sexta-feira, 1 de março de 2013

Grito e canto



Doeu-me tanto o peito já tão apertado
Quando ontem, olhar vago, te ouvi dizer:
Perdido tudo o que perdi, aqui chegado,
Que mais tenho agora de mim a perder?...
E a alma doeu-me ainda mais
Ao lembrar-me de outro amigo
(Nada parecido contigo, mesmo nada,
Até opostos vós sois em certo sentido,
O que mais preocupado ainda me deixou…)
Quando noutro dia em desespero me dizia:
Que faço eu agora aqui de mim?...

E eu, vós assim sinceros mas tão brutais,
Tanto que assim eu nem vos conhecia,
Eu não sei
O que vos poderei dizer,
Pois se eu também não sei
Por que tudo está deste jeito a acontecer…
Se calhar até sabemos todos porquê
Mas que haveremos de fazer?
Gritar, nós gritamos,
Gritamos todos até a cantar
Mas como haveremos de mudar?



2 comentários:

  1. O PS vai apoiar Pulido Valente em Beja?

    ResponderEliminar
  2. Então vós não sabeis que Portugal e outros pequenos países são alvo de testes laboratoriais de novas políticas económicas emanadas dos ditos países ricos e agências que valorizam e desvalorizam bens, economias, pessoas e países como se de um brinquedo se trate! Acham que se lhes consegue fazer frente? Em minha opinião apenas se forem arrasados por por qualquer catástrofe que os façam voltar a ser humildes! Os Alemães e os Franceses vão arrasar com a Europa!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.