terça-feira, 12 de março de 2013

As coisas que se descobrem no “a cinco tons”



Foto daqui
Quando cinco pessoas diferentes se juntaram para iniciar este blogue fizeram-no com a intenção de animar um ponto de encontro virtual onde se informa e reflecte sobre o mundo, o país, e o Alentejo, com pontos de vista e de interesse situados em Évora, em Beja, ou noutros lugares onde habitam os participantes neste espaço.
Falou-se então e muito em diversidade de olhares e de temas. Não em partidos, nem em teorias económicas, políticas e outras, até porque cada um dos cinco tinha várias e distintas. A diversidade era a massa com que se fariam os conteúdos ou post’s. Uma palavra, ou olhar único, eram  tudo que não desejavamos.
A experiência tem sido interessante. As caixas de comentários por exemplo, enquanto manifestações de vontade de comunicar, permitem seguir, ou pelo menos “adivinhar”, nós e fios menos evidentes ou explícitos do tecido social que nos envolve quotidianamente. Mas, nem por isso menos importantes. Parece-me possível, a partir da leitura continuada destas caixas de comentários, intuir sobre quão latentes, mas ainda não saradas estão feridas e mágoas geradas no período político que se seguiu a Abril de 1974. Dos cidadãos que fazem hoje a cidade, muitos eram então crianças, outros ainda não haviam nascido, e não obstante, no tecido invisível mas concreto desta cidade cravaram-se marcas indeléveis, umas vezes discretas, outras gritantes. E não foram bem tratadas estas feridas.
Se tais marcas, porque inscritas com a força das emoções, se constituem frequentemente como sérios “empecilhos” às formas de trabalhar na cidade, de cooperar e interagir, são mesmo assim, grandes as resistências à sua remoção. Dir-se-ia que de tão habituada a preservar o seu património, Évora integrou essas sobras do processo político dos anos 70 e 80 como parte da sua identidade, da qual não parece querer, ainda hoje, abdicar.

Vem isto a propósito de um pequeno comentário, em que um bloguer perguntava: “mas vocês só aprenderam a palavra comunista”? É de facto, dificil de explicar porque será esta uma das palavras mais repetidas nas caixas de comentários deste e doutros blogs de Évora.
Se a “comunismo” e “comunistas” se juntarem outras como “comunalha”, “união soviética” e afins… mas também “xuxas”, “secretários” “fascistas”, seríamos levados a concluir que este é o discurso dominante na cidade… ou pelo menos que essa é a tradução da maior preocupação de quem frequenta estes espaços virtuais. Não me parece que os que tanto se referem ao PCP, ao comunismo, ou à comunalha, mas também aos “Pêesses” e a outros termos congéneres, conheçam com alguma profundidade aquilo a que aludem, ou mesmo que desejem conhecer… mas fazem-no porque instalaram em si (a partir da vivência ou da transmissão de experiências pouco gratificantes) medos, ódios e preconceitos que os acompanham na vida. Reproduzem-nos aqui e noutros lugares deste tipo, quase como se de uma missão se tratasse, parecendo desejar que tais medos se generalizem a todo o tecido da cidade. Como se, só então, quando todos estiverem bem conscientes e alerta para esse perigo do comunismo, que assoma a cada esquina de Évora, fosse possível dormir com algum descanso. Porque todos os outros perigos - como o do desemprego, do trabalho sem qualidade, da desvalorização da educação ou da saúde - parecem até insignificantes ao lado do perigo do comunismo e dos comunistas.
Caricato, não é? Então porquê insistir tanto nesta frágil mas acirrada “batalha do convencimento”, em vez da expressão saudável de opiniões fundamentadas ou apoiadas na realidade?

26 comentários:

  1. Dores


    Comportamento gera comportamento.
    Extremismo gera extremismo.

    Os vossos cartazes propagandísticos elevados à saturação e ao stress visual de cada um de nós (excepto vós) espalhados pelas cidades e vilas, que chamam de ladrões, gatunos, etc, são exactamente o quê afinal? Pretendem o quê com isso, já que não estão a conseguir pela via da retórica e do convencimento por outros meios? A paz? O cavalheirismo politico? O confronto de “gentlemen’s ”?
    Esperavas uma "guerra" do outro lado com beijinhos e flores?
    Tens o exemplo do blog MaisÉvora, uma coisa de comunistas anónimos a funcionar pela calada da noite, em que não se limitam a fazer oposição leal mas sim uma “canalhização” pessoal de vários opositores políticos do PCP. Dá graças de viver em Liberdade plena neste País. Se fosse na tua Cuba Livre e democrática, cada um desses bloquistas estava na prisão.
    Está à vista de todos - como se não bastassem os exemplos do comunismo internacional, tens o exemplo do PCP onde todos os que não obedecerem aquela cartilha são sempre convidados a sair - que comunismo é falta de liberdade e intolerância para com o contraditório.

    Felizmente (para quem gosta de se sentir em Liberdade, da individual à económica, etc) que o PCP nunca ganhará a confiança do País sob o ponto de vista do poder central. Quanto muito exercerá o poder autárquico limitado constitucionalmente, não lhe permitindo veleidades.

    ResponderEliminar
  2. @13:48
    Tem cuidado, senão ainda acabas vítima do teu próprio ódio e veneno.

    ResponderEliminar
  3. @14:04


    Disse alguma mentira?

    ResponderEliminar
  4. @14:06
    A pergunta certa era:
    Disse alguma VERDADE?

    Mas, também é certo que te limitas a seguir o exemplo do teu mentor. O tal que não MENTE e nos guia no "caminho da excelência".
    Mas ele não diz mentiras. Aliás ele até vai empenhar a casa para pagar o que prometeu...

    ResponderEliminar
  5. @14:14

    MENTOR???
    EXEMPLO???

    FORMA-TE MAN. Cuida dessa esclerose

    ResponderEliminar
  6. O Comunismo não é um perigo porque nunca chegará ao Governo. Se houvesse a mínima desconfiança de que isso poderia acontecer, então sim, poderíamos falar de perigo!!

    ResponderEliminar
  7. @14:35
    Infelizmente não se pode dizer o mesmo das tuas cretinices esquizofrénicas. Elas chegaram ao Governo e vê lá bem o resultado que deu: um país falido, parado e sem esperança no futuro.

    ResponderEliminar
  8. @14:48

    O Povo quer é Liberdade.
    Comunismo é escravidão.

    ResponderEliminar
  9. @ 14:48

    E os países comunistas são exemplo de alguma coisa para alguém? Vai tu para lá morar!!Que os que lá estão fogem a sete pés!

    ResponderEliminar
  10. Basta olhar para os "donos" deste blog para perceber que são todos figuras que todos repito todos nutrem um odio de estimação pelo Partido Comunista Portugues! Porquê, passo a explicar uns porque não viram os seus objectivos oportunistas concretizados, outros porque queriam uma carreira politica sem se dobrarem muito e outros ainda andaram sempre nas "bordas" do PCP quando lhe convinha particularmente para os seus projectos pessoais, que me vou evitar de mencionar. Por isso é bom fique claro uma coisa estes cinco maduros, fazem do anticomunismo primario a sua intervenção, não é apenas nos blogues na sua vida profissional fazem o mesmo sempre que podem lá vão umas ferroadas, mesmo que isso ajude a direita e o PS e outros similares. Por isso eles não convencem ninguem nem ninguem lhes da importancia. Nenhum deles já tem cura e como tal devem ser tratados como anti comunistas e nada mais..para mim desde há muito que tirei a radiografia e desde á muitos anos que os conheço a todos..Um blogue como este alimenta-se a si proprio porque vão vendo os textos uns dos outros, mas projecção não tem, porque a qualquer um deles o que lhe dava prazer era ver o PCP extinguir-se, mas como o fascismo não conseguiu, não será um blogue o que conseguirá, por mim esta tudo dito, jamais aqui virei ver seja o que for.

    ResponderEliminar
  11. @14:59
    Ó cretino esquizófrénico, diz-nos lá em que linha do comentário a que te referes estão escritas ou implicitas as palavras "países comunistas"?

    Ou na tua esquizofrenia só há lugar para "países capitalistas falidos" e "países comunistas"?

    Deixa-me que te diga que, nessa tua fobia, consegues ser mais ríduclo que um D. Quixote de La Mancha a lutar contra moinhos de vento...

    Com gente deste calibre não admira o estado do país e do concelho.

    ResponderEliminar
  12. @15:14
    O secretário cretino, metamorfoseado de comunista, para disfarçar e não se sentir isolado!

    (e a seguir vai comentar o seu próprio comentário. Esquizofrenia em estado adiantado e irreversível)

    ResponderEliminar
  13. 2x @15:14
    Não há dúvida que a paranóia dos comunistas e demais funcionários que por aqui andam mostra bem o que se passa lá dentro do partido.

    Não conseguem minimamente ligar com o contraditório ou com qualquer oposição. Foi por causa desta intolerância histórica, que liquidaram milhões e que mantêm enclausurados outros tantos nos seus países.

    ResponderEliminar
  14. @15:23
    Contraditório? Mas qual contraditório se tu te limitas a vomitar uma cassete bafienta próxima da indigência mental.

    Então fala-se em Portugal "um país falido, parado e sem esperança no futuro" e tu contra-argumentas com a miséria dos "países comunistas".
    Em que é que isso responde à questão ou contribui para a nossa felicidade. Acaso insinuas que ainda devemos ficar gratos aos gatunos e corruptos que nos têm desgovernado e trouxeram até este estado de bancarrota?

    Por acaso não te ocorreu que haja outros países, fora do euro ou da União Europeia, sem serem comunistas, que não estão falidos, nem parados e continuam com um futuro promissor para os seus filhos?

    Por acaso não te ocorreu que, aquilo que te faz ver comunistas e comunismo em cada frase, pode dever-se a uma paranóia doentia criada dentro da tua própria cabeça?

    É que, se não te ocorreu, ao menos poupa-nos aos teus comentários e argumentos idiotas.

    ResponderEliminar
  15. 15.14

    Para estes "donos de nada", de que V. é apenas um exemplo caricato, o mundo vive à volta do "comunismo" e do "anti-comunismo". Ainda não perceberam que ninguém lhes liga e que vivem num manicómio em que só vocês se ouvem uns aos outros e que a esquizofrenia - que já vai galopante - vos leva a terem um tal distanciamento da sociedade (que nos delírios imaginam querer transformar) que se tornam apenas rísíveis, tão rísíveis como a arquitecta M., de megafone em punho, fazendo que lidera a "populaça" (porque, coitado, o povo não se sabe governar sem quem ela lhes grite as palavras de ordem do momento) chamando ladrões e vigaristas a tudo o que mexe.
    Já não há antidepressivos que lhes valham e cada vez parecem mais o hospício de "Voando Sobre um Ninho de Cucos". Mas já sem a mínima qualidade cinematográfica.
    Por isso, ó jeitoso!, cá pelo meu lado continuarei a frequentar este blogue. Porque o mundo não é feito apenas de gente assim ou assado. É feito de muita gente, de muitas cores, de muitas opiniões. E de cada vez que levaram à prática o vosso "comunismo" deu no que deu: sociedades de terror e de morte, só comparáveis às geradas pelo fascismo: sem liberdade de expressão, de organização, de partido único, de pena de morte, de goulags e campos de extermínio. Liberdade? O pretenderem ainda chamarem-se comunistas é o mais greve: emporcalham definitivamemente algo que foi uma bandeira dos explorados e oprimidos em todo o mundo, mas que hoje é apenas sinónimo de opressão, escravidão e morte. E que ninguém que ame a liberdade pode usar sem um profundo sentimento de amargura.

    ResponderEliminar
  16. @15:49


    Já todos sabemos em Portugal que um dos problemas do partido comunista é o trauma do passado. Passado esse que nunca desdenharam.
    Outro problema é o presente, as práticas presentes do comunismo que se conhece.
    Nada disto é bafiento. São factos e os factos falam por si.

    Falaste em Países não falidos dora da UE?
    Mas que é que tem a ver com comunismo um país de cariz capitalista?
    Vai-te informar primeiro e se quiseres podemos falar ou sugerir ao “acincotons” que nos dê um post sobre a prosperidade dos países comunistas na actualidade.

    Sabes tu é que tens um problema e vergonha que se fale no teu modelo!
    Não eu.
    Aliás, o 1º comentário é meu e só acontece porque a Dores falou no assunto. Argumentos idiotas?
    O idiota aqui és tu!

    ResponderEliminar
  17. 16 e 08

    Tem toda a razão. Um hospicio onde só eles é que sabem, só eles têm a razão, só quem mija no mesmo penico é que é amigo... uma tristeza que o PC tenha chegado a este estado.

    ResponderEliminar
  18. Que enoooooooooorme perda de tempo é vir aqui.......

    ResponderEliminar
  19. @16:16
    És um completo paranóico, que não diz coisa com coisa.
    Só espero que no PS/Évora haja gente de outro nível.

    ResponderEliminar
  20. António Gomes12 março, 2013 22:13

    Dores, deste pérolas a porcos.
    Continuo a pensar que, há quem ao escrever os seus comentários bafientos e plenos de nada, procuram uma satisfação assexuada de nada, porque os seus apaniguados e eles próprios, nem classe têm para criar um Blog que, alimente a porcaria que vomitam a toda a hora.

    ResponderEliminar
  21. Mas quem é o António Gomes?

    ResponderEliminar
  22. Gomes

    consegues dizer alguma coisa de jeito?

    ResponderEliminar
  23. Penso que consegui, apesar de não ser pretensioso.
    Diz lá à gente o que consegues dizer, para poder responder-te como me respondeste.

    ResponderEliminar
  24. Se achas que conseguiste é porque tens o patamar de exigência baixo de mais.
    Efectivamente não consegues dizer absolutamente nada.

    ResponderEliminar
  25. António Gomes13 março, 2013 21:44

    Explica lá, o que é isso, de eu ter o patamar de exigência baixo de mais?
    Dá-me gozo exigir a tão intelectual comentador esse pedido, porque ao esforçar-me a pedir-te tais explicações, só reforça o meu intelecto adormecido, a chegar aos píncaros da absurdez que pretendes transmitir.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.