segunda-feira, 11 de março de 2013

amanhã, dia 12, na Universidade de Évora


(clique para aumentar)

8 comentários:

  1. Bom dia

    Tão hoje não se canta a Grândola em lado nenhum?
    Já tá tudo rouco com meia dúzia de versos?

    São tão fraquinhos...

    ResponderEliminar
  2. O Dr. Ricardo Costa será a pessoa mais indicada para moderar um debate sobre a Universidade de Évora & e Alentejo?!
    Ou é uma questão de status?
    Consigo apontar, de repente, uma mão cheia de pessoas ligadas ao Alentejo capazes de moderar com melhor conhecimento de causa, esse debate!

    ResponderEliminar
  3. Tal como o(a) anónimo(a)das 10:40 parece-me que este programa reflecte a falta de ligação que a Universidade de Évora tem ao meio e à Comunidade que a acolhe, ou em supostamente se inscreve.

    Não é só o mederador do debate evocado que representa a falta de valorização dos que fazem todos os dias a Universidade de Évora. O mais preocupante é que esses não estão representados em nenhum dos momentos propostos. Desde Bagão Felix a Ricardo Costa, continuamos como sempre a acreditar que "santos de casa não fazem milagres", que as estrelas de outros firmamentos brilham mais, e que importante é quem vem de Lisboa,(se for um rosto televisivo tanto melhor).
    É, a meu ver, este tipo de posicionamento que o Alentejo deve questionar e a Universidade de Évora em particular.

    As Universidades são avaliadas por três linhas de trabalho: O primeiro é a docência, o segundo a investigação e o terceiro a extenção à comunidade.
    No campo da extensão à comunidade a Universidade de Évora tem muito a melhorar, o que fará facilmente se quiser. É que é tão baixo o nível de relação com a Comunidade que quaisquer investimentos nesta àrea produzirão frutos.
    Poderiamos aproveitar estes momentos para isso, já que parece faltar vontade para a relação com a comunidade todos os dias.

    ResponderEliminar
  4. Realmente o Ricardo Costa a moderar um debate sobre o papel da Universidade de Évora no desenvolvimento do Alentejo só por graça sem ter graça ! É a incompetência completa. Quanto aos outros vêm repetir o pouco que sobre Évora dizem no Parlamento.

    ResponderEliminar
  5. Um dos donos deste blog é Carlos Júlio, certo?
    O destaque deste poste (a começar pelo tamanho da letra) induz enturiasmo. Não?
    A senhora ao candidatar-se, à câmara de Évora assume uma atitude politica, terá que ter um programa politico e, caso seja eleita terá uma actividade politica regular. Ou não é assim?
    Carlos Júlio na última manifestração, declarou aos sete ventos: "Os politicos não nos representam". Isso inclui esta senhora? Ou os candidatos do bloco são a excepção?

    ResponderEliminar
  6. Já agora é verdade que a dra Dores Correia que aqui escreve, vai ser candidata pela CDU em lugar elegível?

    ResponderEliminar
  7. 21.50

    Mão amiga deu-me conta do seu comentário. Está num post que nada tem a ver com o que comenta, por isso me passou completamente despercebido, mas acho que embora se esconda atrás do anonimato merece uma resposta. Assim,antes do mais lhe digo que este blog não tem donos: ninguém comprou nada de nada, nem aqui se investiu um chavo, não há quem mande ou deixe de mandar. É um projecto colectivo, de iguais, em que cada um está enquanto se sentir bem. Já ouviu falar de organização horizontal, de base, não hierárquica? Pois é assim que funcionamos, que sabemos funcionar e que queremos funcionar.
    Dito isto, @ companheir@ de blog que destacou o comentário de um anónimo (como você) destacou-o exactamente como ele foi publicado, com os mesmos erros e o mesmo tipo de letra (neste caso com maiúsculas). Se tivesse escrito em minúsculas era assim que teria sido destacado. Não há aqui qualquer tipo de entusiasmo: quem destacou o comentário limitou-se a transcrevê-lo como ele foi escrito, e como pode testemunhar na caixa de comentários. Por isso, não vale a pena inventar.
    Quanto ao resto ouviu bem o que eu disse no 2M, na Praça do Giraldo: "Os políticos não nos representam". Foi exactamente o que eu disse e reafirmo. Sejam do Bloco, do PC, do PS, do PSD, do CDS ou de qualquer outra sigla que inventem para melhor nos enganarem. Como vê não mudei um milímetro aquilo que afirmo (e há anos que o faço sem que a voz esmoreça)e por isso estive na Praça do Giraldo, porque acredito que a força das pessoas, a democracia directa, as assembleia de base são bem mais importantes que os partidos, os candidatos e toda essa fauna que faz da política a sua profissão, querendo fazer que acreditemos que nos representam. Para mim isso está fora de causa: nunca me verá dar a cara por nenhum candidato ou candidata, ou fazer campanha ou alguma coisa desse género. Respeito os seres humanos que acreditam no voto e na representação, defendo a liberdade de cada um acreditar no que acha mais correcto, mas não sou desses filmes.E não participo em coisas em que não acredito. Para mim, neste campo, não existem excepções: há pessoas de quem gosto mais ou menos, enquanto pessoas, mas enquanto políticos não há excepções. É muito mais o que os une do que aquilo que, eventualmente, os possa dividir.
    Foi um prazer responder-lhe. Espero que nos encontremos de novo na rua, talvez de novo na Praça do Giraldo, num outro 2M, que foi um dia de liberdade e de igualdade, bem ao jeito do "Grândola, Vila Morena do Zeca Afonso. Sou mais pela vida e mesmo nada para deitar numa urna aquilo em que acredito.

    Carlos Júlio

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.