sábado, 23 de março de 2013

Ainda a propósito de "A comissão municipal de arte: extinguir por supérflua"


Um post assinado neste blogue há alguns dias por José Frota sobre a Comissão Municipal de Arte, Arqueologia e Defesa do Património de Évora deu animada discussão e polémica. Que, pelos vistos, continua. Ainda há algumas horas atrás Joaquim Palminha da Silva publicava no maisévora um post sobre o mesmo tema. Está relançado o debate?
Escreve Palminha da Silva: 
"[O que se segue, pretende clarificar o que parece menos claro ou francamente confuso, nos textos redigidos por cidadão devidamente identificado no “blogue” «A cinco tons»]
        
            Após as eleições de 2001, já sob gestão autárquica do Partido Socialista, reuniu pela 1ª vez em 19/9/2002, a «Comissão Municipal de Arte, Arqueologia e Defesa do Património» (CMAADP).

            Recorde-se que a anterior CMAADP (sob a gestão autárquica da CDU, até ao ano 2000) viveu algumas atribulações. Todavia, as actuais (2010-2013) agressões e desatenções face ao património pelo executivo municipal do PS, fazem com que pareçam ninharias sem importância o que se passou há mais de uma década".

2 comentários:

  1. Uahhhhh.... Que sono...

    ResponderEliminar
  2. Por causa de gente que anda sempre a dormir é que estamos como estamos!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.