quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O Doce Olhar



Palavras murmúrio
Palavras sussurro
Palavras tecidas
Ditas de sôfrego
Como se tempo não houvesse
E tudo se passasse aqui
Sobreposições
De amor e desenlace
De paixão e raiva
De tudo
Com mãos abertas
E uma pena a flutuar
Numa límpida vontade
O sorriso encanecido
As rugas
O andar titubeante
Por entre as ruínas de uma cidade
De um país
De uma ausência
Inquietação em vez de fado
A alvura da alma.

Suspeitos de desvio de dinheiro no sector das águas da CME despedidos com justa causa e obrigados a repor mais de 50 mil euros


Pelo que o acincotons sabe, a reunião de ontem à noite da Câmara Municipal de Évora, à porta fechada, convocada para deliberar sobre o inquérito disciplinar interno feito aos dois trabalhadores da autarquia acusados de desvio de dinheiros no sector das águas, resultou, por parte dos autarcas, na aprovação do relatório final e das medidas disciplinares por ele preconizadas: os dois trabalhadores, acusados do desvio de verbas, são despedidos com justa causa e obrigados a reporem os montantes apurados, no valor de cerca de 55 mil euros. Sobre este montante, foi dito na reunião, que ele resulta dos procedimentos utilizados em foro de processo disciplinar, mas que os valores apurados pelo inquérito criminal, que segue o seu curso, nomeadamente através de investigações da polícia judiciária, serão muito mais elevados.
Antes desta reunião à porta fechada, a Câmara reuniu em sessão pública para reapreciação da Reestruturação Interna que tinha sido chumbada em anterior reunião da autarquia com os votos contra da CDU e do PSD. Desta vez o vereador do PSD votou favoravelmente absteve-se, deixando passar a proposta com o voto de qualidade do presidente da autarquia, depois da Câmara ter apresentado cerca de três dezenas de páginas de fundamentação para a reestruturação que quer fazer. António Dieb considerou suficiente esta fundamentação para alterar o sentido do seu voto.

80 poemas da (e para a) Margarida Morgado


É já depois de amanhã a homenagem a Margarida Morgado, promovida por um grupo de amigos da escritora,  nos "Cantares de Évora", por ocasião do seu 80º aniversário. O mote para este encontro é "80 anos, 80 amigos, 80 poemas" e, para assinalar esta ocasião, foi preparada uma edição raríssima de um conjunto de 80 poemas da Margarida (estão disponíveis apenas 50 exemplares, numerados) com uma belissima capa do artista eborense António Couvinha, que acima reproduzimos.

Ontem como hoje

(clique na imagem para aumentar)

clique para ler

Hoje junto ao Parlamento


terça-feira, 30 de outubro de 2012

Chegaremos a saber o que se passou com o dinheiro desviado no serviço das Águas na Câmara de Évora?

(noticia do desfalque no sector das águas publicada no jornal REGISTO há mais de uma ano atrás)

Hoje duas (seguidas) reuniões de câmara extraordinárias. Uma pública para voltar a votar a segunda peça da reestruturação, (chumbada na reunião anterior) e outra não pública para decidir os processos disciplinares instaurados a dois trabalhadores. Às 21 e 21,30.

(Eduardo Luciano, Vereador da CDU na Câmara de Évora, via facebook).

Depois de Redondo, Alandroal, Estremoz, Sines... movimento de independentes vai ser apresentado este sábado em Beja


Movimento "Por Beja com todos" defende projecto para o concelho.
Um movimento independente que quer "envolver a população na construção de um projecto para o concelho" – é este o mote do movimento de cidadãos "Por Beja com todos", cujo manifesto é apresentado no próximo sábado, 3 de Novembro, num hotel da cidade.
Segundo adianta esta terça-feira, 30, a rádio Voz da Planície, o movimento é coordenado por Lopes Guerreiro [na foto], actual director da ExpoBeja, ex-militante do PCP e antigo presidente da Câmara de Alvito, que conta a seu lado com nomes como José Pedro Oliveira (eleito do Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Beja), Luís Miguel Ricardo (escritor e técnico de um Centro de Novas Oportunidades) ou Celina Nobre (técnica do IEFP e antiga presidente da Junta de Freguesia de Casével).
"Este é um movimento independente, de pessoas comuns, que quer envolver a população na construção de um projecto para o concelho", explica Lopes Guerreiro citado pela Voz da Planície, garantindo que o movimento surgiu "há cerca de seis meses".
Desde então, "um grupo de pessoas preocupado com a situação do concelho tem reunido para construir – com um envolvimento permanente, alternativo, independente e de futuro, sem condicionalismos temporais ou de financiamento – um projecto para clarificar objectivos para Beja", acrescenta Lopes Guerreiro, que conclui: "Sabendo o movimento que não poderá colocar em prática os objectivos que vierem a ser identificados, esta organização, independente vai, numa outra fase da sua formação, e a longo prazo, apoiar candidaturas autárquicas que se revejam nos mesmos, que apresentem programas dentro das suas linhas orientadoras e com propostas concretizáveis". (INFORMAÇÃO CORREIO ALENTEJO)

Manuel António Domingos
30 Outubro, 2012 10:55

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

da importância do trabalho de grupo, da comunidade ou do colectivo.

foto Joaquim Carrapato
Francisco é um míudo de 9 anos que anda no 4º ano do primeiro ciclo em Évora. A professora, certamente ciente da importância de promover o trabalho de equipa propôs-lhe, este fim de semana, como TPC explorar um certo tema em conjunto com outros três colegas da turma. Francisco fez o trabalho segundo a sua perspectiva e no final assinou-o com o seu próprio nome e com o dos outros colegas. Quando lhe perguntaram porque fazia assim, Francisco respondeu que era muito dificil se juntarem porque vivem em lugares distantes na cidade e não têm ainda autonomia de deslocação. Para além disso, disse  Francisco, uma das colegas não tinha nenhum interesse no tema, o outro não gosta de escrever e o terceiro prefere jogar à bola de cada vez que se encontram.

Paulo Neto é Professor Doutor em Economia na Universidade de Évora. E dizia, na passada quinta feira, no debate sobre o papel das empresas na construção de Évora, cidade educadora, que a maioria das pessoas está bem preparada tecnicamente e responde com elevada qualidade quando solicitada individualmente. Mas que colectivamente temos dificuldades. Não sabemos articular-nos. Afirmava ele que as instituições da cidade não se articulam e que a sorte é que cada um de nós conhece A ou B na instituição X ou Y e que por essa via lá vai conseguindo resolver cada situação em presença. O que só confirma que não sabemos trabalhar, pensar, estar em grupo.
Mas que a qualidade do nosso futuro depende cada vez mais da capacidade de saber estar, trabalhar e ser na comunidade, no grupo, no colectivo, isso é certo.

domingo, 28 de outubro de 2012

Aguiar-Branco ou Aguiar-Tinto?




"Este adversário é tão corrosivo, tão arriscado e tão perigoso para a Segurança Nacional como qualquer outra ameaça externa", afirmou José Pedro Aguiar-Branco depois de acusar os "comentadores de fato cinzento e gravata azul" de fazerem "o discurso da inutilidade das Forças Armadas" e de serem o seu "o maior adversário".

Concerto de Órgão esta tarde na Sé de Évora


Música nas Igrejas -  Concertos de Órgão - Organista Gianvito Tannoia - Sé de Évora - 28 de outubro, 16,30H.

sábado, 27 de outubro de 2012

As pessoas lutam por alguma coisa que lhes faça sentido

"O que fiz ao longo destes anos foi desenvolver (em colaboração com economistas) o conceito de "desenvolvimento humano", ou seja, o conceito de capacidades. Trata-se de sustentar que o crescimento económico, medido pelo PIB per capita, não é suficiente para avaliar a qualidade de vida de um país - já que realmente não capta a realidade da distribuição - pelo que pode atribuir uma alta qualificação a países que mantêm alarmantes desigualdades de oportunidades. Para além disso, ignora o facto de que a vida humana próspera implica muitas componentes diferentes umas das outras e que variam de forma independente e independentemente do crescimento económico regional ou nacional. Um país pode ter um elevado crescimento sem liberdade política e religiosa. Mas as pessoas querem ter voz sobre a sua vida política e moral. Um país também pode crescer bastante sem uma adequada distribuição de oportunidades de educação, de acesso à saúde, ou mesmo da preservação elementar da integridade corporal - como mostra com tanta clareza o meu próspero país [EUA] - com as suas lutas pela educação e pela saúde, e também com o seu lamentável historial de violência de género.
O que nós temos defendido é que a medida correta do desenvolvimento se foca nas pessoas, é sensível à distribuição e é plural. Reflete o fato de que as pessoas não lutam pelo rendimento nacional, lutam sim por uma vida que lhes faça sentido. "

Esta é  uma parte do discurso  com  que Martha Nussbaum  recebeu ontem, em Oviedo, o prémio Príncipe das Astúrias das Ciências Sociais. (A tradução livre aconselha a leitura do original aqui)
Martha Nussbaum, filósofa Norte Americana, tem trabalhado bastante com economistas (por exemplo Amartya Sen, Prémio Nobel da Economia em 1998), ainda deve estar nesta altura por Espanha e não passou despercebida aos Sinais de Fernando Alves.
Será que alguém a pode apresentar a  Passos Coelho, ou a outros responsáveis deste país ? Parece-me importante porque urge encarar os "enfoques" de forma mais actualizada. Ou seja, está mais do que visto que precisamos de outras aproximações, ou abordagens, à realidade que estamos a viver. 

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Em Beja e em Évora: não há-de ser por falta de manifestações que a coisa não vai lá




Este vai ser um sábado de manifestações em Beja e em Évora, organizadas por entidades ligadas ao poder local e a instituições da sociedade civil. 
Organizada pela Cimbal (Comunidade Intermunicipal do Baixo Alentejo), pelo Nerbe/Aebal (Núcleo de Empresários do Baixo Alentejo) e pela Turismo Alentejo (entidade regional de turismo), com apoio de duas dezenas de entidades do distrito de Beja, realiza-se no próximo sábado, 27, à tarde, uma “Marcha lenta pelo IP8 e pelo IP2”. No mesmo dia tem lugar em Beja uma “Concentração contra a extinção de freguesias”, promovida pela delegação distrital da Anafre. 
A marcha lenta distrital inclui desfiles organizados em cinco colunas, a sair de Serpa, Vidigueira, Aljustrel, Castro Verde e Ferreira do Alentejo e a terminar em Beja, junto ao antigo Governo Civil, cerca das 16:30. 
Também em Beja, e este sábado, realiza-se uma concentração contra a extinção de freguesias, no Jardim do Tribunal, às 17:00 horas.
Já em Évora, a concentração contra a extinção de freguesias acontece de manhã. São promotores desta iniciativa-Movimento de Utentes dos Serviços Públicos -União dos Sindicatos de Évora -Plataforma de Freguesias SIM -Direção Regional do STAL -Federação Distrital de Pensionistas e Idosos -ANAFRE Delegação de Évora -Movimento da Água Publica e terá três pontos distintos de concentração que, depois, convergirão para a Praça do Giraldo: Hospital do Espirito Santo (Montemor, V. Novas, Viana, Portel, Mourão e Reguengos); Rua da Lagoa (Mora, Arraiolos, Estremoz, Borba, Alandroal, Vila Viçosa e Redondo); Rua 5 de Outubro, junto à Sé (Évora). Às 10, 30.

Trulé (Manuel Dias) este sábado na "é neste país"

Este sábado, 27 de Outubro, pelas 11.30h
Com quantos pontos se conta um conto?

Trulé



Apareçam neste país!!
--
é neste país!Rua da Corredoura nº8, Évora
266731500
http://nestepais.wordpress.com/


Mudar para tudo ficar na mesma


Era bom que as notícias se restringissem ao DS
Não precisávamos nada de saber que a reestruturação dos serviços municipais de Évora vai criar 3 departamentos e, imaginem, 9 gabinetes (!!!) com ordenados iguais a directores de departamento.
Ou seja, como a lei estipula que a Câmara de Évora não pode ter mais que 3 Departamentos, o PS resolveu criar nada mais, nada menos que 12 Departamentos, sendo que a 9 deles resolveu chamar “Gabinetes”.
E isto, para manter os tachos que criaram em 2004. NÃO ESTÁ MAL PENSADO NÃO SENHOR!
E Divisões, Repartições e Secções, são mais uma chusma deles, porque a clientela é farta e não se sustenta com pouco.
E, depois deste fartote de poleiros para boys e girls, esta gente não hesita em atirar as despesas para cima dos contribuintes eborenses, que vão ter de pagar a factura com língua de palmo, durante 20 anos!”

Anónimo
26 Outubro, 2012 15:09

António Dieb (PSD) e CDU votam contra proposta de reestruturação de serviços na Câmara de Évora

A Câmara de Évora chumbou ontem a proposta da autarquia para a reestruturação de serviços, com os votos contra dos vereadores da CDU e do PSD. António Dieb que se tinha abstido na votação realizada na Câmara sobre a mesma matéria "por não estar devidamente informado", disse que não concordava com a proposta autárquica, agora com a definição detalhada, quer das unidades orgânicas, quer das suas competências..
A proposta de reestruturação dos serviços, em termos gerais, já tinha sido aprovada na Assembleia Municipal, contando, na altura,18 votos favoráveis (PS), 16 contra (15 da CDU e um do BE) e cinco abstenções (PSD), tendo sido depois reenviada para a Câmara Municipal para definição das unidades orgânicas e seus conteúdos funcionais.

Hoje no Garcia de Resende


quinta-feira, 25 de outubro de 2012

Resposta à Crise


A resposta à crise, também se faz através do exemplo. Quando temos um governo que defende a austeridade sem a praticar, temos uma oposição que faz dela um exemplo Republicano.

Aguarda-se que Passos Coelho vá entregar-se no posto da G.N.R. de Massamá

Ao deixar derrapar a execução orçamental, ao afundar a economia nacional e ao não cumprir os objetivos que se propôs, designadamente não atingindo a meta do défice (4,5%) com que se comprometeu, o Governo incorreu em responsabilidade criminal.
Quem o disse não fui eu. Foi o próprio Dr. Passos Coelho, num discurso de que o "Correio da Manhã" de 6-11-2010 publicou os seguintes excertos:

"Se nós temos um Orçamento e não o cumprimos, se dissemos que a despesa devia ser de 100 e ela foi de 300, aqueles que são responsáveis pelo resvalar da despesa também têm de ser civil e criminalmente responsáveis pelos seus actos e pelas suas acções"
"Não podemos permitir que todos aqueles que estão nas empresas privadas ou que estão no Estado fixem objetivos e não os cumpram. Sempre que se falham os objectivos, sempre que a execução do Orçamento derrapa, sempre que arranjamos buracos financeiros onde devíamos estar a criar excedentes de poupança, aquilo que se passa é que há mais pessoas que vão para o desemprego e a economia afunda-se"
"Não se pode permitir que os responsáveis pelos maus resultados andem sempre de espinha direita, como se não fosse nada com eles". "Quem impõe tantos sacrifícios às pessoas e não cumpre, merece ou não merece ser responsabilizado civil e criminalmente pelos seus actos?"

Proféticas palavras! Pois se assim é, aguarda-se que o Dr. Passos Coelho seja por uma vez coerente e vá entregar-se no posto da G.N.R. de Massamá.


Dêem-lhe ideias...

Elias, o sem abrigo, in JN
                                                                                 (clique para aumentar)

Diário do Alentejo de amanhã


Direcção Regional de Agricultura: "o que é denunciado é verdadeiro, mas tardio, demasiado tardio"


Face a esta publicação e ao meu desconhecimento deste blog, uma amiga pediu-me para consultar o post. Verifico que o que é denunciado é verdadeiro, mas tardio, demasiado tardio. E os trabalhadores daquele organismo continuam comentando “à boca pequena” como sempre comentaram o que se encontra descrito e, mais, o que não se encontra descrito nem denunciado. À “boca pequena” porque têm medo das represálias: das perseguições, da humilhação pessoal, de ser apelidado de conflituoso, da avaliação desse ano e dos próximos… Por isso comenta-se à “boca pequena”. Até porque existem outras personagens igualmente incompetentes e irascíveis, que na nova orgânica, serão promovidas de Chefe de Divisão a Director de Serviços (lugar que ocupava a personagem do “GADO”). E esta personagem tem como imagem “estar acima da ralé” porque é “bem” e até tem amigos como presidentes da PT… logo, pode ameaçar os seus subordinados, porque se a “corda partir” será para o lado deles e nunca para o SEU! É este tipo de gente que é promovido e gere os nossos organismos públicos!
Tenho a dizer que neste caso não existem apenas duas personagens, porque apenas duas pessoas não têm poder para intimidar 400. Há por dizer e por fazer neste e em muitos outros casos. Relativamente a este, apenas um trabalhador participou hierarquicamente de 3 personagens, apresentou queixa no DIAP e apresentou mais duas queixas em tribunal administrativo. O Ministério abriu processo de averiguações mas arquivou o processo: o instrutor fora nomeado dirigente de grau 1 por um dos visados… O DIAP, coitada da instrutora, “não podia mandar prender ninguém com base nas denúncias…” porém, se tal não era da sua competência só tinha que reencaminhar o assunto para a Instituição com competência para tal e dar continuação à denúncia! Pois!... e os tachos, factores C e afins?

P.S. – Não foi demitida, foi desconvidada da nomeação para director serviços (uma vez que não há quem queira trabalhar com ela) mas continua em “manutenção” de cargo. OLÉ!

Gabriela Riva 
24 Outubro, 2012 10:12

Na Casa da Zorra (com muito para contar)


quarta-feira, 24 de outubro de 2012

O Melhor É Acabar Com Isso da Democracia


Esse entrave do Tribunal Constitucional que não deixa os rapazes levarem o país para a frente...
«Em Itália existiu uma ditadura dos juízes e agora passaríamos a ter uma ditadura do Tribunal Constitucional», diz Fernando Ulrich,  presidente do BPI e comentador nas horas vagas...
Vai lá vai...

Debate " O papel das empresas na construção de Évora, Cidade Educadora" é já amanhã



Mais um debate do ciclo Habitar a Cidade Construir Espaço Público, desta vez sobre “O papel das empresas na construção de Évora, Cidade Educadora” 
Moderação: Professora Maria Manuel Serrano, do Departamento de Sociologia da Universidade de Évora, doutorada em Desenvolvimento de Recursos Humanos.
Participação de:
Professor Paulo Neto, docente do Departamento de Economia da Universidade de Évora, doutorado em Desenvolvimento Regional e Urbano;
Eng. José Manuel Noites, proprietário das empresas Somefe, (fundada em Évora em 1947) Noites Reciclagem, Sometambi e Noites Imobiliária,
Drª Helena Costa, directora dos Recursos Humanos da Embraer, empresa de escala global recentemente instalada em Évora

Amanhã, quinta-feira, dia 25 de Outubro, no Condestável Café, em Évora, às 17,30 horas
Newsletter de apoio AQUI

Foram poucos, mas fizeram-se ouvir


Cerca de três dezenas de alunos do ensino secundário percorreram hoje as escolas e o centro da cidade de Évora, apesar do mau tempo, numa manifestação de protesto contra os "cortes na educação".
"Um, dois, três, estamos na rua outra vez. Quatro, cinco, seis, não queremos estas leis", "Governo, escuta, os estudantes estão em luta" e "Privatização é um atentado à educação" foram algumas das frases entoadas pelos estudantes das escolas secundárias Gabriel Pereira e André de Gouveia.
Depois de passarem pelas três escolas secundárias de Évora, os estudantes marcharam nas ruas do centro histórico da cidade, entoando palavras de ordem, até à sede da Direção Regional de Educação do Alentejo, onde uma delegação foi recebida.
Filipe Monteiro, um dos promotores da manifestação em Évora, explicou à agência Lusa que os estudantes contestam os "cortes na educação", o "fim do apoio no passe escolar" e o Estatuto do Aluno.
"Os cortes na educação têm sido agravados pelos sucessivos governos e perspetiva-se que sejam ainda maiores com o novo Orçamento do Estado", disse Filipe Monteiro, aluno da Escola Secundária Gabriel Pereira, defendendo um "ensino diferente e realmente público e gratuito". (LUSA)
Também AQUI.

A não perder: um filme-denúncia hoje no Auditório Soror Mariana


TOXIC AMAZÓNIA
Hoje, quarta-feira, 24 de Outubro de 2012, no Auditório Soror Mariana, em Évora

SESSÕES às 18h00 e 21h30 (com a presença do realizador FELIPE MILANEZ)

Seis Medidas Fundamentais para Salvar a Economia


É hábito ouvir os comentadores políticos e económicos afirmarem que a esquerda nomeadamente o BE, resume a sua acção à crítica, sem apresentar propostas, sem apontar um rumo, medidas alternativas ao que é imposto pelo memorando de capitulação.
Dizem também (já que são escolhidos a dedo) que um dos problemas mais graves deste governo, consiste na incapacidade de comunicação que tem revelado, para fazer passar a sua mensagem.
Compreende-se, são pagos para isso, é essa a sua função, dar um ar de seriedade a esta catástrofe que se abateu sobre nós, chamada governo de coligação.
Por outro lado, quando afirmam não apresentar a esquerda alternativas, partem do princípio que o boicote mediático a essa mesma esquerda, (toda a esquerda) funciona, e na verdade funciona mesmo, porque os órgãos de comunicação social estão nas mãos daqueles que tiram dividendos desta crise, são uma ferramenta do poder.
Por isso, e porque chegou a hora de todas as rupturas, com este OE assassino, deixo aqui a proposta do BE- "Seis Medidas Fundamentais para Salvar a Economia".
São medidas sérias, exequíveis e fundamentadas, que partilho convosco. 

Obscenidade e desprezo por quem sofre


Resolver os problemas orçamentais é tão fácil! Basta cortar no subsídio MÍNIMO de desemprego.
Quem pode gerar uma ideia destas?
A obscenidade chegou a um limite que ninguém teria ousado imaginar.

JRdS
24 Outubro, 2012 02:33

Sobre o mesmo assunto ouvir ou ler AQUI a crónica "Teoria Geral do Desprezo", do jornalista Fernando Alves, esta manhã na TSF.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

Uma grande reportagem com sotaque alentejano




O único nome possível para este governo é: DESASTRE!


Antes de irem para o Governo eu nunca tinha ouvido falar de Vitor Gaspar ou de Álvaro Santos Pereira. Era gente que nunca se tinha destacado em nada. Talvez animassem jantares de família, não sei. Vieram para o governo com o rótulo de "especialistas" e "tecnocratas". Mas que raio: não acertam uma. Portugal, com eles no Governo, deve já 200 mil milhões de euros. Muito mais do que quando entraram para a chamada "governança". Nem um ano a trabalhar e com toda a riqueza a ir para o pagamento da dívida chega. As contas estão aí.
Por outro lado soube-se hoje que, como qualquer pessoa que anda pelo país real já sabia -  basta ver o desemprego e as falências, etc. -  os impostos estão, mais uma vez, a pique: IRC, tabaco, automóveis, IVA, etc., enquanto que as prestações sociais - neste tempo de penúria absoluta - continuam a ser pasto fácil para todos os cortes.
Qualquer governo é una desgraça nacional. Este é um desastre sem fim, que nem na sua área de gestão capitalista parece ter a mínima competência. Parafraseando o Eça "se este governo, que é uma nódoa, não sai com benzina, terá que cair sob os protestos da rua". É que o país já não aguenta muito mais tempo esta trupe de "cavalgaduras" que cada vez nos empurram mais para o buraco aberto pelo Sócrates, mas bem escavado por estes "tecnocratas". A última aberração é esta proposta - a ver se cola - da redução em 10 por cento do nível mais baixo do subsídio de desemprego. Gente desta poderá pensar que os outros - todos nós - os vemos como gente de bem?

Áspide


Há livros que são velhos companheiros de percurso e, por mais voltas que dê à vida, acabo por reencontrá-los e revisitá-los sempre com inusitado prazer.
Um deles é a "Arte de Furtar" e este é-me indispensável por dois motivos: o primeiro é que tendo sido escrito no séc. XVII, é de uma espantosa actualidade. O segundo motivo prende-se com o facto de ter sido redigido por um dos mais fiéis comentadores deste blogue, o Anónimo.
Transcrevo então um pequeno excerto.
"Do áspide escrevem os naturais que morde e mata com tanta suavidade que não se sente; e por via disso Cleópatra escolheu esta morte, enfadada da vida pelo repúdio de Marco António. Tais são as unhas insensíveis. Tiram a vida aos reinos mais robustos e esgotam a alma aos tesouros mais opulentos com tanta suavidade que não se sente o dano senão quando está tudo morto. Estas são as unhas dos estadistas, alvitristas, áspides do inferno que persuadem aos reis, com razões suaves e sofísticas, que lancem fintas, que ponham tributos, que peçam donativos aos povos, sem mais necessidade que a de sua cobiça. Digo que são suaves as razões que dão, porque não há coisa mais suave que recolher dinheiro, e digo que são sofísticas, porque as vestem de aparências do zelo do bem comum - e na realidade são cutelos que degolam as Repúblicas."

Depois deste "vendaval" de austeridade sobrará alguma rádio local?

Os cinco funcionários da Antena Miróbriga, rádio local com sede em Santiago do Cacém, estão com salários em atraso devido às dificuldades financeiras da empresa, que levaram já à mobilização da população para tentar salvar a emissora.
Os trabalhadores ainda não receberam o salário de setembro, estando também em falta parte do salário de julho e o subsídio de férias, adiantou hoje à agência Lusa Helga Nobre, jornalista da Antena Miróbriga há 15 anos.
A jornalista receia que a situação se mantenha, uma vez que as receitas da emissora que garantiam o pagamento dos salários, provenientes do contrato de prestação de serviços celebrado com a Câmara Municipal de Santiago do Cacém, foram “penhoradas pelas Finanças”.
Segundo Helga Nobre, por falta de dinheiro, os trabalhadores estão “só a garantir os serviços mínimos” da emissora, não fazendo a cobertura jornalística de eventos na região.
A jornalista da Antena Miróbriga afirmou que as dificuldades financeiras da empresa, reveladas recentemente, apanharam os funcionários de “surpresa” e lamentou a “má gestão”, que poderá levar ao encerramento da rádio, a funcionar há mais de 25 anos.
De acordo com Sérgio Valadares, membro da cooperativa que gere a emissora e antigo diretor de informação e programação, a “situação difícil da rádio” foi comunicada aos cooperantes em maio.
Cerca de três meses depois “nada tinha sido feito” e, numa assembleia geral, foi aprovada a venda do alvará e do imóvel da emissora, o que pressupunha o encerramento da rádio e a instalação de um retransmissor do Grupo Rádio Salesiana, explicou à Lusa Sérgio Valadares.
Tal decisão levou um grupo de 78 pessoas a subscrever um manifesto contra a extinção da Antena Miróbriga, o que fez a direção da rádio recuar na intenção de venda.
Sérgio Valadares acredita que é possível salvar a Antena Miróbriga, salientando que tal “ficou patente” na sexta-feira passada, numa reunião aberta à população, onde foram discutidas propostas para angariar “receitas no imediato” e apresentado “um projeto ambicioso” para “efetuar uma rádio totalmente nova”.
O presidente da Câmara de Santiago do Cacém, Vítor Proença, afirmou à Lusa que “o município está disponível para, com os órgãos" da emissora, contactar empresas e associações da região no sentido de propor parcerias “mutuamente vantajosas”.
O autarca confirmou a “situação preocupante” da rádio, realçando dívidas “de curto prazo”, às Finanças, à Segurança Social e à banca, de mais de 70 mil euros.
Contudo, Vítor Proença está convencido de que “é possível dar a volta”, defendendo que a rádio “faz muita falta, do ponto de vista da identidade local, da proteção civil, da emergência” e também como elemento “aglutinador” numa “área de baixa densidade” e com “população dispersa”.
A Lusa contactou o diretor da Antena Miróbriga, Ferrer de Carvalho, que não quis prestar esclarecimentos sobre a situação da emissora. (LUSA)

Desemprego e miséria em Évora, no Liberation


No âmbito de um dossier sobre o desemprego no sul da Europa, o diário francês Liberation traz um artigo sobre Évora, em que traça o retrato de uma família em dificuldades económicas e atingida pelo desemprego e pela doença - os Mendes. AQUI. (Cortesia de M. Freira no facebook)

Homenagem à Margarida Morgado: já se atingiu o limite das inscrições

Pede-me a Comissão Organizadora do Jantar-Homenagem à Margarida Morgado. por ocasião do seu 80º aniversário, para informar que devido à enorme afluência de amigos interessados em participar nesta festa de convívio todos os lugares estão já preenchidos. Como a festa se realiza nos "Cantares de Évora", o espaço é limitado a mais ou menos 80 pessoas, sendo impossível manter as inscrições abertas, como estava previsto, até ao dia 25.
Apesar do número de inscrições exceder em muito já as 80, a organização desta festa está a tentar que todos os inscritos até este momento possam participar. Mais é que não!
Outras oportunidades haverá para nos juntarmos, eventualmente em maior número ainda, referem os organizadores.

preparando o debate sobre "o papel das empresas na construção de Évora como Cidade Educadora". Já nesta quinta feira.



"Foi possível superar a distinção grega entre cidadãos e escravos graças à enorme potencialidade produtiva da liberdade e ao reconhecimento da dignidade de cada pessoa."
 Josep de Lara in "La eficiencia da la ciudad educativa. Una perspectiva desde la economia"

A não perder: o Baile, de Ettore Scola, na Casa da Zorra, esta quinta-feira




Esta quinta-feira, o BAILE, de Ettore Scola, na Casa da Zorra, em Évora, às 22 horas. Um clássico do cinema.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Feira de Castro: a grande festa da viola campaniça


Campaniça Trio

Precisamos de um "new deal"

adaptado de Martin Niemöller (1892–1984)

Um Governo incompetente, uma oposição tão incompetente como o Governo de turno, uma nulidade como Presidente, um sistema partidário que faz dó, uma justiça injusta, uma Europa agiota e interesseira, e um Povo bom, tolerante e sofredor.
Precisamos de um "New Deal", uma nova Constituição que dê ao cidadão o papel no sistema politico que lhe é negado e que foi capturado pelo actual sistema partidário velho, corrupto e ineficiente, e que crie condições para seleccionar o mérito para para as funções políticas, mas que não dê veleidades a aspirantes a ditadores.

A. Reis
20 Outubro, 2012 21:12

domingo, 21 de outubro de 2012

Ainda sobre o PAEL: a posição que faltava (do PSD/Évora)


PAEL - CÂMARA MUNICIPAL DE ÉVORA: RUPTURA FINANCEIRA CONDUZ A PEDIDO DE EMPRÉSTIMO PARA PAGAMENTO DE DÍVIDAS

Na sessão extraordinária da Assembleia Municipal de Évora, realizada em 16 de outubro de 2012, para nova deliberação sobre a adesão da Câmara Municipal de Évora (CME) ao PAEL, o Grupo Municipal do PSD, mantendo o entendimento relativamente a este processo, mas, dada a exigência legal e por imperativo de funcionamento das Instituições, votou favoravelmente a proposta apresentada. Este voto resulta da assunção de um inquestionável sentido de dever público, considerando que, apesar dos seus impactos negativos, esta é a única decisão possível, tornada inevitável pelo reiterado desprezo pelos alertas que efetuámos ao longo dos anos e pela ausência de alternativas propostas por qualquer força política representada na Assembleia Municipal, nomeadamente as que se manifestaram contra a adesão da CME ao PAEL.
De facto, consideramos que:
a)      O recurso ao PAEL resulta de uma má gestão do município, perpetuada primeiro pela CDU e depois pelo PS, sem respeito pelos princípios da boa gestão e das regras mais elementares da realização de despesa pública, que se traduziram em dívidas acumuladas de 70 milhões e de 80 milhões de euros, respetivamente.
b)      O recurso a este instrumento é extremamente gravoso para o orçamento de todos os munícipes, em particular das famílias e das gerações vindouras.
c)       Este contrato não resolve estruturalmente a situação da CME, que poderá voltar a agravar-se a curto prazo.
d)      Porém, trata-se de uma solução limite para manter a CME a funcionar e a assegurar um nível mínimo dos serviços públicos que lhe estão atribuídos, o que, a não se verificar, se traduziria em prejuízos ainda maiores para os cidadãos e as empresas do concelho, resultantes da rotura daqueles serviços.
e)      Trata-se de uma solução que permitirá atenuar, a curto prazo, os problemas financeiros de diversas pequenas empresas, credores da CME há vários meses ou anos, cuja sobrevivência estaria em causa, bem como os postos de trabalho que representam, se não lhes for pago o que lhes é devido.
Considerando ainda que o nosso voto favorável era imprescindível à aprovação do PAEL, após ponderarmos as vantagens e desvantagens da sua aprovação, bem como, reitera-se, a ausência de propostas alternativas, fomos levados a votar favoravelmente a proposta de adesão apresentada, como única solução possível para fazer face às dívidas acumuladas pela Câmara Municipal.
Porém, estamos disponíveis para, em conjunto com outras forças políticas, se encontrarem mecanismos que evitem, na medida do que for possível, o excesso de impacto negativo sobre a vida das populações que resultarão, recorde-se, da calamitosa situação a que a CME chegou e que determina o recurso a este contrato de financiamento.
Évora, 19 de outubro de 2012
O Vereador do PSD na Câmara Municipal de Évora
O Grupo Municipal do PSD na Assembleia Municipal de Évora
A Comissão Política Concelhia de Évora do PSD

sábado, 20 de outubro de 2012

E Então?


Interrogo-me se um governo que apresenta um orçamento com um corte de 14.5% para a educação e ciência, ao mesmo tempo que propõe um aumento de verba de 12% para a administração interna, (polícia) é um governo que acredita na democracia.
Questiono-me se um governo que no mesmo orçamento aumenta em 11% a verba para a defesa nacional ao mesmo tempo que reduz em 17% o dinheiro destinado à saúde é um governo que se preocupa com os seus concidadãos.
Poderia falar sobre a educação como sustentáculo da cidadania, poderia mesmo referir o direito aos cuidados de saúde como condição básica de um estado que tem como prioritária a equidade, a redução do fosso social, o bem estar dos seus cidadãos, mas seria desnecessário, estes números falam por si.

Na "é neste país", este sábado


Este sábado, 20 de Outubro de 2012 . 11:30

Joana Dias & Rogério Veloso

Rua da Corredoura, 8 - Évora

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Morreu Manuel António Pina: um grande poeta e uma voz desassombrada


A notícia é de há pouco. Manuel António Pina deixa páginas desassombradas de crónicas e de grandes  poemas. Foi um homem dos jornais e da vida.

A Poesia Vai AcabarA poesia vai acabar, os poetas 
vão ser colocados em lugares mais úteis. 
Por exemplo, observadores de pássaros 
(enquanto os pássaros não 
acabarem). Esta certeza tive-a hoje ao 
entrar numa repartição pública. 
Um senhor míope atendia devagar 
ao balcão; eu perguntei: «Que fez algum 
poeta por este senhor?»    E a pergunta 
afligiu-me tanto por dentro e por 
fora da cabeça que tive que voltar a ler 
toda a poesia desde o princípio do mundo. 
Uma pergunta numa cabeça. 
— Como uma coroa de espinhos: 
estão todos a ver onde o autor quer chegar? — 

Manuel António Pina, in "Ainda não é o Fim nem o Princípio do Mundo. Calma é Apenas um Pouco Tarde"

A última grande feira do Sul é este fim de semana

Meus senhores abram os olhos

(clique para aumentar - retirado daqui)

Se querem um assunto para se entreterem, peçam a avaliação do património da câmara que foi entregue às Águas do Centro Alentejo.
Vejam quem fez a avaliação, por quanto e quem a aceitou de olhos fechados (sem saber o que estava em causa?).
Mas depois não venham para aqui dizer que foram enganados pelo Sócrates ou que a culpa é da "equipa de incompetentes".
Meus senhores abram os olhos, vejam o que muitos vêem. A culpa não pode morrer solteira. E até os "incompetentes" foram escolhidos por alguém... Abram os olhos.


Anónimo
18 Outubro, 2012 21:23

Público em greve esta sexta-feira


Com a Lusa em greve desde ontem, hoje é a vez dos trabalhadores do Publico paralisarem em defesa dos postos de trabalho. A comunicação social está em profunda agitação. Na RTP esperam-se também grandes mudanças, uma vez que o Governo prossegue na intenção de privatizar pelo menos um canal e a Controlinveste, soube-se ontem, está a um fio de concretizar a venda do DN, JN, Jogo e TSF a um grupo económico angolano. As negociações já decorrem há vários meses. Entretanto, está para subscrição pública já na internet o manifesto "Pelo Jornalismo, pela Democracia", subscrita por um grupo alargado de jornalistas (não se trata de uma petição, mas sim de uma carta. O estar alojada no sitio das petições destina-se apenas a permitir que seja assinada pelo maior número de pessoas).

Terra-Mãe: foi aqui que tudo nasceu, diz um alentejano de Cabeço de Vide

                                                                                                                                                                                                                            Digno do melhor Monty Python. Surrealismo puro.                   

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Inscrições para jantar de homenagem nos 80 anos da Margarida Morgado já estão abertas


A Margarida Morgado completa 8 décadas de vida no próximo dia 2 de Novembro de 2012. 
Alguns dos imensos amigos que a Margarida foi fazendo ao longo do seu caminho pensaram preparar-lhe um jantar de aniversário-homenagem. 
"80 anos, 80 amigos, 80 poemas" é o mote proposto.
Assim, vimos convidá-lo(a) a tomar parte nesta festa a acontecer na primeira sexta feira de Novembro, nas instalações do grupo Cantares de Évora, (nos antigos celeiros da EPC em Évora, junto ao antigo Centro Comercial Eborim) com início às 20h e que contará também com diversas manifestações artísticas de inúmeros amigos da Margarida.
O jantar terá o preço de 10 euros por pessoa (crianças até aos 12 anos não pagam).
Está também a ser preparada uma selecção de poemas inéditos da Margarida (80 poemas & outros escritos), editada artesanalmente, com capa do artista plástico António Couvinha, em edição única para esta iniciativa e destinada a marcar simbolicamente esta festa de homenagem. Todos os que queiram adquirir este livro (de mais ou menos 100 páginas e cujo preço rondará os 12 euros) terá que o referir na altura da inscrição para o jantar.
Por questões de natureza logística, pede-se o favor do envio das inscrições para o mail: mariadasdorescorreia@hotmail.com ou através dos telemóveis: 933326005 ou 963518258  até à data limite de 25 de Outubro de 2012. 

Nota de Imprensa sobre a reunião da Assembleia Municipal de Évora


A Assembleia Municipal de Évora aprovou, em sessão extraordinária que decorreu no dia 16 de Outubro e que contou como uma enorme afluência de público, a proposta de revogação da deliberação da AME de 28.09.2012, referente à Adesão ao Programa de Apoio à Economia Local (PAEL); e a deliberação acerca da proposta da CME relativa à sua adesão ao Programa de Apoio à Economia Local (PAEL). 
Este último ponto, constituído por três alíneas, incluiu a Aprovação do Plano de Ajustamento Financeiro; a autorização expressa para a contratação de empréstimo, até ao limite máximo dos pagamentos em atraso constantes da lista de pagamentos que integra o Plano, e de acordo com o "valor elegível" comunicado pela DGAL (32.166.373,68€), pelo período de 20 anos, a uma taxa de juro correspondente à do custo do financiamento da República Portuguesa, acrescido de 15 pontos base; e também a autorização para os encargos diferidos com o referido empréstimo, conforme informação constante no Mapa III do Plano de Ajustamento Financeiro. 
Ambos os pontos e suas alíneas foram aprovados por maioria, com 22 votos a favor (18 do PS e quatro do PSD); uma abstenção (PSD) e 16 contra (15 da CDU e um do BE). 
Refira-se que a proposta de adesão ao Programa de Apoio à Economia Local (PAEL) foi de novo apresentada pela Câmara, tendo em conta indicação fornecida pela Direção-Geral das Autarquias Locais (DGAL) sobre condição de elegibilidade, de modo a preencher todos os requisitos exigidos na candidatura para esta ser aceite. 
Esta proposta assentou na necessidade, há muito sentida, de um instrumento que possa permitir às câmaras municipais a redução dos seus passivos perante os fornecedores, nomeadamente através do pagamento de faturas. 
Com a adesão a este programa, a autarquia, ficará em condições de regularizar a curto prazo cerca de 32 milhões de euros referentes a débitos vencidos há mais de 90 dias. 
À Comissão de Análise do PAEL cabe agora avaliar a concessão do respetivo ajustamento financeiro de modo a que a Câmara possa regularizar os mencionados pagamentos. (Nota de Imprensa da AME)

Um dos cartazes que já circula na internet


Surrealismo nos serviços da Agricultura da Malagueira


Suponha que é um diretor num organismo do estado sediado na nossa cidade;
Suponha que tratava os seus subordinados como se os mesmos fossem gado, sim gado, animais, e nada mais, pois sempre que se refere aos trabalhadores do seu organismo lhe chamava GADO;
Suponha que as suas relações com os seus subordinados mais diretos são péssimas, pois são todos uns incompetentes e só você é que está correto e sempre na base da má educação;
Suponha que foi colocado no seu posto de trabalho, não por competência, mas por amiguismo ou por pagamento de favores;
Suponha agora que esse seu amiguinho, que tinha por princípio não a competência mas sim o servilismo, e que tinha por principio tratar os seus subordinados com o chicote numa mão e açúcar na outra, claro está o açúcar para os amigos e o chicote para os restantes;
Suponha ainda que por razões de reorganização dos seus serviços a sua comissão de serviço chegou ao fim;
Suponha ainda que com a nova estrutura orgânica, ninguém quer trabalhar consigo; 
Suponha que houve mesmo subordinados seus que solicitaram por escrito para sair da sua alçada, recusando-se ser seu colaborador;
Mais, suponha que o seu dirigente máximo ao convidar os novos colaboradores que irão trabalhar consigo, não consiga que um único que aceite o lugar, dando sempre uma desculpa, havendo mesmos os mais corajosos que tenham dito que dada a sua má formação se recusam a trabalhar consigo.
Suponha também que você acha que todos estão errados, pois até é uma excelente pessoa, só que incompreendido e todos os outros uns incompetentes e uns mal agradecidos que não sabem reconhecer as suas qualidades, e como tal acha que não deve colocar o lugar à disposição do seu diretor, pois quem está mal que se mude, e você é a pessoa certa para o lugar certo.
Parece surrealismo não parece? Mas não é, é a pura das verdades, pois está a passar-se na Malagueira, nos serviços da Agricultura, o escândalo é tanto que não há ninguém naqueles serviços que não comente, de tal forma que parece ser já uma forma de anedotário nos locais habituais desta cidade.

DEMITA-SE PORRA.

Anónimo
18 Outubro, 2012 03:09

Gasparar


RESPOSTA À MINHA AMIGA ETHEL FELDMAN 

em seu tempo criei um verbo para designar espírito do homem
:
GASPARAR

Stôra
este menino GASPAROU-ME a esferográfica

(puto em lágrimas, claro)


António Saias (no facebook)

Quatro dias sem notícias da agência Lusa


Os trabalhadores da agência LUSA iniciaram às 00.00 horas uma greve de quatro dias. No site da LUSA, por isso, não há notícias actualizadas. O acincotons sabe que os trabalhadores da Lusa no Alentejo estão também em greve e em luta pela defesa dos seus postos de trabalho, que ficaram em causa depois do Governo ter cortado substancialmente as verbas que vai transferir para a agência de notícias em 2013 (em cerca de 30%). Esta greve vai afectar a maioria dos órgãos de comunicação social que têm na LUSA a sua grande fonte de informação. Aos trabalhadores da LUSA a minha (nossa) solidariedade activa.