segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Também a propósito da morte de Jaime Neves


CRIMES DE GUERRA

Passamos a vida a falar e ouvir falar da guerra. A guerra atravessa a nossa cultura como referência negativa, para uns, positiva para outros, mas sempre como fenómeno de integração social pela transferência e representação dos medos para a esfera dos mais fortes. Convivemos com a guerra diariamente, entra-nos pela casa em todos os serviços informativos associada aos mecanismos legitimadores de uma espécie de opinião única alinhada quase sempre com os vencedores. Os outros são os terroristas, são os radicais, são aqueles a quem se associa o caos. Assim percorrem o nosso horizonte bélico em chamas milhões de mortes nas guerras de uma vida, o Vietnam, a Coreia, a Somália, o Iraque, o Afeganistão, a Palestina, a Líbia, o Mali. Esqueci-me seguramente de muitas outras. A guerra em África, como todas as guerras de libertação do colonialismo, tem uma especificidade, foi contada pelos vencidos, ou melhor foi silenciada pelos vencidos. A construção da imagem de Jaime Neves associado ao 25 de Abril e à reposição da “democracia” no 25 de Novembro demonstra bem a forma como se silencia uma guerra. Jaime Neves comandante dos comandos em Tete nesse tempo, foi o responsável pelos massacres de Wiryamu, Chawola, Juwau e Inhaminga, denunciados pelos missionários Asturianos e relatados no local passados 30 anos por Antonino Melo o alferes operacional que comandou no terreno a operação. Jaime Neves era um criminoso de guerra e devia ter sido julgado pelos seus crimes. Mas foi recuperado como herói nacional pela sua participação na contra-revolução, o 25 de Novembro, que permitiu instaurar em Portugal o caminho de destruição das conquistas de Abril, que nos trouxe aqui, exactamente aqui, a este ponto de brutal retrocesso civilizacional que estamos a viver. O ajuste de contas com a história continua com o ataque ao Estado social e à Constituição. É claro que a propaganda oficial assenta na ideia de que eram os que “perderam” essa “guerra”, os comunistas, que queriam instaurar uma ditadura em Portugal, a história voltou a ser contada pelos vencedores. Os comunistas não perderam nenhuma guerra, o povo português sim perdeu, e continua a perder, nesta guerra que o grande capital trava contra os direitos adquiridos, contra o rendimento do trabalho, contra as funções sociais do Estado. Os representantes dos vencedores, os arautos do sistema, os defensores da estabilidade, os signatários do pacto de agressão, PS, PSD e CDS, obviamente enalteceram a figura do criminoso, já antes tinham conseguido silenciar os crimes. Os crimes continuam nesta guerra que não passa, o desemprego, a fome, a morte antecipada pela exclusão de cuidados de saúde, voltaram a Portugal pela mão dos mesmos de sempre. É claro que a resposta a este estado de guerra é a resistência à agressão é a defesa dos direitos conquistados, é a LUTA por um mundo sem exploradores nem explorados.

Luís Garcia (facebook)

62 comentários:

  1. Ah já cá faltava a cassete dos pactos de agressão!

    Coincidentemente ou não foi o assassino do Jaime Neves (os bois têm que ser tratados pelos nomes) que pôs fim à ideia dos comunistas fazerem chegar cá, um regime ditatorial de cariz Soviético - ausência total de liberdade física e de opinião, em troca de serviços de sobrevivência fornecidos à população pelo estado.
    Quando milhões se pessoas morreram subjugados a este desígnio Soviético?
    For falar em assassínios em África.
    O MPLA não era aliadíssimo do PCP? Ou estou a confundir assassinos com seguidores de Cristo?

    Aconteceu uma vez em Portugal.


    ResponderEliminar
  2. E em nome do Comunismo quantos milhões foram assassinados e subjugados, mesmo?
    Não era no regime de Estaline que o Cunhal e outros camaradas se refugiavam?

    Realmente os extremos de tão parecidos odeiam-se mutuamente.

    ResponderEliminar
  3. Tenho uma profunda admiração pelo Jaime Neves.
    Por ele e pelos heróis "politicamente conscientes", que participaram em massacres desnecessários, que dizimaram dezenas de perigosos terroristas, que, imagine-se... lutavam pela independência da sua terra.
    Foram corajosos os jaimes neves, porque assumiram com a sua coragem o terem de matar perigosos ideólogos de quatro, cinco e seis anos, de matarem e queimarem perigosos animais domésticos, inoculados com os genes da revolução.
    Foram sem dúvida pioneiros, os jaimes neves, em levar ao mundo essa glória imensa do Portugal dos pequenitos, do lá vamos nós extirpando e rindo, da grande dignidade dos orgulhosamente sós, mesmo que para isso se tenham de matar os outros todos.
    Esse é o desígnio de ser português! Dar novos MUDOS ao mundo, porque homens sem voz dão sempre jeito, mesmo que depois apenas reste a voz monocórdica, doentia e torpe do fascismo.
    Os jaimes neves do 25 de novembro são os mesmos do 24 de abril, marialvas, arruaceiros, irresponsáveis, submissos à voz do dono, quando é o dono que paga os copos e as boites destruídas e tudo o resto que a anónima democracia "pluralista" contempla.
    são os jaimes neves da força e do bando e do desforço gratuito sobre todos os que não alinham na merda em que eles chafurdam.
    são os jaimes neves dos comunistas que comem criancinhas ao pequeno almoço, os jaimes neves das bombas, dos assassinatos do Amilcar Cabral, do Humberto Delgado, de tantos outros.
    o Jaime Neves que morreu, está morto, fez o seu papel e pelos vistos bem.
    mas os jaimes neves, os anónimos, os verdadeiros, andam por aí, como dragões de Komodo, a verter a baba letal e a espalhar morte e miséria na nitreira da sua ideologia e a dizerem, corajosamente anónimos, que a culpa é da comunalha...
    As suas mães coitadas, sujeitam-se ao insulto de ter parido tamanha escória...

    ResponderEliminar
  4. Sampaio

    vai-te formatar.

    A comunalha que sempre apoiou o regime assassino Soviético ou o MPLA que decepava cabeças de branco em Angola, estão literalmente no mesmo saco.

    ResponderEliminar
  5. E isso é bom como argumento?
    Que eu saiba corpos decapitados, não têm cor, nem credo, nem vida...

    ResponderEliminar
  6. Sampaio

    O meu argumento é semelhante ao seu. Parcial e encabrestado.
    Não se pode é vomitar nuns criminosos e branquear outros.

    ResponderEliminar
  7. Jaime Neves foi travado em 25 de Novembro pelo grupo dos 9,pois teria feito o mesmo que Pinochet.

    ResponderEliminar
  8. Jaime Neves preparava a matança de militantes de esquerda,Eanes travou-o.

    ResponderEliminar
  9. Eanes,Vasco Lourenço,Pezarat Correia........travaram o banho de sangue que jaime neves preparava.

    ResponderEliminar
  10. Odio comunista saiu!Se o Jaime era um criminoso que dizer da união soviética que dava armas explosivos a civis.

    ResponderEliminar
  11. @14:24

    Lá está.
    Opunham-se também à aliança Povo-MFA!
    Outros inimigos, na óptica dos comunistas.

    Os comunistas chegaram a ter amigos ou aliados?

    ResponderEliminar
  12. Era mais suave o gás da Alemanha...

    ResponderEliminar
  13. Sampaio

    Nos Gulags Soviéticos na Sibéria, dizem que também não era Pêra doce

    ResponderEliminar
  14. O Jaime Neves foi um cabrão sádico! O Pol Pot foi um lutador de causas merecedor de um retrato à cabeceira da cama de qualquer bom comunista!! É impressionante!
    Vão todos para um sítio que eu cá sei!

    ResponderEliminar
  15. 14:46
    o Pol Pot foi um dos grandes criminosos contra a humanidade.
    não me atrevo sequer a mencionar esse nome tal o vómito que me causa.
    não foi infelizmente o único.
    Em todo o espectro político encontramos sociopatas que atingiram o poder, com as consequências que todos nós sabemos.
    Nem vale a pena citar nomes. Não é isso que está aqui em causa.
    Imagine que eu embarcava na sua argumentação e lhe perguntava se limpa todos oa dias o pó ao retrato do Hitler na sua mesa de cabeceira...
    Revia-se nessa pergunta?
    Acredito que não.
    Tenha cuidado com aquilo que julga que o seu anonimato lhe permite...

    ResponderEliminar
  16. !4.39
    não era não senhor!
    Está bem documentado.
    No Gulag era o gelo no Tarrafal o calor.
    Só que no Tarrafal a língua oficial era o português...

    ResponderEliminar
  17. Sampaio

    O Tarrafal era uma colónia de férias comparada com o Gulag.

    ResponderEliminar
  18. Caro M. Sampaio,
    gostava de subscrever o seu comentário sobre o criminoso Jaime Neves.
    Não é porque o homem morreu que deixa de ser o criminoso, sádico brutal que sempre foi. Infelizmente ainda cá ficaram muitos bandidos que deviam estar a fazer companhia a esse cabrão. E alguns deles andam por aqui a comentar anonimamente. Não lhes ligue, não passam de bichos raivosos.
    jmc

    ResponderEliminar
  19. @15:11

    Se dúvida camarada. Sem dúvida.
    Numa praça de touros e napalm no cú de cada um desses filhos da puta.
    A seguir enviam-se pra fronteira entre as duas Coreias.

    ResponderEliminar
  20. Percebo o exemplo do Pol Pot. Quer apenas dizer que os comunistas passam os dias a chamar criminosos a este e àquele, sem terem vontade ou coragem de assumir que, em defesa dos regimes comunistas, foram mortos milhões de pessoas!

    ResponderEliminar
  21. 15:18
    Vou escrever um post acerca do que afirma.
    Tenho no entanto que lhe dizer que em vez de "em defesa do regime comunista", vou colocar "em nome".
    Faz toda a diferença.
    Quanto ao resto...

    ResponderEliminar
  22. Chamar criminoso só porque teve que matar em guerra é um golpe baixo,O comunismo e o fascismo são idênticos por isso desapareceram do mundo civilizado.

    ResponderEliminar
  23. @15:18

    Essa falta de coragem que menciona desses cavalheiros é uma mistura de muita coisa.

    A quem defende o Jaime Neves eles chamam de assassinos e fascistas.
    Mas o Cunhal e outros a quem Estaline deu guarida, são “brilhantes lutadores anti fascistas.

    Está a ver a diferença entre os fanáticos da extrema-direita e da estrema-esquerda?

    ResponderEliminar
  24. Cuidado que o idiota anda à solta e sem cabresto!

    ResponderEliminar
  25. JAIME NEVES cometeu CRIMES contra a HUMANIDADE.

    ResponderEliminar
  26. Os COMUNISTAS cometeram CRIMEScontra a HUMANIDADE

    ResponderEliminar
  27. Os CAPITALISTAS cometeram CRIMEScontra a HUMANIDADE

    ResponderEliminar
  28. O IDIOTA à solta é um perigo para a HUMANIDADE.

    ResponderEliminar
  29. Os funcionários vão estar de prevenção até às 18H. O partido tem contas negativa e não paga horas.

    ResponderEliminar
  30. 15:25 e 15:26

    Uma coisa é a guerra. O mata para não se ser morto. Outra é a preparação de um massacre contra homens, mulheres e crianças. Foi uma barbarie este massacre de WIRYAMU, aliás bem documentado no romance (a partir desta operação) NÓ CEGO, de Carlos Vale Ferraz. Há muita documentação na internet. Por isso, não é lícito comparar uma e outra coisa. Quem preparou o massacre é um criminoso e como tal deveria ter sido julgado, tal como os impulsionadores e dirigentes das diversas barbaries comunistas que enlamearam décadas de luta dos trabalhadores e dos mais pobres em todo o mundo chamando socialismo ao que apenas foi uma ditadura sangrenta (nalgumas coisas diferente do fascismo mas com um imenso tronco em comum: o autoritarismo) como grande parte das ditaduras. Ou como disse o escritor e professor português António José Saraiva, um antigo comunista: "Comunismo e fascismo são o reverso da mesma medalha". Só dá pena é que muitos que hoje vêm dizer mal do comunismo só tenham como solução o fascismo: de ideias, de posturas, de maneiras de estar, em que tudo o que é diferente é para destruir ou para proibir. Isso sim é o mais triste.

    Carlos Júlio

    ResponderEliminar
  31. BRAVO LUÍS GARCIA!
    Belo texto. Retrata a realidade. e assinaste-lo. Agora meia-dúzia de hipócritas que nem o nome dão, vomitam barbaridades.
    Saberão o que é a guerra?
    Passaram pela Guerra colonial?
    Na zona de Nabuamgongo, Angola, no Canacassala, Mata 28 de Maio, penso que em 1970/1971,um grupo de combate (pelotão) de comandos, comandados por um alferes, meu patrício, que também está a passar pelo estertor da morte (há um fulano que com algum gozo, gosta de dizer "cá se fazem, cá se pagam"), fez um massacre de alguns dezenas de pessoas (homens, mulheres e crianças.
    Após esse massacre o meu pelotão, após alguns dias, subia na mesma zona um riacho de águas cristalinas.Não o acompanhava, pois outros afazeres, não me permitiram fazer aquela operação.
    O pessoal começou a ter sede e de imediato se debruçaram sobre o riacho, onde se dessedentaram e encheram os cantis.
    Continuando a marcha, começaram a sentir um cheiro nauseabundo de carne em putrefacção.Pensou-se nalgum animal morto...A marcha prosseguiu e o espanto aconteceu. Sobre o riacho, amontoavam-se corpos já em avançado estado de decomposição.
    A água bebida vomitou-se, após os dedos introduzidos na boca, até ao fundo da garganta.
    A zona em questão, que bem conheci, era uma zona de aldeamentos clandestinos, onde a população se refugiava, subnutrida e sem grande protecção de guerrilheiros, pois a FNLA que aí dominava, estava em profunda decadência.
    Tal massacre teria sido desnecessário. Nós, a chamada tropa fandanga, só mesmo em ataque, atirávamos. Caso isso, não acontecesse, não havia ordem para atirar.
    Palavras par quê?
    Para elogiar o Jaime Neves?

    ResponderEliminar
  32. Quantas vezes os turras utilizavam as aldeias com os inocentes para terem ai as suas bases camufladas,é umas palhotas de pobres e e virávamos costas de seguida uma chuva de ferro e lá ficavam uma centena de camaradas mortos esfarrapados pela armadilha.


    ResponderEliminar
  33. Não Carlos Julio

    O ataque ao comunismo é única e simplesmente reacção. Reacção contra o branqueamento que se fez e faz ao comunismo pelos zelosos funcionários ou fanáticos militantes.

    Não é concebível que esta gente ande uma vida a criticar ferozmente os outros sistemas, sem nunca, mas nunca, se terem redimido dos crimes perpetrados em nome da sua ideologia.

    Ao menos os padres já pediram perdão à Humanidade pelos crimes da inquisição - estes crimes, em número bastante menor.
    Sem dúvida que fascismo e comunismo são exactamente a mesma coisa mas ao contrário.

    ResponderEliminar
  34. @20:44
    Fascismo é uma das formas com que o capitalismo se organiza!
    E que se saiba o capitalismo nunca pediu desculpa pelos crimes que cometeu e continua a cometer sobre os cidadãos e os povos?
    Raro é o dia em que não assistimos à difusão, nem que seja à bomba sobre populações civis, do capitalismo. E os que levam com as bombas na cabeça ainda são acusados de criminosos e terrorristas. Mesmo que seja crianças.

    Abre os olhos e vê os que se passa no mundo, antes de escreveres disparates!

    ResponderEliminar
  35. @20:55

    Então o Comunismo é a forma fascista do Socialismo.
    Desculpe, mas tenho mais respeito aos animais do que aos comunistas que investem no branqueamento, dos crimes efectuados em seu nome.

    ResponderEliminar
  36. Um filho da puta morto não deixa de ser um filho da puta!

    ResponderEliminar
  37. Ó meu anónimo das 19,42, ao menos eu falei-te de um caso concreto.
    Onde se passou o teu caso?
    Talvez, brevemente, seja contado em orgãos de comunicação social por quem o viveu.
    ABAIXO O ANONIMATO!

    ResponderEliminar
  38. @23:21

    Gomes,
    és idiota, ou andas aqui a branquear os milhares de crimes cometidos contra os brancos pelos turras, ou inclusive contra negros?

    ResponderEliminar
  39. @08:29
    ó idiota, "turras" são aqueles que invadem e ocupam territórios que não lhes pertencem nem nunca pertenceram.
    Turras foram aqueles que viveram do negócio da escravatura desses povos.
    Turras foram aqueles que trataram os povos nativos como escravos e “não pessoas”, sem direitos nem vontade própria.
    Turras são aqueles que exploram e matam sem respeito pelos outros seres humanos.
    Turras são aqueles que bombardeiam e matam populações civis, alegando que estão a espalhar a fé e o império.
    Turras são aqueles que bombardeiam populações civis, alegando que estão a espalhar a democracia e a defender os direitos humanos.
    Turras são os nazis de ontem e os nazis de hoje, que inventam histórias e mentiras para bombardear civis e tomar conta das suas riquezas.

    E ainda tem a distinta lata de chamar "turras" às vítimas e aos espoliados.
    Cambada de nazis!

    ResponderEliminar
  40. @10:21

    Turra és tu que só vês os crimes dos outros e teimas em ficar cego para os crimes cometidos em nome do outro tipo de fascismo, o comunismo!

    Tens vergonha mas és daqueles que tem uma fé inabalável, que um dia a memória humana colectiva sofrerá uma espécie de "delete" electromagnético planetário, com o comunismo de regresso aos amanhãs que cantam. Novos Lenines e Estalines e toda essa gente, cavalgarão uma pororoca de exércitos vermelhos que combaterão os insurrectos e os meterão definitivamente em praças de touros convertidas em campas rasas, e herdades no Alentejo em Gulags.

    ResponderEliminar
  41. @10:35
    Está visto que sem os rótulos e a cassete não consegues raciocinar. Ora lê lá outra vez outra vez O QUE ESTÁ ESCRITO e comenta, se fores capaz.
    Diz-nos lá o que não concordas e aquilo com que concordas?
    Diz-nos lá aquilo com que te identificas e aquilo com que não te identificas.
    Ou incomoda-te muito que os teus valores e aquilo que defendes tão cegamente, se possam enquadrar na categoria de terrorismo?
    Ou, afinal, é dos que acham que há terrorismos que, por serem exercidos por certos estados, são melhores que os outros?
    Ou, afinal, és dos que acham que a democracia é exportável em bombas, atiradas sobre as populações cabeças dos inocentes?
    Ou afinal achas que é justo espoliar as riquezas dos povos, condenando-os à morte ou a viverem na miséria, nem que seja à lei da bala.
    E, afinal, achas justo que, quando esses povos reclamam aquilo que sempre foi seu, sejam acusados de “turras”.
    Olha pá, e se fosses pregar para outra freguesia?... é que estou farto da tua cassete idiota.

    ResponderEliminar
  42. *atiradas sobre as cabeças dos inocentes

    ResponderEliminar
  43. @11:50

    Eu sou anti ditaduras. Qualquer uma, da direita à esquerda.
    Pela liberdade. Pelos direitos mas também pelos deveres.
    Tu não. Tu és pela ditadura Socialista. O Comunismo.

    Tá visto que não tens absolutamente vergonha nenhuma dos assassínios cometidos em nome do comunismo. Tá visto que tens saudades do tempo que vivias iludido que isto podia dar num regime pró Soviético. Tá visto não sabes conviver com a liberdade de opinião e expressão.

    Como comunista que és, confundes a sociedade em que te inseres e que foi escolhida livremente, como uma sociedade de terror que nos gabinetes dos governos, se preparam maquiavelicamente bombardeamentos a gente pobre e miserável.
    Como comunista, és contra a exploração dos povos, mas apoiaste sempre o MPLA, na luta e na usurpação miserável da elite ao povo Angolano.
    Apoias a usurpação miserável da liberdade ao Povo Coreano.
    Apoias a supremacia da elite comunista sobre o subnutrido povo Cubano.

    Que mais queres que te diga vesgo?



    ResponderEliminar
  44. @12:44

    E o que chamas aos regimes que exportam a democracia em bombas atiradas sobre as populações civis?
    DEMOCRACIA OU DITADURA?

    E o que chamas aos regimes que espoliam as riquezas dos povos, condenando-os à morte ou a viverem na miséria, nem que seja à lei da bala?
    DEMOCRACIA OU DITADURA?

    E o que chamas aos regimes que se acham no direito de impor dirigentes a outros povos, sempre que os que forem escolhido pelos povos não sirvam os seus interesses imperialistas?
    DEMOCRACIA OU DITADURA?

    E o que chamas aos regimes que assentam eles próprios no roubo e no genocídio de dezenas de milhões de nativos?
    DEMOCRACIA OU DITADURA?

    ResponderEliminar
  45. «confundes a sociedade em que te inseres e que foi escolhida livremente»
    Pergunta aos indios da América se foram ouvidos e achados nessas escolhas?
    Pergunta se as terras que possuiam e os 50 milhões abatidos e mortos em campos de concentração (a que chamavam reservas) também escolheram livremente esse destino.

    Para não falar nem nas centenas de milhares de refugiados de Dresden, ou nas populações de Hiroshima e Nagashaqui, ou nos 600 mil Iraquianos, ou..., ou... vitimas das BOMBAS "DEMOCRÁTICAS".

    ResponderEliminar
  46. Gosto tanto dos Americanos do poder como de comunistas.
    Ainda assim, prefiro os americanos.

    As populações civis são sempre usadas pelos "libertadores dos povos" amigos dos comunistas, como escudos humanos. Dizem aos americanos que estão lá, e depois pisgam-se. Fazem-no sem pudor algum

    Dos talibãs - essa raça democratica que ama as mulheres livres e os homesexuais - á AlQaeda tudo gentinha de bem, para o partido comunista. Evidentemente.

    ResponderEliminar
  47. Mais um comentário de idiota que, sendo cego, não hesita em acusar outros de só ver com um olho.

    Argumentam com os bombardeamentos indiscriminados que matam milhões de civis inocentes no mundo inteiro, responde com os talibãs.

    Argumentam com os direitos dos povos a escolherem o seu próprio destino, sem terem que levar com as “bombas de democracia”, responde com a defesa dos direitos dos homossexuais.

    Argumentam com a clausura de um povo inteiro em campos de concentração e o genocídio de milhões de nativos. Responde que prefere os "americanos" aos "comunistas", misturando nações e povos com regimes e ideologias, confundindo o cu com as calças e mostrando a confusão que vai por aquela cabeça.

    Mas ele sente-se iluminado por um espírito divino inquestionável que o impede até de raciocinar. Mas os outros é que são cegos.

    ResponderEliminar
  48. Falam de qualquer assunto nacional ou local. O idiota só quer falar de política internacional. Invariavelmente lá vem a cassete da Coreia do Norte ou Cuba.
    Da repressão e corrupção no México ou Chile, da miséria e fome cujo expoente é o Haiti, etc., das dezenas de jornalistas e sindicalistas assassinados todos os anos, dos bombardeamentos de centenas de milhar de civis inocentes, disso nunca ouviu nem quer ouvir falar.

    Para o idiota matar crianças é um crime horroroso, se for cometido na Rússia ou em países sob a sua influência. Porém se morrerem em Gaza, trata-se de uma justa “luta contra terroristas”. Se forem mortos por “drones” no Paquistão ou no Afeganistão faz parte da “luta contra os talibans”. Se forem mortos na Jugoslávia ou na Líbia ou na Síria, são vítimas de “danos colaterais”. Se for na Síria, inserem-se na “luta pela democracia”. Tal como no Iraque morreram na luta contra “as armas de destruição maciça”.
    Se forem os comandos de Jaime Neves a assassinar dezenas de mulheres e crianças em Wyiriamu e a jogar à bola com as suas cabeças, provavelmente será o preço a pagar pelos "benefícios da civilização ocidental".

    Mas, enfim, o idiota talvez nem se aperceba que se limita a ser caixa de ressonância das centrais de desinformação que nos entram todos dias em nossas casas, através daquela caixa negra a que chamamos TV.

    ResponderEliminar
  49. @15:38

    Dá-me vómitos sempre que leio um comunista escrever sobre direitos humanos, liberdades e garantias.

    ResponderEliminar
  50. O zeloso funcionário INSISTE jogar areia para os olhos do Povo.

    A cassete do ocidente imperialista e do pacto de agressão, elevados á potência da paranóia esquizofrénica, só podia dar em PCP. Os maus são sempre os outros.

    Que pena que a URSS tenha caído de podre e a Cuba esteja para ali jogada a balões de Soro de Petróleo Venezuelano. Deixamos de assistir ao “espectáculo” “fabuloso” que era ver MI’s-24 e MI’s 25 caírem com os mísseis STING lançados pelos Talibãs no Afeganistão, queixando-se que os Soviéticos lhes assassinavam os filhos; ou dos MIG Soviéticos pilotados por Cubanos ao serviço do MPLA, devastando aldeias repletas de mulheres e crianças em Angola.

    Enfim, o encabrestado funcionário nunca poderá alcançar muito mais do que lhe é permitido.
    Ainda me pergunto. Falam sério ou é mesmo demagogia reles?

    ResponderEliminar
  51. @15:59
    Os vómitos que te dão não é por leres um comunista (que o texto não refere, nem podia referir), mas por seres incapaz de raciocinar sem recurso aos rótulos e chavões que te formatam a mente.
    Os vómitos não são provocados por não ser verdade aquilo que lá está escrito. São provocados pela surpresa de apresentarem um ponto de vista diferente daquele que é usado pela propaganda diária. É isso que te provoca os vómitos. O espanto, a tentativa de negação e a incapacidade de resposta.
    Mas é bom que depois dos vómitos, reflictas um pouco sobre os diferentes pontos de vista com que as coisas podem e devem ser analisadas. Evitarias assim “vomitar” os disparates constantes com que emporcalhas estas caixas de comentários.

    ResponderEliminar
  52. @16:44

    Caiu-te a boina!

    ResponderEliminar
  53. Sabes porque me dá vómitos?

    Porque o funcionário Luís Garcia - deve estar ainda a viver a síndrome da orfandade do 25 de Novembro - começa por falar na Guerra, passa pelos assassínios e acaba com os agressores PSD PS e CDS que fizeram um pacto propositado para foder o Povo!

    Os que ficaram são um colectivo de psicóticos.
    Razão têm os outros que pularam fora mal o muro da vergonha caiu.


    ResponderEliminar
  54. @16:26
    Se fores capaz muda as siglas, e tenta tirar as devidas ilações. Para as populações civis bombardeadas é indiferente se as bombas saem de um MIG ou de B-52.

    O que os povos precisam é que os deixem ter liberdade para decidir o seu próprio destino. E se quiserem ajudar, que o façam com alimentos, roupas e outros bens, mas sem bombas!

    Infelizmente para ti, a agressão externa a um país livre e independente é coisa normal e natural, se for feito pelo “bons”. É coisa detestável se forem os “maus”. E com essa visão maniqueísta não há nada a fazer. E, o pior, é que nem te dás conta de que és precisamente aquilo que acusas os outros.

    ResponderEliminar
  55. @17:06

    Eu sou livre e vejo os 2 lados da questão. por exemplo o Iraque foi um abuso assim como a não permissão de um estado palestiniano o é.
    Mas não gosto de terroristas e sei que por causa deles muitos inocentes vão-se...

    Mas tu não és livre.
    És formatado para ver apenas naquele cone.

    Por falar em alimentos e roupas...quem são os maiores doadores para a ONU, por exemplo? Quem são? Não me digas que são os países Imperialistas!!

    ResponderEliminar
  56. @17:14
    "os "os terroristas"

    A “guerra ao terror” tem sido muitas vezes desculpa para dar cobertura ao treino de terroristas e criar grupos terroristas. Hamas e Al Qaeda, por exemplo, começaram por ser grupos terroristas patrocinados pela CIA. Uns porque dividiam a OLP, outros porque combatiam os soviéticos.

    Os próprios sionistas de Israel foram durante anos identificados como terroristas pelos países que ocidentais que colonizavam a Palestina. Em Portugal passou o mesmo com os movimentos de independências das colónias, Os antigos “turras” são hoje respeitáveis governantes de países independentes, com os quais Portugal tem relações diplomáticas e comerciais.

    O terrorismo tem de ser avaliado caso a caso para se perceber as suas razões e motivações. O terrorismo não é solução para nada, mas muitas vezes é a solução de grupos radicais para responder a situações de extrema injustiça praticada sobre as populações. E a solução não pode passar pelo bombardeamento dos civis, que pretensamente se pretendem defender. A resposta ao terrorismo tem de passar pela resolução de eventuais injustiças e por dar condições aos povos para beneficiarem das suas riquezas.

    O que não é aceitável é a invocação do “terrorismo” com justificação para manter as reservas mundiais de matérias-primas sob o controlo de certas potências mundiais, deixando os povos que detêm essas riquezas a viver na miséria. E o Iraque não é situação única. Muito longe disso.

    ResponderEliminar
  57. @17:16

    Não vejo os terroristas como uns tipos que estão ali para ajudar populações. São da estirpe que acredita que a justiça faz-se com balas de Kalashnikov ou rebentamento de minas ou bombas.
    Não o são bonzinhos o IRA, a ETA, a AlQaeda, as FP's, Islâmicos, etc.

    Terorismo é fraqueza psicológica ou argumentativa.

    O problema é a corrupção.
    Governos e governantes corruptos que "vendem" a riqueza das nações ás potências com capacidade e tecnologia exploradora. África, por exemplo.

    O Iraque concordo. Foi um acto de rapinagem.

    ResponderEliminar
  58. Ao ler tão analfabetados e anónimos comentários, há uma felicidade infinda, por não conhecer tão intelectuais comentadores. Se os conhecesse, de certeza que lhe vomitaria em cima.
    Penso que até o vomito seria um desperdício.
    Por tão nauseabundo comentário ao "A cinco tons" peço perdão.

    ResponderEliminar
  59. Gomes

    Consegues dizer alguma coisa de jeito? ou só vais babando tal como os outros, de vez enquando?

    ResponderEliminar
  60. Anónimo de 30 Janeiro, 2013 08,50, sabes que, o teu comentário, enferma de erros de português?

    Deveria ser escrito, assim:

    "Consegues dizer alguma coisa de jeito? Ou só te vais babando, tal como os outros, de vez em quando?"

    ResponderEliminar
  61. Tenham cuidado que o idiota já cá está!

    ResponderEliminar
  62. Gomes

    Deves armar-te também em intelectual de esquerda, que por sinal têm todos um ponto em comum: conseguem dar a volta ao tema sem nunca chegarem a conclusão alguma.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.