quarta-feira, 13 de março de 2013

Évora: revogado embargo à obra do Palácio da Inquisição


A Fundação Eugénio de Almeida, no quadro da sua política de transparência e rigor de informação, entende dever esclarecer a opinião pública sobre as questões levantadas em torno da obra ao Palácio da Inquisição, informando desde já que foi revogado o embargo à referida obra.
Como é do conhecimento público, a Fundação Eugénio de Almeida promoveu a realização de obras de requalificação do Palácio da Inquisição e Casas Pintadas, de modo a disponibilizar à cidade um equipamento cultural e, ao mesmo tempo, recuperar e valorizar um património arquitetónico de inestimável valor. A realização das referidas obras seguiu o estrito cumprimento da lei, como é próprio de uma Instituição idónea e responsável num Estado de Direito.
Ao longo de todo o processo, a Fundação assumiu sempre uma atitude de diálogo e cooperação com as autoridades, não discutindo em praça pública o que entende deve ser resolvido em sede própria.
Do diálogo encetado com o Governo, resultou o despacho do Senhor Secretário de Estado da Cultura que determinou o levantamento do embargo à obra do Palácio da Inquisição, no final do passado mês de fevereiro.
Em conformidade com o referido despacho, a Fundação irá proceder aos ajustamentos que lhe foram solicitados, designadamente:
- Remoção do revestimento em granito e uso de cantaria ou alvenaria nas janelas ogivais do alçado nascente;
- Recuo de 1,60m da escadaria principal em relação ao cunhal das Casas Pintadas;

Ultrapassada agora a situação do embargo decretado pela Direção Regional de Cultura do Alentejo, com os consequentes custos e prejuízos que o mesmo acarretou, a Fundação prevê inaugurar o novo Fórum Eugénio de Almeida, instalado no Palácio da Inquisição, em julho próximo, colocando ao serviço da comunidade este novo equipamento cultural, cuja missão é a de contribuir para o desenvolvimento integrado da cultura e das artes e promoção da coesão social. 

Fundação Eugénio de Almeida (nota de imprensa)

7 comentários:

  1. VIVA O BLOCO CENTRAL dos interesses.

    ResponderEliminar
  2. E agora Grupo Pró-Èvora?


    O PSD REVOGOU,Èvora está na mãos desta triste gente.

    ResponderEliminar
  3. AURORA ,depois disto,não te DEMITES?

    ResponderEliminar
  4. Houve aqui mãozinha do que bebia o leitinho na teta da cabrinha........

    ResponderEliminar
  5. Esse levantamento do embargo terá alguma coisa a ver com a amizade entre Maria do Céu Ramos e o Primeiro Ministro?
    Terá alguma coisa a ver que a ida da dita ao PPC, no dia a seguir ao embargo?
    O PPC terá dito que o levantamento do embargo seria breve, bastava um telefonemazito.
    Pedro Passo Coelho depois vai cobrar e terá na velhice um lugar da na administração da FEA, o polvo tem muitas pernas.
    Esperemos que Francisco I varra o lixo que há debaixo de muitas carpetes e sacristias.

    ResponderEliminar
  6. joaquim palminha silva23 março, 2013 11:00

    Daqui em diante, quando os técnicos da delegação da Cultura de Évora, no cumprimento das suas aptidões profissionais, e das Leis, etc., verificarem que há matéria para embargo de obras, antes de tudo, devem: 1º, informarem-se se a pessoa ou instituição em causa não tem nenhuma estreita relação de amizade (política ou não) com o 1º ministro: 2º, indagarem junto da pessoa ou instituição em causa qual é a melhor reprimenda que lhe agrada...
    Afinal de contas, não foi inútil a viagem-visita que o 1º ministro e comitiva fizeram à Colômbia... Há coisas de "amizade" que só se aprendem com os mestres...ao mais "alto" nível!

    ResponderEliminar
  7. Aposto que anda aqui mãozinha da "santa madre igreja" querendo apagar vestígios do seu passado negro e sangrento.. até se poderiam ver os assassinos através das janelas do palácio mas são transparentes, invisíveis. Com o tempo até a bandeira do diabo vira objecto de adoração travestido de instituição de interesse público; a memória dos ignorantes é curta e a glória de Portugal apoia-se na ignorância do seu povo. Bem hajam.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.