terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Morreu Carlos Galiza


Hoje morreu um amigo. Tinha 57 anos.
Carlos Galiza viveu em Évora muitos anos de um caminho que terminou esta manhã.
Estava um pouco constipado. Levantou-se, dirigiu algumas palavras à companheira e partiu subitamente. Assim, sem aviso prévio.
Foi um homem da comunicação, das artes, da sensibilidade humana. Tive o prazer de trabalhar com ele. Foi meu superior hierárquico o que no caso foi sinónimo de companheiro e amigo. Trabalhou nos últimos anos na Comunicação da CGTP. Deixa-nos, para além de textos e diversificados passos de produção, um filho pequeno e uma filha já mulher. Em mim deixa uma imagem de humanidade. Até sempre Galiza.

9 comentários:

  1. Também eu o conheci e a notícia que me dás do fim da sua existência deixa-me muito consternado.Dele recordarei sempre a sua profunda humanidade,a sua cultura, a sua contagiante boa disposição e emblemático charuto pendurado ao canto da boca. Lembro principalmente uma viagem que fez comigo e a Valentina Marcelino (hoje no "Diário de Notícias" e de quem era amigo)quando fomos em serviço de reportagem ao sul de Espanha conhecer as condições em que viviam os trabalhadores rurais alentejanos durante as campanhas da apanha dos morangos.Acompanhou-nos um dos grandes fotógrafos portugueses: o António Pedro Ferreira.O Galiza tinha-se disponibilizado para nos acompanhar pois possuía bons contactos junto das Comissiones Obreras o que nos poderia possibilitar a abertura de algumas portas que nos seriam úteis para o trabalho que iríamos realizar.E assim foi de facto.Que descanse em paz o nosso amigo Carlos Galiza.

    ResponderEliminar

  2. Noticia de merda
    até sempre

    ResponderEliminar
  3. Nem respeitam os mortos.
    Dores Correia por favor tire o comentário ordinário anterior
    Só conhecia o Sr. de vista mas merece-me consideração e respeito
    APiteira

    ResponderEliminar
  4. APiteita

    Julgo que não percebeu o sentido do desabafo do Bento Anastácio. O que ele quis dizer e sente é que esta é uma notícia de merda, aliás para usar uma expressão que era habitual no Carlos Galiza. A morte de alguém, sobretudo de um amigo, é sempre uma notícia de merda.
    E o até sempre é um outro sinal de amizade e de tristeza.
    Ao contrário do que interpretou, no que leu, o Bento (com quem falei há minutos) era um amigo de há muitos anos e está consternado com a morte do Carlos Galiza.
    Ás vezes leituras apressadas dão asneira. E comentário do Bento nada tem de asneira: tem tudo de amizade e luto.

    Carlos Júlio

    ResponderEliminar
  5. Ok
    Peço desculpa
    APiteira

    ResponderEliminar
  6. Saiu como gostava de fazer ... à Francesa!
    Ate sempre
    Lurdes

    ResponderEliminar
  7. Conheci bem, não privei muito, mas sempre respeitei bastante Carlos Galiza. Também não gostei da notícia. Lamento a sua prematura morte.

    Paulo Nobre

    ResponderEliminar
  8. Porque partilhámos um amigo, porque me emocionei com o que li aqui... Partilho o que escrevi para o Galiza:

    http://vejamseestounachuva.blogspot.pt/2013/02/mestre-e-falares-me-da-saudade.html?m=1

    ResponderEliminar
  9. Andrea:

    Muito, muito bonito. Sem mais palavras.

    c.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.