sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

A história que ficamos sem conhecer


Dezasseis crianças saíram ontem de um infantário de Évora. Foram retiradas pelos pais após estes descobrirem que as crianças, a mais velha com três anos, não eram convenientemente alimentadas.
Até ontem os pais pagaram 300 euros por mês para manterem os filhos nesta creche situada numa das mais novas zonas da cidade, junto a uma das saídas de Évora. A creche não tem cozinha própria. Os almoços eram fornecidos através de catering por uma empresa de Évora.
Uma mãe terá desconfiado que algo se passava porque sempre que ia buscar o filho via os meninos com um copo na mão cheio de cereais. Esta desconfiança ficou reforçada quando o dono da empresa de catering terá dito algures que para aquela creche todos os dias levava 5-cinco-5 refeições indicadas para crianças.

Combinados, alguns pais foram à creche no dia seguinte e ficaram chocados com a situação que encontraram: as cinco refeições eram divididas pelas 16 crianças.
A educadora terá sido "apertada" confirmando toda a história. Ao que parece, frequentemente era misturada água na sopa para aumentar a dose e a comida, dividida, todos os dias saía pouca. Parece que era visível que os meninos tinham fome! De tal forma que a educadora e a auxiliar se viram na obrigação de comprarem cereais para diariamente matarem a fome das crianças.

As duas funcionárias - auxiliar e educadora - estavam com vários meses de ordenados em atraso nesta creche que, repito, cobra 300 euros por cada criança.
As crianças saíram da creche e no dia seguinte foram todas integradas numa instituição da
cidade ligada à igreja que não só recebeu as crianças como contratou de imediato a mesma educadora e a mesma auxiliar para tomarem conta dos meninos.

Esta história é verdadeira. Passou-se esta semana em Évora.

Os pais destas crianças ficaram muito descansadas porque os seus filhos estão agora noutra creche em segurança e não quiseram tornar pública esta história através da comunicação social alegadamente por MEDO. Repito M-E-D-O!!!

Fiquei sem saber se terão apresentado queixa na Segurança Social ou na ASAE ou noutro sítio qualquer, ou se também tiveram MEDO!

Não terão estes pais pensado que foram contratar para tomar conta dos filhos duas pessoas que passaram meses a negligenciar a vida as crianças sem falarem com os pais e denunciarem uma patroa-creche que nem sequer lhes pagava os ordenados. Terá sido MEDO?
Os pais que esta semana tiveram MEDO de denunciar publicamente esta situação não terão pensado que na próxima semana mais 16 crianças, a troco de 300 euros mensais, podem entrar naquela creche e começar a sofrer o mesmo que os seus filhos já passaram e, eventualmente, os donos da creche voltarem a ficar com o dinheiro e nem sequer pagarem aos funcionários.

Tudo isto por MEDO!!! M-E-D-O!!!

Eu, jornalista e pai de filhos, senti-me esta semana comovido com a história dos meninos. Amplamente chocado com o silêncio dos pais!

Adenda (27/02/2013): toda a cronologia e mais dados sobre este caso AQUI

35 comentários:

  1. Uma história chocante, em pleno século XXI. Estou sem saber o que dizer. Pensava que coisas destas não pudessem acontecer nos nossos dias. E, se acontecessem, no mínimo, seriam apuradas responsabilidades e condenado(a)s o(a)s responsáveis.
    Mas, pelos vistos, vai tudo ficar em 'águas de bacalhau' e na paz do senhor...

    ResponderEliminar
  2. Isto é que é um país, caneco! Pobre e com medo. Que orgulho! PQP!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Maria Olívia Santos

    ResponderEliminar
  3. Que história, Paulo!

    E não houve notícia?

    CJ

    ResponderEliminar
  4. Em Évora? 2013? Em silêncio? Sem notícia? Vou mas é emigrar, que isto mete medo.

    ResponderEliminar
  5. Para que outros não caiam nisto é importante denunciar.
    Como se chama?
    onde fica?

    ResponderEliminar
  6. Nomes. É importante saber qual a creche, quem os responsáveis, qual a empresa de catering, os pais?

    ResponderEliminar
  7. http://madespesapublica.blogspot.pt
    /#uds-search-results

    não há MÁ DESPESA PÚBLICA EM ÉVORA????

    Oh porra o José Ernesto a Cláudia e o Melgão já deixaram de ver a competência reconhecida?

    ResponderEliminar
  8. http://madespesapublica.blogspot.pt/2012/10/a-incrivel-asociacao-dos-ex-deputados.html

    Onde o Relvas leva os amigos...

    ResponderEliminar
  9. Isto é a história de Évora. Comem (pouco) e calam, borrados de medo, afogados em merda.
    Com jornais de merda, rádios de merda, jornalistas de merda, políticos de merda, creches de merda, professores de merda, funcionários de merda, uma câmara de merda!

    E a seguir virá um merdas dizer que eu também sou uma merda!

    ResponderEliminar
  10. E não é que és mesmo?

    ResponderEliminar
  11. Sem nomes é o diz que disse. Isto é mesmo verdade?

    ResponderEliminar
  12. Miséria ....
    Este pais já não tem principios morais e.. fins.......educacionais.

    Educadora do estado ............................

    ResponderEliminar
  13. desgraças de 1 país de caca ...........!
    cuidado pais e educadores...

    ResponderEliminar
  14. Deve pertencer a alguns beatos,adeptos do bloco central.

    ResponderEliminar
  15. tanto medo e....
    qual é o nome da creche???

    ResponderEliminar
  16. Em primeiro lugar uma grande salva de palmas para este senhor jornalista que não teve MEDO de escrever o que escreveu sem ter qualquer conhecimento dos factos.PARABÉNS MEU AMIGO!!!Sou Mãe de uma das crianças que estava na creche do jardim da cartuxa, sim, jardim da cartuxa, ou tb teve medo de dizer o nome????e agora sim fiquei com MEDO das barbaridades que qualquer um pode inventar em volta de uma história triste mas que desconhece por completo.Não sabe o valor da mensalidade, não sabe quem comprava os cereais para as crianças, inventa ordenados em atraso e nem sequer tem conhecimento que o estabelecimento já encerrou daí que outras crianças não passarão pelo mesmo plo menos naquele espaço tal como refer, isto, entre muitas outras mentiras só para dizer que os pais têm MEDO.Medo devia ter o senhor de falar do que não sabe e ofender quem não conhece.Se não sabe o que se passou e nem sequer sabe as atitudes que os pais tomaram esteja calado que é o minimo que pode fazer para não passar por parvo.Ninguém,repito NINGUÉM muito menos o senhor terá ficado mais indignado com esta situação do que nós, os pais!Não sei se é pai mas pela falta de respeito que demonstrou por estas crianças e respetivos pais deduzo que não o pode ser ou se é...lamento!!
    Para ser bom jornalista não é só mandar postas de pescada para o ar e apanhe-as quem quiser...apure primeiro os factos porque isto não é só o diz que disse!
    Se estou chocada com o que aconteceu à minha filha?Sim estou, mas estou mais chocada com esta noticia de MERDA!
    Mais uma vez PARABÉNS!

    ResponderEliminar
  17. Então quer dizer, que no jardim da Cartuxa existiam dezasseis crianças que pagavam não trezentos euros, mas outra quantia qualquer, que não havia ordenados em atraso, mas que a história dos cereais é verdadeira embora não fossem adquiridos pelas pessoas citadas no post...
    Não desmente que para dezasseis crianças eram adquiridas cinco refeições, que se chama corajosamente mãe Anónima e que o jornalista fez mal o trabalho dele e por isso a dona mãe anónima, corajosamente fez este comentário ao post.
    É isso ou estarei enganado?
    Folgo muito que tenha rectificado, estes jornalistas são uns malandros....

    ResponderEliminar
  18. Miguel

    Deixa-me acrescentar: o acincotons já recebeu um mail detalhado de um outro pai de uma criança onde nenhum dos factos referidos pelo Paulo é desmentido, a não ser que não pagavam 300 euros, mas sim 250, acrescidos de uns pozinhos para outras actividades.
    Estes pais não entendem que a denúncia devia ter partido deles. Encolheram-se com medo de um processo judicial que a proprietária do Jardim da Cartuxa lhes poderia levantar e acham que a denúncia devia ter partido dos jornalistas, da empresa de catering, dos serviços de fiscalização, do Estado, sei lá mais do quê.
    Estão no seu direito de querem resolver as coisas sem "publicidade" ao caso, mas não podem é depois dizer que o jornalista errou - porque tudo o que o Paulo escreve é verdadeiro. Podia ter ido mais além, dizer o nome da creche, claro, mas isso competia aos pais. Um jornalista não é um denunciante, nem um polícia: informa, de forma sustentada e com fontes identificáveis, sobre o que acontece - se não tiver uma fonte que queira dar a cara, simplesmente- mesmo que se queira identificar como anónima - na maior parte dos casos, não há notícia. E o que o Paulo fez aqui no acincotons não foi uma noticia (até porque este não é um orgão de comunicação social): foi partilhar uma informação que ele, enquanto cidadão e pai, achou relevante partilhar com os outros cidadãos e pais.
    Os pais destas crianças têm todo o direito de estarem calados - cada qual decide como muito bem entende -, agora virem mandar "postas de pescada", anónimas, sobre quem ousou quebrar o muro de silêncio em torno de um caso que devia ser exemplar é que não tem muito jeito.

    CJ

    ResponderEliminar
  19. Enquanto Mãe de uma das crianças da creche tb apoio plenamente o que a outra mãe disse...este jornalistazeco não é ninguém para vir falar de factos que não conhece e muito menos acusar os pais de MEDO sem saber o que foi ou está a ser feito!Repito o que foi dito pela outra mãe, os nossos filhos passavam fome SIM e garantidamente que ninguém estará mais indignado que nós,portanto não falem do que desconhecem!
    O que vocês querem é escandalos mas nós enquanto pais civilizados tratámos primeiro do bem estar dos nossos filhos em vez de nos ocuparmos com peixeiradas que a nada levam.O castigo a quem o merece,virá a seu tempo.
    Mais uma vez,não aceitamos que NINGUÉM nos venha criticar muito menos pessoas que não sabem do que falam.
    Já agora quem é o Sr.Miguel para vir afirmar que o que o jornalista escreveu é tudo verdade,ahahaha,desculpe mas tenho que me rir!Muro de silêncio,ahahahah,assim isto já me parece mais uma anedota!!!!Calem-se e preocupem-se com as vossas vidas porque das nossas e dos nossos filhos tratamos nós como bem entendemos!

    ResponderEliminar
  20. E não há queixa crime?
    O Ministério Público não se mexe?
    Não estaremos, perante, um possível público?
    Olhe senhora anónima anterior, critica o que os outros pretendem ver esclarecido e ainda por cima ofende-os, achando que tudo não passa de uma peixeirada.
    Afinal que pretende?
    Olhe que a senhora ao não dar a cara, está a colaborar, como mãe e como cidadã na fraude e na burla, de o seu filho e a própria senhora estão a ser vìtimas.

    ResponderEliminar
  21. O ultimo Posto só pode ter sido produzido por um/a dos donos da referida creche, pois não acredito que um mãe que diz que o seu filha passava fome viesse atacar um jornalista por este ter denunciado este escândalo. A não ser que se esteja perante pessoas que tem algo a esconder, pois de contrário deveriam ser o/as primeiras a denunciar este ato de policia.
    MdM

    ResponderEliminar
  22. O que é certo é que as crianças passaram fome, podendo assim dizer-se que não foram bem tratadas.
    As criticas ao jornalista, aos pais ou a quem quer que seja, são insignificantes a tal acto de mau trato a estes inocentes, isso sim é condenável. Agora quem diz isto ou aquilo são pequenos pormenores.
    Justiça é o que se quer a quem praticou tal actos, actos esses praticados no Jardim creche da Cartuxa, em Évora, pela sra que a dirigia, que também era educadora. E também não podemos esquecer as outras pessoas que lá trabalhavam, que todos os dias assistiam aquele filme e pouco ou nada fizeram para o impedir.
    IL

    ResponderEliminar
  23. Então se não é verdade minha cara senhora, diga lá então qual é a verdade.

    ResponderEliminar
  24. Sou MÃE de uma das crianças que também frequentava este colégio e tal como as outras mães escreveram, ninguém mais do que nós "sofreu" com esta situação. Se o assunto foi totalmente resolvido entre nós, pais dos meninos, não sei qual seria a nossa obrigação de "contar" à CS o sucedido. O assunto já foi devidamente encaminhado para as instâncias competentes e o "castigo" já está ser aplicado...Podem ficar descansados!!!

    ResponderEliminar
  25. Para a mãe, anónima, de ontem pelas 15: 24

    Escreve que "Calem-se e preocupem-se com as vossas vidas porque das nossas e dos nossos filhos tratamos nós como bem entendemos!"

    Cara senhora: Era bom que nunca viesse a precisar da ajuda de outros! Mas um dia há-de precisar! E aí pode ser que se arrependa de ter escrito esta triste frase!

    ResponderEliminar
  26. Este é realmente um caso a lamentar. No melhor pano cai a nódoa e há efectivamente situações dificeis de diagnosticar ou antever. Não é motivo de vergonha. As crianças nao deverão guardar recordações tal é a sua capacidade de adaptação nestas idades. Já aos pais deveria caber outro papel porque com certeza nao vão esquecer este episódio. Impedir os responsáveis de voltarem a repetir abusos desta ordem, em évora ou noutro sitio qualquer, deveria ser entendido como uma responsabilidade. Não os pode surprender a indignação por nao o terem feito e por manterem a confiança noutros actores que foram obviamente cumplices e negligentes, referindo-me à educadora e auxiliar. Surpreende sim, que nao tenham este entendimento.

    ResponderEliminar
  27. Cuidarmos das nossas vidas? Descansar que foi tudo resolvido? E como é que possivel estarmos descansados se existem crianças que estão aos cuidados da mesma educadora e auxiliar que assitiram à falta de condições a que aquelas crianças estiveram sujeitas? Acho que ninguem vai ficar descansado. Nenhum pai/mãe fica descansado quando são relatadas esta situações.

    ResponderEliminar
  28. É tudo boa gente, ou não fossem os donos ligados à Igreja, sim à igreja, aquela que diz que se deve dar a outra face, ou não é isso que lhes é ensinado nas reuniões?. Ou estavam à espera da multiplicação dos pães?.
    É por situações como esta que cada vez acredito menos nas pessoas que batem com a mão no peito. Se Jesus cá faltasse seriam as primeiras a serem expulsas do Templo.
    Até criancinhas roubam, tenham Vergonha.
    MdM

    ResponderEliminar
  29. a creche estava ligada à igreja?
    está explicado.. não é preciso dizer mais nada..
    santa caridade

    ResponderEliminar
  30. a minha neta esteve nesta creche em 2009.....

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.