terça-feira, 12 de março de 2013

CD com versões do "Grândola" de Amália e Ganhões amanhã no CM


Vai ser distribuído amanhã, 13 de março, com o jornal Correio da Manhã, um cd com duas versões únicas e históricas de “Grândola, Vila Morena”, uma interpretada pela diva do fado, Amália Rodrigues, em 1974, com arranjo e acompanhamento de orquestra dirigido por Joaquim Luís Gomes, e uma outra pelo Grupo Coral “Os Ganhões” de Castro Verde, em 1975.
Duas interpretações únicas da canção composta por Zeca Afonso, editada em dezembro de 1971, no álbum “Cantigas de Maio”, que revelam toda a beleza e força desta, que se tornou num hino transversal a várias gerações.
O Cd pode ser adquirido, na compra do jornal, por apenas 1 euro.

(fonte: Câmara de Castro Verde)

11 comentários:

  1. Por caridade, alguém ofereça um ao Relvas :)

    ResponderEliminar
  2. Ora cá está uma versão de Grândola cantada por Amália que virou as tripas à extrema esquerda mais tacanha.

    ResponderEliminar
  3. @09:05
    Porque será que os teus comentários idiotas são parecidos e valem tanto como a merda de pombo em cima da fonte da Praça do Giraldo?

    ResponderEliminar
  4. I Governo (1976–1978) M. Soares;II Governo (1978) M. Soares;III Governo (1978)Nobre da Costa; IV Governo (1978–1979) Mota Pinto;V Governo (1979–1980)M. L. Pintasilgo; VI Governo (1980–1981) Sá Carneiro/Freitas do Amaral; VII Governo (1981) Pinto Balsemão; VIII Governo (1981–1983) Pinto Balsemão; IX Governo (1983–1985)M. Soares; X Governo (1985–1987) Cavaco Silva; XI Governo (1987–1991) Cavaco Silva; XII Governo (1991–1995) Cavaco Silva; XIII Governo 1995–1999) Guterres; XIV Governo (1999–2002) Guterres; XV Governo (2002–2004) Durão Barroso; XVI Governo (2004–2005) Santana Lopes; XVII Governo (2005–2009) Sócrates; XVIII Governo(2009–2011) Sócrates ; XIX Governo (2011–presente)Passos Coelho

    ResponderEliminar
  5. @10:15

    Também foste daqueles que atirou pedras à Amalia?

    ResponderEliminar
  6. @12:46
    Só gosto de atirar pedras a secretários cretinos.

    ResponderEliminar

  7. O camarada de hoje ao plantão ofendeu-se todo.

    Sente vergonha do pós 25 de Abril e de todas as barbaridades que cometeram com alguns artistas. É traumatizante trinta e tal anos depois. Como os tipos que foram ao ultramar. Nunca esquecem.

    ResponderEliminar
  8. @13:14
    Um cretino não ofende, mete dó!

    ResponderEliminar
  9. @15:08

    "GRÂNDOLA Vila Morena" Na voz do João Braga. Para ti camurcio.

    ResponderEliminar
  10. A versão da Amália foi uma imposição dos editoras desta, na vã tentativa de desligar a cantora do regime deposto.
    Como tal só podia ter este resultado: foi um disco "clandestino".
    Agora no afã de limpeza que por aí pulula pode ser que passe...

    ResponderEliminar
  11. @15:48

    Disco "clandestino" em plena democracia? Quem determinou a sua "clandestinidade"?

    Não entendo a embirrância que perdura até hoje com os artistas que tiveram a "infelicidade" de terem sido adultos em pleno Salazarismo e de terem convivido com banqueiros do regime?

    Da mesma forma será líquido dizer que a carreira do Zeca Afonso seria bem menos visível e genial, se vivêssemos em democracia antes de 1974 ou se não tivesse a "felicidade" de ter convivido com figuras marcantes do combate politico ?

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.