregar fundos a instituições que nasceram com o objectivo único da beneficência e que, para cumprirem tal desiderato, possuem uma invejável fortuna e uma fonte de receita praticamente inesgotável é estranho, muito estranho!

    ResponderEliminar
  2. Viva São Dieb que ajuda os pobres da cóltura!

    ResponderEliminar
  3. 404000 para os cendreves! prontos já tem a mama assegurada
    coitaditos alguem tem que os apoiar na velhice

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.