quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Queremos ou não ter políticas e políticos?

foto daqui
A descredibilização da política é uma das várias consequências preocupantes da crise que estamos a viver. Entre os valores fortemente desvalorizados por esta crise de origem económica e financeira, estão o valor do trabalho, o da prestação de serviços essenciais a todos por parte do Estado,mas  também a política, na sua generalidade, está a ser debilitada.
Esta foi uma das ideias defendidas por Joan Manuel del Pozo, hoje em Lisboa numa conferência intitulada "As cidades Educadoras em tempo de crise" em que a Câmara de Évora esteve representada.
"A política foi colonizada por técnicos de uma comunicação esvaziada de valores". Esta comunicação supostamente asséptica, alegadamente não ideológica, pretensamente imune e imunizadora, revela-se como componente significativa da crise que na base é, segundo aquele professor de Filosofia, uma crise de valores.
E porque ética parece a muitos algo de distante ou fastidioso, Pozo esclareceu que a ética nasce da necessidade que os humanos têm de viver de acordo com a sua condição humana. Essa condição humana é social e cooperativa. E a emergência brutal dos valores do individualismo e da competição, causas e consequências desta crise, questionam e põem a em causa a mesma condição humana. 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.