terça-feira, 30 de Setembro de 2014

"Ó Alentejo esquecido/'Inda um dia hás-de cantar!"



"Cantar Alentejano" - poema de Jose Afonso, "ilustro-animado-analogicamente", por Gustavo Imigrante

"A abetarda", de João Monge, estreia este fim-de-semana em Castro Verde e Beja


“A Abetarda" é o primeiro projeto que resulta da parceria estabelecida entre o Município de Castro Verde e o Teatro da Terra, e o único que junta o cante alentejano e o teatro de rua a partir de um texto original. O autor João Monge escreve uma procissão pagã habilmente tecida nas malhas da teologia cristã, elevando a Abetarda, símbolo de Castro Verde, a um estatuto mitológico/ dramático.

segunda-feira, 29 de Setembro de 2014

Acincotons: estamos cá há cinco anos a inquietar. Esperamos estar outros cinco mais!



No dia 29/9/2009 publicava-se aqui no acincotons o primeiro post. Durante os primeiros meses, o blogue foi tendo escassas dezenas de leitores, depois passaram a centenas, depois a milhares. Hoje, o acincotons - que se continua a afirmar como um blogue do Alentejo, embora mais centrado em Évora - soma mais de um milhão e meio de páginas visualizadas, mais de 40 mil comentários publicados, mais de 7.500 posts publicados, com cerca de 1.500/2.000 visitantes diários. 
Numa região tão pouco povoada e onde o debate público e a transparência de procedimentos são excepção é caso para dizer: meus senhores, é obra! 
E todos somos cúmplices, de gestores do blogue, a comentadores ou a leitores. Este é um espaço (quase) público. Melhor: este é um espaço onde a cidadania, naquilo que ela tem de mais belo ou de mais negro, se pode afirmar e livrar-se dos medos que sempre a condicionam. O que não é pouco numa cidade e numa região de tantos medos e de tanta hipocrisia social.

Hoje na Universidade de Évora


Debate com diversos intervenientes a propósito da apresentação do livro "Inovação em Portugal Rural - Detetar, Medir e Valorizar", de Lívia Madureira, Teresa M. Gamito, Dora Ferreira e José Portela.

domingo, 28 de Setembro de 2014

Olha, ganhou o António


Resta saber para quê. (aqui)

Cheias na Malagueira: moradores responsabilizam Câmara por manter parque abandonado

A Bem da Nação



Sabe Sr Salazar, ninguém me tira da cabeça que isto da Tecnoforma é uma magistral encenação, coisa de génio estratega. Comento isto consigo, porque entendo que o Sr Passos e o Sr, têm muitos pontos em comum. Ora vejamos, O Sr Salazar, era homem aparentemente austero, de gastos comedidos e vida supostamente frugal, tal como o Sr Passos, que tem habitação nos subúrbios, passa férias em casa arrendada e desloca-se, na sua vida privada, num carro utilitário. São ambos facilitadores, o Sr Salazar facilitou a construção de monopólios a meia dúzia de figurões, o Sr Passos facilita a destruição do Estado Social e a corrupção generalizada. O Sr Salazar caiu de uma cadeira estrategicamente colocada por algum confrade, o Sr Passos ao que tudo indica, vai cair por causa de uma casca de banana tacticamente largada no seu percurso. Ninguém me tira da cabeça, sr Salazar, que isto da denúncia Tecnoformica, é obra de alguém que aspira à liderança do partido em 2015, assim a modos que um rio de ambição, em que as águas são turvas e os interesses por demais óbvios. Denuncia-se o homem por um crime prescrito e ele, não é preso mas esfarrapado. Tem de sair e dar lugar ao outro. É aqui que entra a estratégia BES, só que em vez do banco bom e do banco mau, assistiremos à rábula do PSD bom e do PSD mau. Os activos tóxicos do partido ficam com o senhor Passos e, fiat lux, os activos bons, com o Sr que navega no rio. Venham então eleições! Até porque no partido do lado a estratégia é a mesma, de um lado o que é seguramente tóxico, e do outro o sucesso, a determinação, a inegável qualidade de um grande estadista com largas costas para arrostar com os trabalhos de hércules que se adivinham.
Depois Sr Salazar é sabido... Rios e Costas alinhados num grande bloco central, tudo a bem da nação, como no seu tempo, Sr Salazar...

sábado, 27 de Setembro de 2014

Granizo e inundações em Évora: as imagens da tempestade


Ver aqui

Cerca de 30 inundações em casas e vias públicas e a queda de um teto falso, que obrigou ao encerramento de um hipermercado, foram as consequências da forte chuvada hoje na cidade de Évora, segundo os bombeiros. A chuva intensa, acompanhada da queda de granizo, que deixou muitas ruas cobertas de branco, fustigou a zona de Évora, sensivelmente, entre as 13:00 e as 13:30.

Uma boa notícia


A Assembleia Municipal de Évora rejeitou ontem à noite, por unanimidade, a Declaração de Interesse Municipal do projecto de exploração mineira previsto para a zona do Boa Fé.

Mais pormenores podem ser encontrados aqui.

sexta-feira, 26 de Setembro de 2014

Beja: constituição da Associação de Mediadores Ciganos de Portugal



O Projeto-Piloto de Mediadores Municipais nasceu em 2009 com o objetivo de contribuir para melhorar a comunicação entre as comunidades ciganas e a comunidade envolvente e visou colocar mediadores nos serviços das câmaras municipais, no âmbito de um programa de formação em contexto de trabalho. O Município de Beja foi um dos concelhos piloto seleccionados e, ao abrigo deste projeto, teve oportunidade de colocar a trabalhar no Gabinete de Ação Social um mediador municipal, que exerceu as suas funções ao abrigo do Projeto-Piloto até Setembro de 2013 e, neste momento, continua a trabalhar no Município.
O trabalho desenvolvido pelos mediadores ciganos de Portugal ao longo do seu percurso formativo, enquadrado pelo anterior Alto Comissariado para a Imigração e o Diálogo Intercultural (ACIDI), atual Alto Comissariado para as Migrações (ACM), deu origem a diagnósticos e necessidades manifestadas em diferentes encontros e reuniões, promovidas no território nacional e europeu por diferentes entidades como o Conselho da Europa, a EAPN, o ACM ou os Municípios envolvidos e que apontaram para a importância de constituição duma Associação dos Mediadores Ciganos de Portugal (AMEC) com vários objetivos, entre eles:
- Representar os mediadores ciganos portugueses;
- Promover a ação de mediadores nas áreas da educação, habitação, saúde, formação, emprego e gestão de conflitos;
- Estabelecer parcerias com organizações nas suas respetivas áreas de atuação, ao nível local, nacional e internacional, nomeadamente através da celebração de protocolos e elaboração de pedidos de financiamento;
- Promover a formação de novos mediadores;
- Facultar apoio jurídico.
Em ato eleitoral realizado no ACM, foi eleito Presidente da AMEC o Mediador Municipal de Beja, Prudêncio Canhoto. O Município de Beja, associa-se à continuidade deste importante trabalho, não só mantendo a colaboração profissional deste Mediador ao nível dos seus serviços internos, mas também através de um Protocolo de cedência de instalações para a implantação da sede nacional desta Associação.
A partir da constituição formal da AMEC, ocorrida ontem em Beja, o funcionamento desta Associação irá ocorrer na sede, situada na Rua D. Afonso Henriques s/n Mercado Municipal de Beja Loja 14, 7800 Beja.

Universidade de Évora: desenho mural de Álvaro Siza no Colégio dos Leões




Na sequência da palestra proferida no dia 24 de setembro, no âmbito das Conferências do Cenáculo, na Biblioteca Pública de Évora, o Arquiteto Álvaro Siza Vieira, galardoado com o Prémio Pritzer de Arquitectura (1992), foi convidado a deixar um testemunho no Colégio dos Leões.
O Arquiteto aceitou o convite e a partir de agora o átrio do Pólo dos Leões da UE exibe um desenho mural feito pela mão de Siza Vieira, que desse modo homenageia o Departamento de Arquitetura, a Universidade de Évora e a própria Cidade. (aqui)