sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Jogos do Lusitano para este fim de semana


8 comentários:

  1. É isso , a crise aperta e apertamos o Zé Povinho para que a vaca dele possa dar leite aos grandes , criminosos de Portugal .

    Mais um patife ;

    "Coronel da Força Aérea faz jantar de aniversário da mãe na Base Aérea de Beja."

    In:
    http://www.tugaleaks.com/coronel-base-aerea-beja.html


    Jorge

    ( ciclista )

    ResponderEliminar
  2. Mas o Lusitano ainda é VIVO????????????

    ResponderEliminar
  3. Soltas avulsas
    08 Fevereiro 2013, 10:03 por Leonel Moura | leonel.moura@mail.telepac.pt
    Fernando Ulrich disse o óbvio. Que os seres humanos têm uma impressionante capacidade de resistência às adversidades.

    Fernando Ulrich disse o óbvio. Que os seres humanos têm uma impressionante capacidade de resistência às adversidades. O mundo está repleto de gente que sobrevive a guerras, tortura, campos de refugiados, barbaridades sem fim. Que vive em bairros de lata, debaixo de pontes, nas lixeiras, nos lugares mais inóspitos do planeta. Se eles aguentam, em princípio, nós também aguentamos.


    A onda de indignação pelas suas palavras não deriva contudo desta abordagem "estatística". Ulrich não parece ter entendido a questão quando posta em contexto. Ele é banqueiro e não professor de antropologia. Nessa perspetiva, a mensagem é clara. Isto está mal, mas ainda vai piorar. A estratégia de empobrecimento geral, de modo a preservar a saúde do sistema financeiro, é para continuar. Os lucros dos bancos estão indexados à miséria do povo a quem se exige que tudo aguente. É isto que choca.


    O poder dominante, político e financeiro exibe, aliás, uma lógica incompreensível. Em vez de puxar pelo país, de estimular os portugueses a melhorarem as suas condições de vida, de enviar mensagens positivas e mobilizadores, parece apostar num negativismo de tipo abissal. O elogio constante à pobreza, ao sacrifício, à retração do consumo, enfim, à ausência de esperança, é a marca deixada por estes homens que conjunturalmente ditam os destinos de Portugal. Atravessamos um período negro da nossa história. E seria prudente que os seus responsáveis não o tornassem ainda mais negro.


    Tanto mais que as zonas de luminosidade são cada vez mais escassas. Veja-se a reunião da Internacional Socialista em Cascais. A primeira constatação que se retira do friso de individualidades que por lá passaram é a ausência de figuras marcantes. O socialismo atual não tem vultos, gente de destaque na cena mundial. Ao contrário doutros tempos, recorde-se Mário Soares, Mitterrand ou Willy Brandt, hoje temos personalidades de segunda linha. Apresentar como estrelas da jornada George Papandreou e Ségolène Royal, dois derrotados, diz aliás tudo. Alguém fica animado com os conselhos de Papandreou?

    ResponderEliminar
  4. Mas pior do que a falta de figuras, é a falta de ideias. Cascais não produziu uma única digna de registo quando pensamos na situação da Europa e do Mundo. Repete-se a necessidade de uma "alternativa política" e de um programa de crescimento e emprego, mas ninguém diz como se faz isso. O reformismo abunda, num panorama em que a única coisa que se promete é uma gestão mais amena da crise, mas não como a superar.



    Definitivamente, socialistas e sociais-democratas, que assentaram a sua ideologia da segunda metade do século 20 na criação do estado social, estão hoje sem ideias para fazer frente ao império financeiro e ao desmantelamento desse mesmo estado pelos visionários do capital. Pelo caminho perdeu-se a componente liberal, a da ampliação das liberdades cívicas e individuais, que sempre foram a matriz da esquerda. O socialismo contemporâneo tornou-se estatista e anti-liberal, controlador e defensor de um crescente aumento de impostos em nome da defesa de um estado social em vias de extinção. Não se entende.


    E, por falar de incompreensão, abordo hoje, excecionalmente, o futebol. Não tenho o mínimo conhecimento do assunto. É demasiado complicado. Tive oportunidade de assistir à crise do Sporting. Segui declarações e conferências de imprensa, vi gente a atirar ovos a Daniel Sampaio, que eu pensava ser um insigne psiquiatra, mas fiquei a saber que também anda metido nas embrulhadas do futebol. Mas, apesar do muito que ouvi, não percebi nada. É por isso que comparo o futebol à matemática. Com uma diferença. A matemática é simples, o futebol complicado. Dois e dois são sempre quatro, enquanto no futebol nada do que parece é. E nunca deixa de me espantar porque é que os portugueses, quase todos catedráticos em futebol, que sabem o nome de centenas de jogadores, treinadores e dirigentes e até os resultados de anos atrás, não conseguem fazer os cálculos mais simples e detestam a matemática. Será porque a balbúrdia é inconsequente?

    ResponderEliminar
  5. 20:09

    É vivo e recomenda-se, como se prova. É o maior clube, em número de atletas, de Évora. E esta hein?

    ResponderEliminar
  6. o Lusitano Já joga na Silveirinha?

    ResponderEliminar
  7. Bom... a pedido de varias famílias A Associ' Arte vai fazer festa de Carnaval Sábado a partir das 22h, musica ao vivo com os manos Pintos e o João Aleixo, bebida, bifanas e muita animação. No Parque Industrial. Podem ir mascarados de outros o do próprio, a liberdade aqui existe! Esperamos por todos.
    Lurdes

    ResponderEliminar
  8. O Lusitano só existe neste blog

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.