sábado, 9 de março de 2013

A autoridade aposta em saber cumprir


"Saber cumprir para melhor trabalhar" é o título de uma sessão de formação, proposta por um serviço do estado - a Autoridade para as Condições de Trabalho - sucessor da antiga Inspeção geral do trabalho   para um dia desta semana, não tão longe de si.
Este é um discurso que se entranha e reproduz. Um dia de formação com entrada gratuita, contando com comunicações de técnicos especializados na área do trabalho, e pelo menos um político (o presidente da CM de Vila Real de Santo António), representa um investimento público que me parece merecer melhor destino. Porque mesmo admitindo que, parte do que aqui se pretende é informar sobre "obrigações laborais", exige-se melhor capacidade crítica e outra amplitude de perspectivas. É que investir em obediência como forma de promover o emprego, é caminho demasiado estreito para voltar  a percorrer.

18 comentários:

  1. Quando é que o sindicato dirigido pelo PCP/CGTP vai para lá fazer - para o ACT de Évora - a tal VIGILIA? É brevemente não é?

    ResponderEliminar
  2. Quando é que o sindicato dirigido pelo PCP/CGTP vai para lá fazer - para o ACT de Évora - a tal VIGILIA? É brevemente não é?

    ResponderEliminar
  3. Expliquem-me lá se puderem, como é que nesta sociedade capitalista - com defeitos e virtudes - um Partido Comunista leninista marxista estalinista como o Português, iria fazer para baixar o desemprego, aumentar os niveis de confiança dos cidadãos e a promoção da liberdade individual?



    ResponderEliminar
  4. 2.Cuidado porque a PIDE anda aí …

    “O juiz-desembargador Eurico Reis diz : e afirma que o Ministério Público segue métodos idênticos aos do controverso fundador do FBI americano, John Edgar Hoover: violações cirúrgicas do segredo de Justiça, para obter a confissão dos arguidos. ”

    08-03-2013 21:39 Rádio Renanscença .

    “Jornalista Manso Preto alvo de ‘busca ilegal’ da PJ.
    O Sindicato dos Jornalistas considerou hoje ilegal uma busca realizada pela Polícia Judiciária (PJ) em casa do jornalista Manso Preto, em Viana do Castelo, durante a qual foram apreendidos computadores e outro material.”

    9 de Março, 2013 , Jornal SOL



    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  5. O Conclave continua na travessa da Alegria...
    Ainda não saiu FUMO BRANCO, está DIFICIL escoher a vítima do PS para se candidatar à câmara de Èvora.

    ResponderEliminar
  6. 18.54

    Parece que há pessoas a ficarem incomodadas com os sindicatos
    Serás tu um dos patrões fascistas que viola continuadamente os direitos dos trabalhadores?

    és um fascista

    ResponderEliminar
  7. Incomodados com os sindicatos amestrados pelo PCP em Portugal?

    Esquizofrénicos

    ResponderEliminar
  8. @20:34
    Talvez seja só um cretino!

    ResponderEliminar
  9. Alguém me sabe explicar as razões porque a gestão PS, que garantia estar a trazer a excelência para o nosso concelho, vai deixá-lo totalmente estagnado e com a câmara a caminho da falência?

    ResponderEliminar
  10. Alguém me sabe explicar quais foram os resultados da política de "expansão demográfica, associada ao desenvolvimento económico" que iam fazer de Évora um concelho com 75 mil habitantes, em 2016 (mais 20 mil do que os actuais)?

    ResponderEliminar
  11. Aos senhores do PS

    Chamo-me Alexandra Passarova e trabalho em limpezas de casas e escritórios.
    Ouvi dizer que os senhores do PS não têm candidato à Câmara de Évora porque ninguem se quer sujeitar a tamanha sujeira.
    Ora eu estou habituada a limpar porcaria (ai se a minha esfregona falasse) e se os senhores quiserem, podemos falar.
    Eu levo 7 euros à hora mas, como é por muitos meses, posso fazer mais em conta. Como vocês portugueses dizem, faço "uma atençãozinha".
    Pensem nisso e, se estiverem interessados, mi liga, vai.

    ResponderEliminar
  12. Quando Arménio CGTP diz que adora os novos regimes da América latina Venezuela e outros que tem um modelo social interessante fica tudo dito.

    ResponderEliminar
  13. Dores

    A ACT faz o seu papel neste caso: alerta para a legislação. É pedagógico. E se os actores cumprissem todos os seus papéis, as acções de fiscalização passariam a ser menos frequentes e haveria mais pedagogia. Seria um óptimo sinal de confiança na sociedade.

    Cabe a outros fazer o seu papel: sindicatos e patrões.
    Parece-me é que nem uns nem outros em muitas das vezes e por razões diversas, estão minimamente interessados no progresso profissional e pessoal dos trabalhadores ou no estabelecimento de relações mútuas de conveniência.

    AutoEuropa continua a ser o modelo "ideal" que se conhece em Portugal: os patrões cumprem, a comissão de trabalhadores age em conformidade e os trabalhadores entendem.
    Por aqui há sempre uma solução.
    Ainda bem.


    ResponderEliminar
  14. Caro Rui M F:

    Concordo consigo.
    Cada parte deve assumir e desenvolver o seu papel.
    Percebe-se aqui que se trata de dar a conhecer a legislação, o que também me parece importante.
    O que pretendi reflectir foi sobre um discurso que se instala muito subtilmente mas está a produzir resultados muito concretos nas relações e nos contextos de trabalho.
    Como exemplo, tomei o título para este dia de trabalho "Saber cumprir para melhor trabalhar" que me pareceu muito identificado com o discurso predominante sobre o trabalho. Um discurso onde predominam regras que se devem conhecer para cumprir. Compreendo a necessidade disso. Não compreendo como estamos tão concentrados em fazer cumprir, dispensando ou desvalorizando significativamente, a motivação,o reconhecimento, o incentivo, representantes do lado da resposta ao cumprimento que se pede.
    Parecemos aceitar que a única forma de sair do quadro da crise e do desemprego é pondo "todos os ovos" no cesto do cumprimento e das obrigações. Mas sabemos que o equilibrio só poderá resultado da observação das duas faces: dos deveres e dos direitos.

    Obrigada Rui, pelo seu comentário sério.

    ResponderEliminar
  15. Já começam a ter medo de algo para vir , será a 3ª ?


    O primeiro-ministro do Luxemburgo e ex-chefe do Eurogrupo, Jean-Claude Junker, acredita que a crise europeia pode resultar numa futura guerra, segundo a revista alemã Der Spiegel.«Quem acredita que a eterna questão da guerra e paz na Europa não pode voltar a ocorrer, está completamente errado».

    Juncker: «Os demónios de uma guerra europeia estão apenas a dormir».

    diáriodigital
    domingo, 10 de Março de 2013


    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  16. Já agora é verdade que a dra Dores Correia que aqui escreve, vai ser candidata pela CDU em lugar elegível?

    ResponderEliminar
  17. Sem sombra de dúvida!!!!
    Está-se mesmo a ver que sim!!!!

    ResponderEliminar
  18. 22:15

    Não. Esse lugar está já guardado (depois de Carlos Pinto Sá e Eduardo Luciano) para a camarada Elmina Lopes, da Universidade.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.