quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Feliz Ano Novo!


Feliz 2010



Um hábito britânico que esperemos nunca chegue por estas bandas, apesar de já ter sido tentado numa célebre manifestação de estudantes há alguns anos em Lisboa. Modernices, dirão alguns. Outros acrescentarão: inestético. Outros justificarão: o estado do país não merece melhor. Mas a césar o que é de césar e aos britânicos o que é deles. Ou seja: apesar de estarmos na União Europeia não há necessidade de misturarmos as nossas diferentes raízes culturais. Ou haverá?

Temporal: raio destrói habitaçáo



O mau tempo dos últimos dias provocou diversos prejuízos e momentos de medo às populações. A intensa chuva fez-se sentir em várias zonas, da margem esquerda do guadiana ao litoral alentejano. Em Santiago do Cacém, esta madrugada, a queda de um raio provocou danos consideráveis na estrutura de uma habitação na zona de Vale Verde e levou ao realojamento de uma família de seis pessoas de nacionalidade romena. De acordo com José Neves, responsável pela Protecção Civil da Câmara Municipal de Santiago do Cacém, “o raio terá caído cerca das 03h20 causando a destruição de toda a instalação eléctrica da casa, e nas janelas e provocou danos no telhado e na estrutura da casa”.

Segundo uma nota de imprensa da autarquia "o cenário no interior da habitação é devastador e assemelha-se a um verdadeiro cenário de guerra. O raio causou destruição em quase todas as divisões da casa, poupando apenas a casa-de-banho. Há várias brechas no tecto e chão da casa, móveis e electrodomésticos parcial ou totalmente destruídos e vários objectos pessoais danificados. Os seis habitantes escaparam apenas com algumas escoriações".

Merecerá isto noticia de jornal...

... e o destaque que teve AQUI?

Fábrica da Delphi encerra hoje em Ponte de Sôr

São mais 300 trabalhadores que, a partir de hoje, vão para o desemprego, em Ponte de Sôr, uma das regiões do Alentejo que mais tem sentido a crise. Aquando do anúncio da decisão de encerramento da fábrica, entidades sindicais e administração acordaram um valor de 2,3 salários por cada ano de trabalho, em termos de indemnização. 

A Delphi existe em Ponte de Sôr há 29 anos e era considerada a maior unidade fabril do distrito de Portalegre, empregando 2,5 por cento da população do concelho. O presidente da autarquia local diz que se mantêm contactos para que uma multinacional  possa vir a substituir a Delphi.

Dez concelhos alentejanos entre os 100 primeiros do Ranking do IQV dos municípios alentejanos

20º - Sines – 128,6
31º - Évora – 117,0
41º - Vila Viçosa – 107,7
57º - Beja – 103,4
66º - Portalegre – 100,1
69º - Campo Maior – 99,7
82º - Vendas Novas – 94,9
89º - Elvas – 92,9
96º - Borba – 89,8
97º - Castro Verde – 89,7

Estes resultados podem ser vistos nos anexos finais ao estudo “Os Municípios E A Qualidade De Vida Em Portugal: Proposta Metodológica Com Vista À Sua Mensuração e Ordenação”, elaborado por J. R. Pires Manso e Nuno M. Simões, da Universidade da Beira Interior, que teve como factores de avaliação: Educação e Mercado de Emprego, Infra-Estruturas e Ambiente Económico e Habitacional.

Lua cheia

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Sr.presidente: podia fazer o obséquio?


Sr. Presidente da Câmara de Évora:
Atendendo a que V. Exª. saiu do aconchego do seu lar às 2 da manhã para pôr termo a um Festival de HipHop devidamente autorizado por si, solicito-lhe que quando lhe for oportuno, se desloque na sua 4x4 ao local das fotos que anexo ( tiradas hoje dia 30 de Dezembro ) e faça o obséquio de remover o lixo que os "seus" trabalhadores desde o dia de Natal não removem, pondo em causa as suas palavras de que estaria tal serviço assegurado para o período das "festas".
Certo que o meu pedido será atendido por V. Exª, subscrevo-me com os protestos da mais elevada estima e consideração.
Cumprimentos

Leonel 
30 de Dezembro de 2009 15:33
(Texto recebido por mail. Sublinhados nossos)


Fantasporto "encerra" em Sines

O Fantasporto encerra esta quarta-feira a sua passagem pelo Auditório do Centro de Artes de Sines, exibindo à noite as obras Euro 2004, Amor e Futebol e Idiots and Angels.
Depois de, anteriormente, apresentar na segunda-feira "O Último Filme de Terror" (2003), de Julian Richards; e ontem "Juventude Perdida" (2001), de Christine Jeffs, e "Vinzent" (2004), de Ayassi, a organização prepara-se para exibir hoje mais dois filmes.
"Euro 2004, Amor e Futebol" (2006), de Marlowe Fawcett e Richard Nockles, vai estar em destaque às 18:30, dando a conhecer a obra que mereceu o Prémio do Público no Fantasporto 2006.
Por fim, às 22:00 horas é projectado o filme "Idiots and Angels" (2008), de Bill Plympton, vencedor do Grande Prémio da Secção Oficial do Fantasporto 2009.

(Des)encontros


terça-feira, 29 de dezembro de 2009

UE: candidatos a reitor

Sempre bem informado acerca das coisas da Universidade de Évora, o noticiasalentejo avança com o nome dos reitoráveis que já estão na calha: Heitor Reis, Carlos Braumann e Manuela Magno. Mas só na segunda-feira vai sair a lista oficial dos candidatos.

(ACTUAL.) Acrescenta o noticiasalentejo esta quarta-feira que, para além destes 3 candidatos ao cargo de reitor da Universidade de Évora, estão também na calha - Helder Fonseca, professor catedrático de História Contemporânea e Estudos Europeus, e Ana Costa Freitas Ludovice, professora associada com agregação do Departamento de Fitotecnia. 

Notícia relacionada: aqui

Redondo: convite aceite!


Curiosidades: os livros mais vendidos na livraria "a das artes"

O livro mais vendido em 2009 na livraria "a das artes" em Sines (olá Joaquim!)  foi "Jesusalém" de Mia Couto, seguido de "Fúria Divina",  de José Rodrigues dos Santos. O terceiro livro mais vendido foi o "Símbolo Perdido" de Dan Brown. Interessante. Para ver mais e para espreitar a Sines TV AQUI.

Mais do mesmo

José Ernesto Oliveira, em entrevista à DianaFm, acusa a oposição de coligação e afirma que PSD, CDU e Bloco de Esquerda deveriam ter concorrido coligados, já que têm um programa comum.
O vereador do PSD, principal partido visado nestas criticas, afirma que o presidente da câmara está a “repetir o disco" e que anda à procura de desculpas fáceis. Se não fosse o PSD, diz António Dieb, o trabalho do presidente tinha sido muito pior nos últimos 4 anos. Para o vereador da CDU, Eduardo Luciano, o presidente da Câmara de Évora não mediu o que disse. Com presença na Assembleia Municipal, Amália Oliveira do BE, também foi visada, e classifica de “anedótica” as afirmações de José Ernesto Oliveira. Para a deputada municipal as propostas apresentadas pelo executivo camarário não são realistas.

Cheias de regresso ao Sobral da Adiça

As chuvas dos últimos dias voltaram a pôr em risco as casas em Sobral da Adiça, no concelho de Moura, devido ao grande caudal da ribeira que atravessa a localidade. Já em Outubro passado, a água saiu do leito da ribeira, inundado as casas mais próximas da linha de água e obrigando à sua evacuação. A Câmara de Moura acusa o Ministério do Ambiente, através dos serviços de hidráulica, de nada fazer para evitar que situações deste tipo se repitam,

Malhada

Diário do Alentejo vai ter novo director

"Mudanças, terá de haver, necessariamente, até porque o actual director do Diário do Alentejo já colocou o lugar à disposição - e muito bem, acho eu, foi uma atitude que só lhe fica bem. Vamos procurar mudar no sentido em que o director do jornal terá de ser independente, uma pessoa isenta e que não tenha, forçosamente, filiação partidária. Portanto, na nossa perspectiva, a mudança no Diário do Alentejo apontará no sentido de um jornal mais plural, aberto e tolerante. Estamos abertos a propostas de nomes para a direcção do jornal. Penso que a Associação de Municípios do Baixo Alentejo e Alentejo Litoral deve acolher no seu seio, conforme actualmente sucede, todas as forças políticas. Essa sempre foi a posição do PS e vai continuar a ser. Em relação ao Diário do Alentejo, defendo a existência de um jornal que não seja partidarizado, que seja livre e não esteja condicionado ao domínio de nenhum partido, seja ele qual for. Essa é a minha posição desde há muito tempo, sendo nesse sentido que irão ser concretizadas as mudanças que pretendemos levar por diante."

Esta foi a resposta de Jorge Pulido Valente, o novo presidente da AMBAAL, à pergunta se "vai haver mudanças no que respeita à direcção do Diário do Alentejo", feita pelo director da Mais Alentejo, na entrevista que publica na sua última edição.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

A luz ao fundo do túnel

Há tanto tempo - e tantos - que falam no aparecimento da luz ao fundo do túnel que este parece nunca mais ter fim. As trevas por que estamos a passar são tão densas que quando, finalmente, chegarmos ao fim do túnel - dos mais graves problemas que afectam Portugal e o seu povo - e a luz aparecer, vamos cegar tal nos vai parecer a sua intensidade.

Será isto um exemplo de discriminação positiva?

Lugares maiores e sinais mais visíveis são algumas das características de um parque de estacionamento que abriu na China, na província de Hebei, o primeiro reservado para uso unicamente feminino. O parque está localizado no Centro Comercial de Wanxiang Tiancheng, na cidade de Shijiazhuang, tendo sido concebido a pensar no sexo feminino, de acordo com um dos responsáveis pela superfície comercial, Wang Zheng.

Este responsável justifica a iniciativa com o facto de as mulheres manifestarem "uma percepção forte relativamente às cores" e uma "avaliação diferente no que respeita à distância", razões pelas quais o tamanho dos lugares e a sinalização deste parque de estacionamento divergem dos tradicionais. "Os lugares são um metro mais largos do que o normal", explicou Wang Zheng, acrescentando que a sinalização mais colorida "reflecte melhor as necessidades das mulheres".

(Das agências. Os sublinhados a cor têm a ver com essa "sinalização mais colorida" que "reflecte melhor as necessidades da mulher".).

Bookcrossing ainda pouco divulgado no Alentejo

O Bookcrossing, criado em 2001, é a maior biblioteca do mundo e conta já com 600 000 utilizadores, espalhados por todos os cantos do planeta e 4 milhões de livros registados. Qualquer pessoa pode ser membro, basta partilhar o gosto pela leitura e a paixão pelos livros, ao ponto de libertá-los para que outros os possam ler. Os livros são deixados em lugares devidamente identificados – Crossing Zones – que podem ser desde cafés, bancos de jardim ou instituições públicas. Uma Crossing Zone é assim um local onde se podem deixar os livros que se querem partilhar e procurar outros que já estejam em viagem. As Crossing Zones encontram-se identificadas com cartazes alusivos ao Bookcrossing e registadas no site (ver mais abaixo os contactos).

No Alentejo há apenas três locais onde se pratica oficialmente bookcrossing: a Biblioteca Municipal José Saramago, em Beja, a Escola Secundária São Lourenço, em Portalegre e, em Estremoz, o Centro de Ciência Viva

E para dinamizar  as suas actividades de bookcrossing, o Centro de Ciência Viva de Estremoz está a promover, no último sábado de cada mês, pelas 15 horas, sessões de actividades experimentais acompanhadas por contos, poemas, fábulas, teatro e muitas outras histórias. É uma forma de ficar a conhecer as aventuras de uma gota de água, de um vulcão enfurecido, do planeta terra, do sol e da lua, dos rios e montanhas, das rochas e dos minerais, dinossauros atrevidos e muitas outras personagens. E também de aumentar o gosto pelo bookcrossing.

Contactos: www.bookcrossing-portugal.com/
                    www.bookcrossing.com
                    www.estremoz.cienciaviva.pt

Em 2009 ficaram desempregados 500 portugueses em cada dia que passou


(retirado com a devida vénia do blog wehavekaosinthegarden)

É um dos maiores flagelos em Portugal. Embora não existam números muito fiáveis, o desemprego em Portugal atinge já as 600 mil pessoas e o ritmo de destruiçáo de emprego no último ano foi na ordem dos 500 postos de trabalho por dia. Algo que a crise, só por si, não explica. E o mais grave é que não se vê uma saída para este problema que José Sócrates ignorou por completo na sua mensagem de Natal e que o governo tenta ocultar por todos os meios. E alguns analistas dizem que, em 2010, o desemprego pode dar ainda um salto maior, passando dos actuais 10,2% para os 15%.

Postais de Boas Festas: Manuel Dias


domingo, 27 de dezembro de 2009

Porque me lembrei de Alberto Caeiro?



VIII 

Num meio-dia de fim de primavera
Tive um sonho como uma fotografia.
Vi Jesus Cristo descer à terra.
Veio pela encosta de um monte
Tornado outra vez menino,
A correr e a rolar-se pela erva
E a arrancar flores para as deitar fora
E a rir de modo a ouvir-se de longe.

Tinha fugido do céu.
Era nosso demais para fingir
De segunda pessoa da Trindade.
No céu era tudo falso, tudo em desacordo
Com flores e árvores e pedras.
No céu tinha que estar sempre sério
E de vez em quando de se tornar outra vez homem
E subir para a cruz, e estar sempre a morrer
Com uma coroa toda à roda de espinhos
E os pés espetados por um prego com cabeça,
E até com um trapo à roda da cintura
Como os pretos nas ilustrações.
Nem sequer o deixavam ter pai e mãe
Como as outras crianças.
O seu pai era duas pessoas...
Um velho chamado José, que era carpinteiro,
E que não era pai dele;
E o outro pai era uma pomba estúpida,
A única pomba feia do mundo
Porque não era do mundo nem era pomba.
E a sua mãe não tinha amado antes de o ter.


Não era mulher: era uma mala
Em que ele tinha vindo do céu.
E queriam que ele, que só nascera da mãe,
E nunca tivera pai para amar com respeito,
Pregasse a bondade e a justiça!


Um dia que Deus estava a dormir
E o Espírito Santo andava a voar,
Ele foi à caixa dos milagres e roubou três.
Com o primeiro fez que ninguém soubesse que ele tinha fugido.
Com o segundo criou-se eternamente humano e menino.
Com o terceiro criou um Cristo eternamente na cruz
E deixou-o pregado na cruz que há no céu
E serve de modelo às outras.
Depois fugiu para o sol
E desceu pelo primeiro raio que apanhou.


Hoje vive na minha aldeia comigo.
É uma criança bonita de riso e natural.
Limpa o nariz ao braço direito,
Chapinha nas poças de água,
Colhe as flores e gosta delas e esquece-as.
Atira pedras aos burros,
Rouba a fruta dos pomares
E foge a chorar e a gritar dos cães.
E, porque sabe que elas não gostam
E que toda a gente acha graça,
Corre atrás das raparigas
Que vão em ranchos pelas estradas
Com as bilhas às cabeças
E levanta-lhes as saias.


A mim ensinou-me tudo.
Ensinou-me a olhar para as cousas.
Aponta-me todas as cousas que há nas flores.
Mostra-me como as pedras são engraçadas
Quando a gente as tem na mão
E olha devagar para elas.


Diz-me muito mal de Deus.
Diz que ele é um velho estúpido e doente,
Sempre a escarrar no chão
E a dizer indecências.
A Virgem Maria leva as tardes da eternidade a fazer meia.
E o Espírito Santo coça-se com o bico
E empoleira-se nas cadeiras e suja-as.


Tudo no céu é estúpido como a Igreja Católica.
Diz-me que Deus não percebe nada
Das coisas que criou -
«Se é que ele as criou, do que duvido» -
«Ele diz, por exemplo, que os seres cantam a sua glória
Mas os seres não cantam nada.
Se cantassem seriam cantores.
Os seres existem e mais nada,
E por isso se chamam seres.»
E depois, cansado de dizer mal de Deus,
O Menino Jesus adormece nos meus braços
E eu levo-o ao colo para casa.


Ele mora comigo na minha casa a meio do outeiro.
Ele é a Eterna Criança, o deus que faltava.
Ele é o humano que é natural,
Ele é o divino que sorri e que brinca.
E por isso é que eu sei com toda a certeza
Que ele é o Menino Jesus verdadeiro.


E a criança tão humana que é divina
É esta minha quotidiana vida de poeta,
E é porque ele anda sempre comigo que eu sou poeta sempre,
E que o meu mínimo olhar
Me enche de sensação,
E o mais pequeno som, seja do que for,
Parece falar comigo.


A Criança Nova que habita onde vivo
Dá-me uma mão a mim
E a outra a tudo que existe
E assim vamos os três pelo caminho que houver,
Saltando e cantando e rindo
E gozando o nosso segredo comum
Que é o de saber por toda a parte
Que não há mistério no mundo
E que tudo vale a pena.


A Criança Eterna acompanha-me sempre.
A direcção do meu olhar é o seu dedo apontando.
O meu ouvido atento alegremente a todos os sons
São as cócegas que ele me faz, brincando, nas orelhas.


Damo-nos tão bem um com o outro
Na companhia de tudo
Que nunca pensamos um no outro,
Mas vivemos juntos e dois
Com um acordo íntimo
Como a mão direita e a esquerda.


Ao anoitecer brincamos as cinco pedrinhas
No degrau da porta de casa,
Graves como convém a um deus e a um poeta,
E como se cada pedra
Fosse todo um universo
E fosse por isso um grande perigo para ela
Deixá-la cair no chão.


Depois eu conto-lhe histórias das cousas só dos homens
E ele sorri, porque tudo é incrível.
Ri dos reis e dos que não são reis,
E tem pena de ouvir falar das guerras,
E dos comércios, e dos navios
Que ficam fumo no ar dos altos-mares.
Porque ele sabe que tudo isso falta àquela verdade
Que uma flor tem ao florescer
E que anda com a luz do sol
A variar os montes e os vales
E a fazer doer aos olhos os muros caiados.


Depois ele adormece e eu deito-o.
Levo-o ao colo para dentro de casa
E deito-o, despindo-o lentamente
E como seguindo um ritual muito limpo
E todo materno até ele estar nu.


Ele dorme dentro da minha alma
E às vezes acorda de noite
E brinca com os meus sonhos.
Vira uns de pernas para o ar,
Põe uns em cima dos outros
E bate as palmas sozinho
Sorrindo para o meu sono.


Quando eu morrer, filhinho,
Seja eu a criança, o mais pequeno.
Pega-me tu ao colo
E leva-me para dentro da tua casa.
Despe o meu ser cansado e humano
E deita-me na tua cama.
E conta-me histórias, caso eu acorde,
Para eu tornar a adormecer.
E dá-me sonhos teus para eu brincar
Até que nasça qualquer dia
Que tu sabes qual é.


Esta é a história do meu Menino Jesus.
Por que razão que se perceba
Não há-de ser ela mais verdadeira
Que tudo quanto os filósofos pensam
E tudo quanto as religiões ensinam?


Alberto Caeiro (in O Guardador de Rebanhos)

Sino...

... que também pode ser campânula, capacete ou o que a imaginação de cada um vislumbrar...

Talvez as suas badaladas despertem quem tanto prometeu para aquele rossio, travando tudo o que para ele estava projectado, que talvez vá sendo tempo de cumprir qualquer coisinha...

Bem podem o papa e a direita pregar*...



* O papa Bento XVI apelou este domingo à defesa da família baseada no casamento entre um homem e uma mulher, numa mensagem difundida no encontro das famílias que decorreu em Madrid e onde participaram milhares de pessoas e representantes da Igreja Católica de vários países, incluindo Portugal.(Lusa)

Onde se explica quem somos e como nascemos


A origem da espécie bloguísta

Natureza ajuda a resolver situação em Castro

Já este domingo o dique, que estava a represar a água perto da linha férrea na zona de Castro Verde, cedeu, fazendo com que a água acumulada pela chuva dos últimos dias - e que já estava a formar uma albufeira de grandes dimensões - fosse libertada. Ontem a protecção civil tinha estado a abrir algumas zonas de escoamento, o que favoreceu também a libertação das águas. Na zona de cheia, a torrente parece não estar a provocar grandes estragos, dado que as casas existentes estão numa zona mais alta, embora algumas estradas estejam momentâneamente cortadas devido à existência de muita água e haja alguma preocupação pelo estado de uma ponte à saída de Castro Verde, na estrada que liga esta vila a Almodôvar, já que as suas estruturas de apoio não estão muito sólidas.

Castro Verde: cantos de Natal e Ano Novo na Basílica Real

Esta noite de domingo, Castro Verde acolhe o Cante ao Menino, Janeiras e Reis com a actuação de um conjunto de corais, a ter lugar  na Basílica Real , a partir das 21h30.

As Camponesas de Castro Verde, Os Cardadores da Sete, os Cantares de Évora e o Rancho de Cantadores de Aldeia Nova de São Bento são os anfitriões desta noite, que é também o reviver de tradições antigas, feitas actuais pela preserverança e pelo querer destes e de outros grupos corais.

sábado, 26 de dezembro de 2009

Natal numa aldeia do Portugal profundo

Ano após ano foi ficando cada vez mais só. Depois de ter enviuvado quando os filhos ainda eram adolescentes, viu estes partirem, um após outro, primeiro para fazerem os seus estudos, depois por causa do trabalho e, finalmente, por terem constituído família.

Agora, vive só, na casa que construiu com muito esforço para toda a família. Aos fins-de-semana lá aparece um ou outro filho, uns mais do que outros.

Pelo Natal tudo muda. A casa enche-se como nunca, com os filhos e suas famílias. São uns dias diferentes, de adaptação aos novos familiares, novamente com crianças a animar o ambiente. Nesses dias quase não vai ao campo e até se levanta um pouco mais tarde, porque os serões também se esticam um pouco.

Depois, os filhos, com as famílias, vão-se embora de regresso às suas casas, a casa esvazia-se e volta a ficar só… com as poucas famílias, quase todas da sua família, que restam na pequena aldeia que o viu nascer.

Devido à chuva dos últimos dias, situação ainda preocupante em Castro Verde



Situação ainda não resolvida: em Castro Verde, a Protecção Civil tenta ainda evitar o aluimento de um talude na ribeira da Zambujeira, que se tranformou num dique artifical com 2 kms de extensão e 8 metros de profundidade. A linha férrea começou hoje a ser desmontada para aliviar a pressão da água. A notícia é da SIC. Espera-se que este domingo a situação fique resolvida, e depois de uma tentativa de derrubar o dique formado pelo pontão com dinamite, na noite de quarta-feira, ter falhado.

Uma surpresa para 2010


Desenho de Ana Mesquita

Um novo projecto musical.  Envolvendo muita gente do Alentejo. Um abraço (entre outros) ao Luís Espinho. (via Praça da República)

De facto, a não perder.

Imagem e som (spot). A não perder.

Ou como já alguém escreveu neste blog: "Ouvi as "Vozes do Imaginário" na TSF. Belo programa!"

Ouvir AQUI

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Será que os gestores da EDP vão receber este ano prémios de desempenho e eficácia?

O governador civil de Lisboa disse esta tarde, em jeito de balanço, que passadas quase 72 horas sobre o temporal, cerca de 8 mil pessoas estão ainda sem energia eléctrica em várias localidades da região Oeste. Por acaso, é onde tenho estado estes dias: ontem à noite fui ao Cadaval - uma vila fantasma, sem luz, sem movimento. Enquanto isso ecoa-nos ainda a todos nos ouvidos a propaganda da EDP acerca dos investimentos, dos lucros, da modernização que tem, diz a empresa, andado a fazer. Mas basta um temporal de média dimensão para deitar, quer a modernização, quer a eficácia, para o caixote do lixo. "Eficácia" demonstrada nestes 3 dias em que milhares de consumidores, em pleno Inverno, não têm tido energia, mas que, naturalmente, não irá pôr em causa os chorudos prémios de desempenho que os administradores da empresa irão, com certeza, receber, todos contentes, pelo exercício de 2009. Assim também eu. Ou qualquer de nós.

El Cabrero: Luz de Luna

 

Versão modificada , quer na letra, quer na  música da famosa cancão "Luz de Luna", iniciada com a letra da canção "Vidala del Nombrador", de J. Dávalos

Luz de Luna (bulerías)

Vengo de ronco tambor de la luna
en la memoria del puro animal
soy una astilla de tierra que vuelve
hacia su antigua raíz mineral

Vengo de adentro del hombre dormido
bajo la tierra gredosa y carnal
rama de sangre, florezco en el vino
y el amor bárbaro del carnaval

Yo quiero Luz de Luna,
para mi noche triste,
para pensar divina
la ilusion que me trajiste.
Para sentirte mia...
mia tu, como ninguna,
pues desde que te fuiste
no he tenido luz de luna.

Yo siento tus amarras
como garfios, como garras
que se ahogan en la playa
de la farra y el dolor,
y llevo mis cadenas a rastras
en la noche callada,
que sea plenilunada
azul como ninguna,
pues desde que te fuiste
no he tenido luz de luna.

Versão de El Cabrero

Medronheiros e medronhos

Com José Afonso: O Natal dos Simples

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Conto de Natal

Postais de Boas Festas: acincotons





Boas Festas 

a todos os que costumam visitar
e colaborar com o acincotons

E esperamos que em 2010
a nenhum de vós aconteça 
o que aconteceu a este Pai Natal: 

deu um trambolhão em pleno 2009

 (terá sido por causa da crise?... por causa do governo?...
por causa da oposição? ... quem lhe terá posto uma casca de banana no caminho?... ou um pauzinho na engrenagem?...ou?... ou?...)

acincotons


Porcos alentejanos

A praga


Ponto primordial: Já cheguei a detestar o Natal.
Ponto segundo: sou tão ateu que chego a desconfiar se “ateu” deveria constar do dicionário. Por isso não atribuo significado a esta coisa do “Natal”.
Regresso ao ponto primordial: se digo “já cheguei a detestar”, subentende-se que agora não detesto. Não é bem assim. Continuo a não gostar, mas aquele brilhozinho nos olhos que os míudos trazem lá por casa durante estes dias fazem-me tolerá-lo. Ah, claro! depois há a mesa do jantar chamado “de consoada” que, se formos rigorosos, deveria chamar-se “jantar enfarta-brutos”, porque de ligeira (consoada) tem muito pouco.

Abreviando a coisa, que isto hoje é mais dia de filhós e azevias que de conversa mole.
Se já consigo tolerar o Natal, e peço, desde já, antecipadamente perdão pela dureza das palavras, há uma puta de uma praga com a qual afino e não encontro maneira de conseguir ultrapassar. É aquela coisa que as pessoas inculcaram no léxico e se tornou na mais espatafúrdia forma de desejar bom natal às outras pessoas. Mudo de linha para explicar.
Tome-se como cenário uma rua de qualquer cidade, vila ou aldeia. Rua carregada de luzes e luzinhas, árvores iluminadas e o diabo-a-sete, borrifanço total para as eficiências energéticas e conferências de Copenhaga. Nas paredes ou um estúpido Pai Natal de palha ou lã agarrado a uma corda há 15 dias a tentar entrar por uma janela, ou uma inenarrável tarja bordeaux a anunciar que já nasceu Jesus (pelo que sei é a oposição dos católicos ao capitalismo do pai natal da coca-cola). Dois amigos encontram-se. Ainda ontem se viram, amanhã provavelmente vão encontrar-se de novo. Conversam. A páginas tantas lá vem a puta da praga. Um dos amigos há-de puxar para final de conversa a nefanda praga: “Ah e tal, SE NÃO NOS VIRMOS MAIS, BOM NATAL!”.


Confesso que este mau feitio do qual sou portador já me levou muitas vezes a deixar debaixo da língua uma expressão feroz de protesto.
“Ah e tal, SE NÃO NOS VIRMOS MAIS, BOM NATAL!”. Bolas!, digo eu aqui após esgotar o plafond de palavras feias.

É que isto não se usa para mais nada. Só mesmo nesta altura. Porque ninguém diz: “se não nos virmos mais, bom fim de semana”; “se não nos virmos mais bom resultado para o Benfica”; “se não nos virmos mais boa sorte para o Euromilhões”…
É que eu ainda admitia um “se não nos virmos ANTES”. Agora assim…

Epá! Não digam isto. Se estão mesmo interessados (e essa é outra questão) em desejar tal coisa à pessoa a quem chamam amigo, porque não só um “BOM NATAL”, podendo acrescentar um “pá” no final: “BOM NATAL PÁ!”. Hum??? Que tal?

Vá! vão lá às vossas vidas e se não nos virmos mais, Bom Natal!

Presépio e cante ao menino na tradição alentejana


(Presépio de Tiago Cabeça, em http://catekero.blogspot.com/ o blog do Centro de Artes Tradicionais em Évora, onde há dezenas de presépios em exposição até ao final do mês de Janeiro)

Duas versões do Cante ao Menino:
- uma pelo Grupo Amigos do Barreiro OUVIR AQUI. (sugestão da alentejana)
- outra uma gravação feita por Michel Giacometti e Fernando Lopes Graça em Peroguarda OUVIR AQUI

"Vozes do Imaginário" hoje, às 11 horas, na TSF com "Cantos de Natal"


O programa "Cantos do Imaginário de Natal", da responsabilidade do jornalista Manuel Vilas Boas, e que contou com a participação do grupo "Vozes do Imaginário", de Évora, vai ser emitido já hoje, quinta-feira, depois das noticias das 11 horas; repete esta noite, depois das notícias da meia-noite; e amanhã, dia 25 de Dezembro, dia de Natal, depois do noticiário das 19 horas. Em Évora, a TSF ouve-se em 105.4. Depois o programa pode ser ouvido em www.tsf.pt.

ACTUALIZAÇÃO:  já disponível AQUI

Postais de Boas Festas: António Colaço




Postais de Boas Festas: Bruno Batista


Postais de Boas Festas:Luís Vasconcelos


Postais de Boas Festas: Carlos Barão


Postais de Boas Festas:Paulo Barriga


Postais de Boas Festas: José Arruda


Jornais: quem o diz é Vital, o ganhador


Jornais: afinal a "piquena" vem às compras com o "nosso" dinheiro


Boas Festas!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

(ACT.)Em Castro Verde: pontões da linha férrea dinamitados para deixar passar a água da chuva

A chuva intensa no concelho de Castro Verde, que levou à necessidade da intervenção de um helicóptero durante a madrugada para recolher três jovens que tinham fugido da cheia para o cimo de uma árvore, perto dos Giraldos, está a provocar também esta noite a necessidade das autoridades procederem à explosão de dois pontões, no ramal ferroviário de acesso à mina, que estão a servir de dique, de maneira a que as águas possam escoar livremente. 

A circulação de comboios, que transportam minério entre a Somincor e o Porto de Setúbal (e no regresso trazem areia para o enchimento das galerias já exploradas), ficará interrompida até a via férrea ser reconstruída.

(ACTUALIZAÇÃO âs 10H de 24/12 : Afinal, soube agora, que os dois pontões não foram ontem à noite destruídos, como tinha sido informado, na altura, pelo responsável concelhio da Protecção Civil, António João Colaço. Soube que, de facto,  ontem à noite foi feita uma tentativa nesse sentido e que as cargas de dinamite colocadas nas pontes não explodiram, pelo que esta manhã estava marcada nova tentativa de destruição dos pontões que estão a impedir o escoamento das águas da chuva que ali se acumularam e que tem já vários metros de altura.)


(ACTUALIZAÇÃO às 19H de 24/12: Informação de há pouco indica que as pontes não explodiram e que os técnicos vão lá voltar no sábado para decidirem o que fazer. Parece uma telenovela).

Assim, sim: Câmara PCP recebe prémio "Cliente Aplauso 2009 Millenium BCP"



A Câmara de Moura é uma Câmara simpática, mas que tem vindo a exagerar nestas coisas dos prémios. Às vezes roçando o rídículo, como é o caso deste "Cliente Aplauso 2009 Millenium BCP", que, informa, terá agora recebido. Eis a nota de imprensa na íntegra: "A Câmara Municipal de Moura recebeu no dia 22 de Dezembro o certificado de Cliente Aplauso 2009, pela solidez financeira, desempenho económico, capacidade de inovação e envolvimento com o Millenium BCP. Numa altura em que os municípios portugueses passam por algumas dificuldades, a atribuição deste certificado traduz a boa gestão da Câmara de Moura, o seu empenho na procura de soluções inovadoras para o desenvolvimento do concelho e, sobretudo, vem comprovar que este é o caminho a seguir."  

Ora tomem. Só não se percebe o que faz Rafael Rodrigues - pelo menos ele - na foto (fornecida com a notícia) se é agora vereador da Câmara de Grândola e a entrega do prémio foi no passado dia 22. Ou a  notícia terá estado um ano congelada?.

Câmara de Évora: um esforço que se saúda

Como dissemos aqui e aqui as notas de imprensa da Câmara de Évora sobre as reuniões da autarquia estavam a chegar aos órgãos de comunicação social com um grande atraso. Demos conta desse facto no acincotons e sabemos que foram tomadas medidas no sentido de alterar essa situação. Agora é de aplaudir os resultados. A nota de imprensa relativa à reunião de 21(2ª feira) deste mês chegou esta manhã (4ªfeira), por mail, à generalidade dos jornalistas. Agradece-se.

Beja: Pulido Valente vai pedir auditoria às contas da Câmara

Já se esperava, ainda que o novo presidente da Câmara de Beja sempre tivesse dito que não o iria fazer. Agora, em entrevista à Rádio Pax ,Jorge Pulido Valente anuncia que vai ser feita uma auditoria externa às contas da autarquia por suspeitas de "irregularidades" e de "ilegalidades".

À espera do Natal...

terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O que eles dizem de nós

Pharmácia de Serviço

Há remédio para tudo ... pharmaciadeservico@gmail.com

Porta-aviões

Terça-feira, Dezembro 22, 2009

Parece que o aeroporto de Beja vai servir como «porta-aviões»...

Não haverá algum exagero na notícia de que se está a construir uma fábrica da Embraer em Évora?


Ouvi há minutos José Sócrates, no Parlamento, a dizer que quando esteve no Brasil teve reuniões com os dirigentes da Embraer, desbloquendo a "fábrica que se está a construir em Évora e de que se falava há anos"

É um bocadinho exagerado, não acha senhor primeiro-ministro, quando, tirando a cerimónia da primeira pedra, mais nada foi ali feito?

BA11: e não podiam resolver isso à moda do Solnado?



Quando vejo notícias destas só me apetece dizer: ó tropas não se olhem tão a sério e oiçam o Solnado. Vejam-se ao espelho: que fartote de rir são as vossas "guerras"!

Beja: "estado de sítio" na BA 11....

.... é o que notíciam hoje a Rádio Voz da Planície e o JN, dando conta de um ambiente de grande tensão na Base Aérea de Beja, com várias punições. LER AQUI. .....OU AQUI ... dois textos de Teixeira Correia sobre este assunto...

Acrópole XXI: a posição do Grupo Pro-Évora


PROJECTO DESCARACTERIZA ELEMENTOS PATRIMONIAIS FUNDAMENTAIS

O Grupo Pro-Évora considera que o projecto para a Acrópole de Évora e zona envolvente, a realizar-se, constitui uma intervenção muito profunda e agressiva, que não tem em consideração a memória, a topografia e as funcionalidades do local. Por isso o GPE recomenda o alargamento público da discussão sobre este projecto e irá promover sessões de esclarecimento sobre este tema – a primeira realizar-se-á no próximo dia 12 de Dezembro, com a presença do Professor Gonçalo Ribeiro Telles e da Arq.ª Margarida Cancela de Abreu, estando também convidado o autor do projecto, o Arq. Nuno Lopes.

Os aspectos que se afiguram mais importantes e que importa reconsiderar são, para o GPE os seguintes:

1 – O projecto privilegia uma uniformização cénica do espaço da Acrópole, transformando-o em praça/plataforma nivelada e descaracterizando-o enquanto espaço convivencial, especialmente por força da destruição do Jardim de Diana.

2 – A destruição do Jardim de Diana e a sua substituição por uma plataforma lajeada de granito retira a este espaço as funções de lazer que tem desempenhado e que são fundamentais para a cidade que se quer viva e humanizada pelos seus habitantes. A localização da cafetaria proposta colide com a função de abertura espacial ampla que o miradouro e o próprio jardim têm actualmente, anulando-as. Também o espelho de água não deve ser obstáculo à fruição da paisagem para quem visita o local, nem zona restrita para os utentes da cafeteira.

3 – A substituição dos pavimentos calcetados e do terreiro do jardim por lajeamento de granito tem vários e sérios inconvenientes: demasiada impermeabilização do solo (o escoamento de águas pluviais passa a ser artificial), sem o estudo nem o conhecimento das consequências que poderá causar em toda a área circundante; completa desadequação às condições climáticas do local, especialmente nas épocas de calor intenso; inconvenientes de ordem higiénica decorrentes da impossibilidade em manter os pavimentos limpos (como se verifica nos casos já existentes na cidade).

4 – A geometrização do espaço desfigura a imagem tradicional do local e destrói a sua carga simbólica, descaracterizando-o e tornando-o banal e semelhante a muitas outras intervenções noutras cidades. Uma qualificação deste espaço tem que evitar a sua descaracterização.

5 – Os desnivelamentos do terreno propostos no projecto através de escadas e plataformas destroem a configuração da colina, tornando o espaço estereotipado, anulando uma das singularidades emblemáticas do local e da cidade.

6 – Especialmente na zona do Templo Romano e seu espaço envolvente, que é o local de maior carga simbólica e emblemática da cidade, o projecto ignora e desvaloriza a sua história. A única vantagem do actual projecto reside no abandono do projecto de parque de estacionamento automóvel subterrâneo sob o Jardim de Diana (que constava do projecto original), o que reforça precisamente a importância da manutenção do Jardim e a pedonalização de toda a área envolvida. 

Grupo Pro-Évora  
(ARTIGO PUBLICADO NO DIÁRIO DO SUL E RETIRADO DA PÁGINA DO GPE NA INTERNET)

Moura: Santiago Macias deixa de ser vereador em "regime de permanência"

Santiago Macias, até agora vereador a tempo inteiro na Câmara de Moura, comunicou, no passado dia 11, aos trabalhadores da autarquia que “por razões de ordem pessoal deixa de ser vereador em regime de permanência da Câmara Municipal”. Uma decisão que começou a produzir efeitos no dia 15 deste mês. Eleito pela CDU afirma, contudo, que “manter-se-á como vereador”, pois foi um compromisso que assumiu com o eleitorado do concelho de Moura e com o partido e que respeitará na íntegra, refere a Rádio Pax, acrescentando que o facto de assumir um lugar de investigador na Universidade de Coimbra é a principal razão que está por trás desta decisão.

Uma decisão, aliás, já referida por Santiago Macias no seu blog Avenida de Salúquia, mas que, por aqui, passou despercebida.... Às vezes é assim...E onde diz que, afinal, não se trata de uma despedida já que, refere, irá continuar, de igual modo, a assegurar a gestão dos pelouros que actualmente detém.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Amores perfeitos

Évora: para ficarmos a conhecer melhor a Associação Cultural "do Imaginário"

 
do Imaginário - 2009-11 from Animação Artístico-Cultural on Vimeo.
Documentário de Joana Croca e Rita Russo que traça um percurso de 5 anos da Associação Cultural "do Imaginário", estreado a 28 de Novembro, em Évora.

Outras notícias do Imaginário no acincotons: AQUI e AQUI

UE: começam a aparecer candidatos a reitor

O professor do Departamento de Física Heitor Reis formalizou a candidatura ao cargo de reitor da Universidade de Évora. 
Em nota dirigida à academia, o professor informa que apresentou formalmente ao presidente do Conselho Geral e da Comissão eleitoral a candidatura, acrescentando que solicitou ao actual reitor, Jorge Araújo, a exoneração do cargo de vice-reitor, que ocupava desde Março de 2006, revela o sitío noticiasdoalentejo.  
Heitor Reis diz que espera contribuir para o debate sobre a Universidade.
Segundo este sítio, na UE são ainda dadas como certas, mas até ao momento não formalizadas, as candidaturas de Carlos Marques e Ana Maria Ludovice.

As candidaturas estão abertas até ao próximo 28 de Dezembro. Mas só a 3 de Fevereiro de 2010 será feita a eleição do novo Reitor da Universidade de Évora.

Se Bruxelas decreta está decretado, mas as Sopas dos Pobres nunca estiveram tão cheias


 Bruxelas decreta fim da recessão 

A recessão acabou na zona euro, segundo o relatório trimestral hoje divulgado pela Comissão Europeia, que aponta para um crescimento da economia pela segunda vez consecutiva, agora de 0,4 por cento.

Arq.to António Bouça arrasa gestão urbanística de Luís Mourinha

“Creio mesmo que o presidente Mourinha se arriscará a não chegar ao fim do seu mandato se continuar no caminho de desrespeito pela legalidade como já deu provas só nestas três semanas de mandato. Caberá à vereação a respectiva fiscalização da actuação do senhor presidente, apesar da delegação total de competências na área do licenciamento urbanístico que, por razões meramente circunstanciais, lhe foi concedida. Neste âmbito, assumirá especiais responsabilidades a senhora vereadora Sílvia Dias que se assumiu como fiel da balança do actual executivo. Dado o seu comportamento intocável na Divisão de Administração Urbanística estou seguro que não deixará de o fazer.”afirmou ao Brados do Alentejo o arquitecto António Bouça, que chefiou durante mais de seis anos e meio a Divisão de Administração Urbanística da Câmara Municipal de Estremoz e, logo após a tomada de posse do presidente Luís Mourinha, solicitou a cessação da comissão de serviço que terminou no passado dia 7 de Dezembro, antecipando o término legal que aconteceria apenas a 26 de Julho do próximo ano.

Alentejo: 1º dia de Inverno com frio e chuva


O Inverno chega hoje com chuva, frio e neve, de acordo com as previsões do Instituto de Meteorologia  para os primeiros dias da nova estação, que são também de férias para muitos. Em relação à temperatura, hoje haverá uma pequena subida em relação ao dia de ontem, embora o primeiro dia de Inverno prometa neve a "altitudes bastante baixas". A chuva, o vento e as baixas temperaturas vão manter-se também até ao próximo domingo, último dia para o qual o Instituto de Meteorologia tem previsões.

Alqueva: Vieira da Silva traz apoios para o turismo


O Ministro da Economia, Vieira da Silva, preside, esta 2ª feira, dia 21, , às 17h00, em Reguengos de Monsaraz, à assinatura do Contrato de Investimento para o Projecto do Parque Alqueva, a celebrar entre a AICEP e a Sociedade Alentejana de Investimentos e Participações (SAIP), liderada por José Roquette.

Reconhecido como projecto de Potencial Interesse Nacional (PIN), o empreendimento turístico integrado do Parque Alqueva será constituído por três herdades situadas entre Reguengos de Monsaraz e a albufeira do Alqueva, representando, para esta primeira fase do projecto, um investimento total na ordem dos 50 milhões de euros. Este contrato marca o arranque de um projecto avaliado em cerca de 1.000 milhões de euros que estará concluído em 2029.

Esta primeira fase do Parque Alqueva, que é o maior investimento turístico a realizar no Alentejo nas próximas décadas, está já em construção e vai ser constituída por um hotel, com 250 camas, por um Wine Club e por um campo de golfe na Herdade do Roncão d'El Rei.

domingo, 20 de dezembro de 2009

Michel Giacometti: um homem da Córsega na memória do Alentejo


Andava no youtube à procura de um cante ao menino alentejano para, um dia destes, colocar aqui no acincotons, quando deparei com este vídeo (ou terá sido ele que deparou comigo?), em homenagem a Michel Giacometti, feito por Isaurinda Brissos, que não conheço (mas cujo blog recomendo vivamente e a Cançâo ao Menino, recolhida ali por Giacometti e Lopes Graça). Também não conheci Michel Giacometti embora conheça muita e muita gente que lidou com ele e que com ele conviveu intimamente.

Michel Giacometti nasceu na Córsega, licenciou-se em Etnografia, e chegou a Portugal em 1959. Por cá relaciona-se com o maestro Fernando Lopes Graça, que lhe transmite preciosas informações sobre o património musicólogo português e encoraja-o a realizar as suas primeiras viagens ao norte do País. Michel Giacometti descobriu Peroguarda (no Alentejo, no concelho de Ferreira do Alentejo), através de António Reis, cineasta e poeta portuense. E é na pequena aldeia de Peroguarda que quis ser enterrado. Morreu  no dia 24 de Novembro de 1990 e o seu funeral foi um momento de pura emoção, com os homens a cantarem no momento em que o corpo do musicólogo (que tanto fez pela redescoberta e pela valorização das sonoridades alentejanas) descia à terra debaixo duma chuva miudinha.

Eu estive em Peroguarda a fazer a reportagem para a TSF. E conheci, na altura, Virginia Dias, poeta e mulher de uma sensibilidade invulgar, em casa de quem Giacometti ficou quando chegou a Peroguarda. Fiquei impressionado com aquela mulher, alentejana, rija e sensível, guardiã de uma cultura de muitos, mas que poucos têm sabido preservar. Fiquei feliz ao encontrar este vídeo. Partilho-o convosco. E peço que visitem também um outro espaço na net de Isaurinda Brissos.

E trago à colação também João Honrado, Alice Guerrreiro e António Cunha que foram amigos pessoais, confidentes e cúmplices de um Michel Giacometti que fez mais pela cultura alentejana do que muita "doutorice" junta.



O Cante da minha Terra ... 

Canta o semeador
Enquanto semeia o trigo
Sua cantiga é de dor:
Adeus Michel meu amigo.

Abre-se a terra ao encanto
Daquela cantiga triste
E escreve em sulcos de pranto
Adeus Michel que partiste.

Tece um ramo a camponesa
De um adeus que traz consigo
Murmura como quem reza
Adeus Michel meu amigo.

Passarinho sempre alegre
Porque cantas hoje tão triste?
Choro um adeus que se despede
Adeus Michel que partiste.


Poema de VIRGÍNIA MARIA DIAS

O "espírito" do fim-de-semana e o regresso ao trabalho


"Espírito" de Natal versus consumismo


Uma sugestão da Alentejana

Rabanadas...

... fatias douradas, fatias (-de-) paridas, fatias de ovos, ...

Natal: o consumismo ganhou a batalha




Quando se aproxima o Natal e o fim de ano, quase por uma magia religiosa, apossa-se dos habitantes ditos do primeiro mundo uma febre de consumo imparável. As novas catedrais modernas, os centros comerciais, enchem-se de multidões em delírio, como se fossem em peregrinação render homenagem aos seus santos - as marcas comerciais - , sempre com o cartão de plástico, seja de crédito ou de débito, omnipresente e omnisapiente, qual deus todo-poderoso. É a sociedade do espectáculo, do consumo desenfreado, do desperdício - enquanto no resto do mundo há fome, escassez, doença - no seu auge.

Mas a dança natalícia continua. A dança da inutilidade. A dança do desperdício, aliás em muitos casos semelhante, embora agravada, com o quotidiano de todos nós em que a vida se gasta numa corrida de ratos sem fim e com um único destino: trabalhar mais, ganhar mais, para consumir mais. E se o Natal fosse o contrário? Um pauzinho na engrenagem e uma época em que conseguíssemos travar a corrida que, quais ratos num labirinto, não nos conduz a nada mais do que ao labirinto seguinte, que é o mesmo de onde saímos?

Sé de Évora: concerto de Natal este domingo


Este domingo, pelas 18 horas, realiza-se o Concerto de Natal, na Sé de Évora, promovido pela Fundação Eugénio de Almeida, que "renova o seu convite a todas as pessoas e à cidade de Évora para que assistam a um concerto especial, um momento único de comunhão fraterna e alegria", reza o "press release".  

Orquestra Filarmonia das Beiras        
Coro Regina Coeli de Lisboa
Coro de Câmara da Escola Superior de Música de Lisboa
Coro do Instituto Piaget 

Solistas: Hélia Castro, soprano
                  Francisco Lourenço
Participação Especial: Grupo Coral Etnográfico Cantares de Évora
Maestro: Paulo Lourenço 

Programa:
F. Mendelssohn, Verleih uns Frieden
F. Mendelssohn, Salmo 42
L. Bernstein, Chichester Psalms
Cancioneiro Popular Português, Cantes ao Menino (adaptação musical para orquestra – Miguel Castro)  

A não perder!

Onde fica?